Ferrari – Crítica | Muito além dos carros e das corridas

ferrari
Foto: Divulgação Diamond Films

Michael Mann foge de obviedades ao ir pelo caminho da tragédia em “Ferrari”


Uma das cenas que mais me chamou atenção em Ferrari, é uma em que o magnata Enzo conversa com um repórter para forjar uma mentira numa matéria de jornal. Enquanto confabulam seus planos, mecânicos montam e desmontam carros e motores em segundo plano. De certa forma, a produção está querendo nos dizer que as corridas, os veículos, e a marca serão importantes para a história, mas a vida pessoal de Enzo, Laura e seus dramas familiares vão ser o principal ponto de partida.

Confira também: Madame Teia – Crítica | Filme de HQ e não filme de herói

Ferrari - Crítica | Muito além dos carros e das corridas 4
Foto: Divulgação Diamond Films

Qual a trama de Ferrari?

O ex-piloto de corrida, Enzo Ferrari (Adam Driver) está em crise. A falência assombra a empresa que ele e sua mulher, Laura (Penélope Cruz), construíram do nada 10 anos atrás. O casamento tempestuoso dos dois sofre com o luto pela morte de um filho, a dificuldade de reconhecer outro e a presença da amante Lina (Shailene Woodley).

Ele decide contrapor essas perdas apostando tudo em uma corrida – a icônica Mille Miglia, na Itália.

O que achamos do filme?

Em todos os seus filmes, Michael Mann nunca foi um diretor que abraça a obviedade. Mann flerta com a tragédia, o melodrama e a tragicomédia, e seus filmes tem um ar de melancolia e solidão, sem deixar de lado a grandiosidade. Ferrari é exatamente esse filme. O equilíbrio perfeito entre a vida pessoal catastrófica de Enzo, Laura, Lina, e até dos pilotos da escuderia (um deles vivido brilhantemente pelo brasileiro Gabriel Leone), e a grandiloquência do ruídos dos motores e do glamour das competições.

Adam Driver entrega um Enzo frio, distante, composto perfeitamente como uma máquina de vencer, enquanto a Laura de Penélope Cruz é seu contraponto imediato, sendo impulsiva, emotiva, mas nem sempre frágil, tratada com carinho pela direção e texto de Troy Kennedy Martin (Uma Saída de Mestre), baseado no livro de Brock Yates (Ferrari: O homem por trás das máquinas).

Confira também: Bob Marley One Love – Crítica | Musicalmente exemplar e só

Ferrari - Crítica | Muito além dos carros e das corridas 5
Foto: Divulgação Diamond Films

Além dos dilemas pessoais envolvendo perdas, família, falência, negociações e traições, Ferrari está interessado nas máquinas, e intercala sua trama com momentos divinos onde o poderoso som dá as caras. Toda a construção até o magnífico e acachapante ato final é bem executada através de planos detalhe, com Mann explorando a reação de seus atores ao máximo.

Os movimentos ditam o tom da obra, desde as articulações para impedir os desastres que vem, até o suor e sacrifício dos pilotos encharcados de suor e fuligem. O sofrimento é a linha de chegada, a bandeira tremulando ao fim da disputa de dinheiro e poder que parece que ainda não teve fim.


Ferrari está em cartaz nos cinemas brasileiros

Siga A Odisseia no InstagramTwitter e Google Newspara ficar por dentro de todas as notícias sobre filmes, séries, televisão e teatro.


Ferrari - Crítica | Muito além dos carros e das corridas 6
Foto: Divulgação Diamond Films
9/10
Total Score
Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Guerra Civil: Com Wagner Moura e Kirsten Dunst, filme de futuro distópico ganha novo trailer 10

Guerra Civil: Com Wagner Moura e Kirsten Dunst, filme de futuro distópico ganha novo trailer

Next Post
Constelação: Conheça o elenco e a data dos episódios da nova série da Apple TV+ 11

Constelação: Conheça o elenco e a data dos episódios da nova série da Apple TV+

Related Posts