A Dama do Silêncio – La Mataviejitas: A incrível história real do documentário na Netflix

A Dama do Silêncio - La Mataviejitas: A incrível história real do documentário na Netflix 3
Foto: Divulgação

A Dama do Silêncio – La Mataviejitas conta a história de Juana Barraza, presa em 2006 por matar 16 vítimas e foi suspeita de cometer múltiplos outros crimes.


Entre 1998 e 2005, uma onda de assassinatos de mulheres idosas atingiu a Cidade do México, levando à busca – e captura – de um suspeito improvável.

Essa pessoa era Juana Barraza, uma ex-lutadora profissional, que ficou conhecida como ‘La Mataviejitas’, pois todas as suas vítimas eram mulheres com 60 anos ou mais.

O primeiro assassinato de Barraza ocorreu no final dos anos 1990, e o número total de suas vítimas é estimado em até 40.

Em 2006, Barraza foi presa depois de ser pega fugindo da casa de uma de suas vítimas, Ana María de los Reyes Alfaro, de 82 anos.

A Dama do Silêncio – La Mataviejitas investiga essa história no novo documentário da Netflix. Saiba mais sobre a história abaixo.

A Dama do Silêncio - La Mataviejitas é o novo documentário da Netflix
Foto: Divulgação

Quem é Juana Barraza?

Juana Barraza é uma assassina em série mexicana e ex-lutadora profissional. Ela lutava sob o nome “La Dama del Silenci” (A Dama do Silêncio).

Barraza nasceu em uma área rural de Hidalgo, México, em 1957, filha de Trinidad Barraza e Justa Samperio. Seu pai era policial, enquanto sua mãe era prostituta e alcoólatra, que, segundo relatos, trocou sua filha por três cervejas com um homem chamado José Lugo.

Após a morte de sua mãe por cirrose, Barraza foi para a Cidade do México, onde se casou várias vezes e teve quatro filhos. Seu primogênito morreu aos 24 anos.

Durante as décadas de 1980 e 1990, Barraza trabalhou em várias ocupações e viajou pelo México central como lutadora mascarada. No entanto, ela ficou desesperada por dinheiro em 1995, após o nascimento de seu quarto filho, e começou a roubar. Depois, passou a cometer furtos em residências.

Em 1996, ela elaborou um plano para roubar idosos com sua amiga Araceli Tapia Martínez. Juntas, elas se disfarçavam de enfermeiras para ter acesso às casas das vítimas e, então, as roubavam enquanto estavam lá dentro.

Barraza se aposentou da luta livre em 2000 e sua situação financeira piorou.

Sua primeira vítima foi María de la Luz González Anaya, morta em 25 de novembro de 2002. Ela continuou a assassinar várias mulheres idosas entre 2002 e 2005.

A série de assassinatos brutais de idosos na Cidade do México alimentou especulações na imprensa sobre a existência de um serial killer chamado El Mataviejitas, que a polícia inicialmente acreditava ser do sexo masculino.

Em novembro de 2005, as autoridades mexicanas relatavam depoimentos de testemunhas que afirmavam que o assassino usava roupas femininas para ganhar acesso aos apartamentos das vítimas.

Um grande avanço ocorreu em 25 de janeiro de 2006, quando Juana Barraza foi presa enquanto fugia da casa de sua última vítima, Ana María de los Reyes Alfaro, de 82 anos. Alfaro vivia no bairro de Venustiano Carranza, na Cidade do México.

Para surpresa de muitos mexicanos, que supunham que o assassino fosse homem, a suspeita detida era, na verdade, uma mulher.

Os promotores da Cidade do México afirmaram que provas de impressões digitais ligavam Barraza a pelo menos 10 assassinatos dos 40 atribuídos ao assassino. Ela teria confessado o assassinato de Alfaro e outras três mulheres, mas negou envolvimento em todos os outros assassinatos.


Confira também: Hoje Falaremos sobre Aquele Dia: Do que se trata o filme indonésio na Netflix?

A Dama do Silêncio - La Mataviejitas: A incrível história real do documentário na Netflix 4
Foto: Divulgação

Sinopse oficial de A Dama do Silêncio – La Mataviejitas

No Distrito Federal do México, a década de 2000 começou com uma série de assassinatos que abalou a polícia: mulheres idosas estranguladas em suas próprias casas. O perfil das vítimas deixou a sociedade indignada e atraiu a atenção da mídia como nunca.

A promotoria dedicou todos os recursos possíveis para capturar o primeiro serial killer da história do país, descrito por testemunhas como uma pessoa alta, forte e robusta, que se passava por profissional de enfermagem para ganhar a confiança das vítimas.

Depois de mais de quarenta homicídios, suspeitos errados e inúmeras contradições, uma mulher é presa em janeiro de 2006 em plena luz do dia, fugindo da cena do crime. O nome dela é Juana Barraza, conhecida no mundo da luta livre como “La Dama del Silencio” e batizada pela mídia como “La Mataviejitas”, um apelido que entrou para a história e para a cultura popular mexicana.


Confira também: Missão de Sobrevivência – Crítica | Olhar americano

A Dama do Silêncio - La Mataviejitas: A incrível história real do documentário na Netflix 5
Foto: Divulgação

Onde está Juana Barraza agora?

Barraza foi julgada em 2008. Ela admitiu o assassinato de Alfaro e disse à polícia que o motivo foi um ressentimento duradouro pelo tratamento de sua própria mãe.

Em 31 de março de 2008, foi considerada culpada por 16 acusações de assassinato e roubo qualificado, incluindo 11 assassinatos separados. Ela foi condenada a 759 anos de prisão. As condenações foram principalmente pelos assassinatos que puderam ser comprovados através de evidências de impressões digitais.

A pena máxima sob a lei mexicana é de 60 anos, e as sentenças impostas nos tribunais mexicanos geralmente são cumpridas de forma simultânea. Isso significa que Barraza provavelmente cumprirá a sentença completa na prisão.

Atualmente, Barraza está detida na prisão de Santa Martha de Acatitla, na Cidade do México.

Segundo relatos, ela trabalha como instrutora de academia na prisão e vende tacos para sustentar sua família.

De acordo com notícias, Juana se casou com um homem de 74 anos chamado Miguel Ángel, que estava na ala masculina de Santa Martha de Acatitla. O casal se divorciou após um ano.

O casamento foi possível através do programa governamental “Lazos en Reclusíon”, que permitiu que eles se casassem juntamente com outros 48 prisioneiros.

Veja o trailer do documentário

Total
0
Shares
Previous Post
Missão de Sobrevivência - Crítica | Olhar americano 8

Missão de Sobrevivência – Crítica | Olhar americano

Next Post
O Famoso Alfaiate: O que acontece na 2ª temporada da série turca? 9

O Famoso Alfaiate: O que acontece na 2ª temporada da série turca?

Related Posts