Garra de Ferro – Crítica | O Oscar devia ser de Zac Efron

garra de ferro
Foto: Divulgação California Filmes

Sean Durkin apresenta a melancolia masculina unida a tóxica e contagiante tragédia em “Garra de Ferro”


A maior indicação que dou para quem pretende ver Garra de Ferro (The Iron Claw, no original) é não pesquisar nada sobre a vida da família Von Erich, lutadores de wrestling (luta livre aqui no Brasil). Isso porque, o choque da trágica trama no cinema deve ter um impacto muito maior, assim como aconteceu comigo.

O imão mais velho e protagonista Kevin Von Erich (interpretado por Zac Efron) nos guia nesse enredo de “maldição”, potencializado pela masculinidade tóxica da época.

Confira também: A tragédia do Holocausto: a vida de Julio Gartner | Exposição chega ao MIS São Paulo

Garra de Ferro - Crítica | O Oscar devia ser de Zac Efron 4

Qual a história de Garra de Ferro?

A história real dos inseparáveis ​​irmãos Von Erich, que fizeram história no mundo extremamente competitivo do wrestling profissional no início dos anos 1980.

O que achamos do filme?

O diretor e roteirista Sean Durkin une o esforço físico de seus atores a capacidade dramática, seja na explosão ou na sutileza. Esse equilíbrio se dá na construção do melodrama, que intercala com os momentos mais enérgicos. Garra de Ferro parece uma montanha russa que só desce, mas não no quesito qualidade, e sim na depressão e tristeza imposta ao seus espectadores.

Não existe uma trilha melodramática ou uma forçação de barra aqui, já que por vezes o silêncio é a melhor saída. Durkin sabe filmar a grandeza, mas ainda mais a derrota. A glória e a pose de vencedor dá lugar ao choro, com o quarteto principal da família Von Erich vividos por Efron, Jeremy Allen White (Kerry), Harris Dickinson (David), e Stanley Simons (Mike), vivendo a sombra do pai rígido e abusivo Fritz (Holt McCallany).

Confira também: Música das Esferas: Mimi e o Baú Mágico | Curta de animação brasileiro já está disponível no Youtube

Garra de Ferro - Crítica | O Oscar devia ser de Zac Efron 5

A relação do patriarca com os filhos e a família é trabalhada desde o início, e acusa os problemas de refletir os próprios desejos e anseios em sua prole. Como havia afirmado anteriormente, Zac Efron é o líder dessa matilha de lobos ferozes por reconhecimento, e é triste que a metalinguagem de Garra de Ferro tenha ultrapassado as telas com o ator sendo ignorado nas maiores premiações da temporada, depois de entregar a melhor atuação de sua carreira.

Efron dá o tom de carisma, descontração, fisicalidade e sentimentalismo que a obra precisa. Na medida que as coisas vão ficando mais e mais obscuras, o que resta é o choro.


Garra de Ferro está em cartaz nos cinemas brasileiros

Siga A Odisseia no InstagramTwitter e Google Newspara ficar por dentro de todas as notícias sobre filmes, séries, televisão e teatro.


Garra de Ferro - Crítica | O Oscar devia ser de Zac Efron 6
Foto: Divulgação California Filmes
9/10
Total Score
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Caçadores de Obras-Primas: Filme de 2014 na Netflix reúne George Clooney, Matt Damon e grande elenco 10

Caçadores de Obras-Primas: Filme de 2014 na Netflix reúne George Clooney, Matt Damon e grande elenco

Next Post
Donzela: Conheça o elenco e a história do novo filme com Millie Bobby Brown na Netflix 11

Donzela: Conheça o elenco e a história do novo filme com Millie Bobby Brown na Netflix

Related Posts