0

Um filme mediano que possui uma história que, provavelmente, já foi vista em diversos outros filmes. Ainda assim, o mesmo pode ser assistido com tranquilidade. Este suspense inglês, que provavelmente será lançado direto em DVD, mostra que até a história mais banal, se tratada de uma maneira competente, pode se tornar interessante.

No filme, um detetive, que teve sua vida (profissional e pessoal) marcada pela fuga de um badalado ladrão. Após três anos, ele tem a chance de capturar o mesmo, que reaparece após a morte do filho. Mas diversas situações fazem com que dois tenham que trabalhar juntos, a fim de salvarem suas vidas.

O filme tem várias coisas já vistas, como conspirações e um vilão interpretado pelo Mark Strong (nunca vi um filme onde ele era o mocinho…). E, como eu já disse, o filme não deve ser descartado por causa da sua história clichê.

O roteiro é bom e seu principal acerto é manter o foco nos personagens e não nas ações e reviravoltas. Essa atitude faz com que as reviravoltas funcionem, sem parecerem forçadas. O desenvolvimento dos personagens é bom, apesar de focar mais no personagem de James McAvoy. No final, o espectador não sente falta de nada, ou seja, todas as peças se encaixam.

A direção, acompanhada por uma estranha e desnecessária fotografia azul, é muito boa. Eran Creevy não é um diretor sublime, mas mostra ser capaz e muito seguro. As cenas de ação são muito bem dirigidas e chamam atenção por serem esteticamente diferentes do que geralmente é feito no cinema inglês. O grande destaque acaba sendo a cena do tiroteio na casa da avó de um dos personagens. Toda a ação acontece em câmera lenta, gerando um clima de suspense bem interessante.

James McAvoy e Mark Strong estão muito bem. Seus personagens vão adquirindo uma profundidade impressionante durante o filme. o detetive é integro e amargurado, mas muito inteligente e obstinado, enquanto o ladrão é extremamente frágil e ao mesmo tempo genial. O mais interessante é que os dois também possuem muitos defeitos. Outro ator que acaba se destacando, já que seu personagem ganha importância durante o longa, é David Morrissey, o Governador de “The Walking Dead.

O filme não é brilhante, mas é um bom representante do cinema policial inglês e merece ser assistido. Um filme que trata bem sua história e seus personagens e por isso pode até surpreender dentro de uma história clichê.

 

Flavio Pizzol
Nascido em uma galáxia muito distante, sou o construtor original dessa nave. Aquele que chegou aqui quando tudo era mato. Além disso, nas horas vagas, publicitário, crítico de cinema, aprendiz de escritor e músico de fundo de quintal. PS: Não sabe trocar a sua imagem do perfil...

Rocky – Um Lutador (1976)

Previous article

O Massacre da Serra Elétrica – A Lenda Continua

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes