Drácula – A Última Viagem do Demeter | Confira um bate papo exclusivo com o ator David Dastmalchian

dracula demeter david dastmalchian
Foto: Divulgação Universal Pictures

Drácula – A Última Viagem do Demeter, novo terror da Universal Pictures, chega aos cinemas nesta quinta-feira (24). O longa, que é a segunda adaptação do clássico de Bram Stoker no ano feita pela mesma produtora (já que tivemos Renfield com o drácula de Nicolas Cage), chega as telonas com uma nova e imprevisível história.

Qual a trama de Dracula – A Última Viagem do Demeter?

Baseado em um único capítulo arrepiante do romance clássico de Bram Stoker, Drácula: A Última Viagem de Deméter conta a terrível história do navio mercante Deméter, que foi fretado para transportar cargas particulares — cinquenta caixotes de madeira sem identificação — de Carpathia a Londres.

Estranhos eventos acontecem à tripulação condenada enquanto tentam sobreviver à viagem oceânica, perseguidos todas as noites por uma presença impiedosa a bordo do navio. Quando o Deméter finalmente chega à costa da Inglaterra, é um naufrágio carbonizado e abandonado. Não há vestígios da tripulação.

Confira também: Andy Muschietti: Diretor de The Flash veio ao Brasil e falou sobre o filme em entrevista inédita

Drácula - A Última Viagem do Demeter | Confira um bate papo exclusivo com o ator David Dastmalchian 3
Foto: Divulgação Universal Pictures

Sobre o filme…

Para o diretor André Øvredal, o objetivo do monstro é encontrar mais pessoas, mais sangue e um lugar melhor para se alimentar. “Quero que este seja o Drácula mais assustador que já se viu”, conta.

“Há algo poderoso nessa mitologia, todos sabem o que é sentir medo, e acho que Drácula representa isso”, explica Corey Hawkins, que interpreta Clemens, um médico que se junta à tripulação.

Perseguidos todas as noites pela presença de Drácula, os tripulantes vivem com o medo, já que é só questão de tempo até a próxima vítima. “O que realmente aconteceu no navio que transportou o Drácula do porto de Varna para a Inglaterra, por si só, já é fascinante”, ressalta ainda o produtor Bradley J. Fischer.

Quem está no elenco e produção de Drácula – A Última Viagem do Demeter?

O filme é estrelado por Corey Hawkins (Em um Bairro de Nova York, Straight Outta Compton: A História do N.W.A.) como Clemens, um médico que se junta à equipe Demeter, Aisling Franciosi (The Nightingale) como uma clandestina involuntária, Liam Cunningham (Game of Thrones) como o capitão do navio e David Dastmalchian (Batman Begins) como o primeiro imediato do Demeter.

A produção também conta com Jon Jon Briones (Ratched), Stefan Kapicic (Better Call Saul), Nikolai Nikolaeff (Stranger Things) e Javier Botet (IT, Mama).

Da DreamWorks Pictures e dos produtores de Zodíaco e Cisne Negro, Drácula: A Última Viagem do Demeter é dirigido pelo diretor norueguês André Øvredal (Histórias Assustadoras para Contar no Escuro, A Autópsia), com roteiro de Bragi F. Schut (Escape Room), Stefan Ruzowitzky (Os Falsários) e Zak Olkewicz, baseado no capítulo “The Captain’s Log” de Drácula de Bram Stoker.

Confira também: Os Aventureiros – A Origem | Confira o bate papo exclusivo com Luccas Neto, diretor e o elenco do filme

Drácula - A Última Viagem do Demeter | Confira um bate papo exclusivo com o ator David Dastmalchian 4
Foto: Divulgação Universal Pictures

Confira o bate papo exclusivo com o ator David Dastmalchian

Essa conversa foi feita antes da greve do sindicato dos atores de Hollywood

Qual é a sua relação com o gênero de terror e o icônico personagem Drácula?

Eu cresci no Kansas em uma comunidade bastante religiosa e conservadora, e lembro que costumava descer escondido às sextas-feiras à noite para assistir ao Creature Feature, apresentado por Creamatia Mortem, que nos apresentava aos clássicos filmes de terror da Universal. Fiquei hipnotizado por eles e desde então fiquei viciado. Depois me apaixonei por muitas versões da história do Drácula. É um personagem que continua impactando as pessoas porque ele representa nosso medo do fim e a sedução de poder viver para sempre. No final das contas, nessa história, lidamos com um confronto onde a fome do Drácula por isso se transformou em um horror predatório bestial.

Então, o que significou para você fazer parte de “Drácula: A Última Viagem do Demeter”?

Quando li o roteiro, eu realmente queria fazer parte do filme e, felizmente, tive a sorte de ser escolhido para o elenco. Então, voei para a Alemanha e pisei no set de um filme do Drácula e fiquei com lágrimas nos olhos. Nunca vou esquecer. Eu estava sozinho depois de experimentar o figurino, prestes a fazer um tour pelo nosso navio, e me senti muito emocionado. Foi surreal.

E neste navio, o Demeter, você interpreta o primeiro oficial Wojchek. Que tipo de homem ele é?

Wojchek para mim era um personagem diferente de tudo que já tinha interpretado antes. Eu me importei profundamente com ele enquanto lia o roteiro e senti que sabia e entendia qual era o motor dentro dele, porque há um desejo profundo em Wojchek por pertencimento e propósito.

Acredito que, como ele não tinha uma família real, ele a encontrou desde muito jovem no barco e na tripulação da qual ele fazia parte, passando a totalidade de sua vida no mar. O navio é tão importante para Wojchek que ele é quase uma pessoa e mais do que um lar para ele. É tudo para ele, e ele cuida constantemente dele como cuidaria de alguém por quem se importa muito. Então, eu adorei a ideia de que quando o Demeter fica ameaçado, ele precisa elevar suas apostas, pois representa tanto para ele.

Ele tem uma relação especial com o Capitão Eliot.

O Capitão Eliot, sob quem Wojchek navegou por muito tempo, é seu herói. Então, quando ele me diz que esta é sua última jornada e que eu assumirei depois de chegarmos a Londres, ele está me dando a maior honra que eu poderia pedir. Wojchek sente que toda a sua vida o levou a esse momento. É um sonho que ele nunca pensou que realizaria; mas então ele fica ameaçado quando as pessoas começam a desaparecer, e reconhecemos que há uma força a bordo que está atacando não apenas nossos colegas marinheiros, mas o próprio navio. Isso são grandes desafios para um ator abraçar – para usar uma expressão melhor…

E como você, como ator, se preparou para o papel?

Ao entrar nisso, eu sabia que Wojchek existia em um espaço bem diferente do meu, pois sou muito expressivo, e ele é um homem de poucas palavras. Além disso, todos aqueles anos a bordo fizeram com que seu corpo se tornasse uma máquina incrível, então tentei ganhar massa muscular. Depois comecei a trabalhar no sotaque dele com um coach de dialeto polonês. Então, a preparação foi intensa e exigiu muito de mim, mas foi ótima.

Wojchek entra em conflito com Clemens, o novo médico a bordo, certo?

Sim, absolutamente, porque Clemens é um estranho que é mais inteligente e educado do que Wojchek. Para piorar, o capitão, meu herói, realmente gosta desse cara, e eles têm conversas muito sofisticadas das quais não posso participar. Tudo isso motivou a antipatia de Wojchek por Clemens; mas, ao longo da história, meu personagem perceberá que estava errado sobre ele – o que foi uma jornada interessante de fazer como ator.

Confira também: Ruby Marinho: Monstro Adolescente | Confira nosso bate papo com as dubladoras do filme Giovanna Lancellotti e Agatha Paulita

Drácula - A Última Viagem do Demeter | Confira um bate papo exclusivo com o ator David Dastmalchian 5
Foto: Divulgação Universal Pictures

Você já trabalhou com grandes cineastas em sua carreira. O que você acredita que tornou o diretor norueguês André Øvredal a pessoa certa para esse trabalho?

Sim, fui abençoado em minha carreira por ter tido a oportunidade de trabalhar com alguns dos grandes diretores de nosso tempo, e o trabalho de André me conquistou no momento em que vi “Troll Hunter”. Lembro-me de pensar: “Quem quer que tenha feito esse filme é realmente bom”. E então vi “A Autópsia” e pensei: “Nunca vi nada assim antes”. Ele também adaptou um dos meus livros favoritos quando era criança, que era “Scary Stories to Tell in the Dark”.

Portanto, o fato de eu fazer parte da visão de André Øvredal de um filme do Drácula me deixou muito confiante de que estava em ótimas mãos. Ele é uma pessoa gentil e profunda, que tem uma profunda apreciação pela jornada de um ator. Ele não é um diretor que vai apenas dizer o que você deve fazer, onde deve ficar ou o que deve dizer, pois ele realmente quer entender o que você está tentando fazer como ator e está disposto a ter conversas longas sobre isso.

“Drácula: A Última Viagem do Demeter” também tem muita ação. Como foi fisicamente exigente a filmagem para você?

Provavelmente, esta foi a filmagem mais fisicamente exigente da minha carreira. Eu estava machucado e batido todos os dias. Estávamos sob muito calor trabalhando em externas em Malta, e depois a filmagem de interiores em Berlim também foi desafiadora para um cara alto como eu, já que tive que trabalhar em espaços bastante pequenos – o que é um terreno difícil para lutar contra o Príncipe das Trevas. Eu treinei, boxei, malhei e fiz ioga para tentar me manter em forma. Eu amei o processo de trazer a fisicalidade para o trabalho, mesmo que houvesse dias em que eu voltaria para casa arrastando-me e sentaria com compressas de gelo pensando: “Será que estou ficando velho demais para isso?”

Nunca vimos um Drácula tão assustador assim.

Não, nunca vimos. Eu tenho a oportunidade de fazer parte de uma tradição centenária, e com este filme estamos voltando aos elementos bestiais mais monstruosos que Bram Stoker escreve em seu livro. O Drácula em nosso filme é provavelmente o mais assustador já colocado na tela, e acho que estávamos sentindo falta disso. O que o torna aterrorizante não é apenas ele ser um grande caçador que é capaz de caçar a tripulação, mas também que ele parece ter um prazer doentio em se alimentar do medo psíquico que está criando. Isso é tão intenso e visceral, e mal posso esperar para que o público se sente nos cinemas e assista.

E o que te assusta na vida real?

Finalidade e mortalidade. A natureza humana pode ser uma das coisas mais belas e, ao mesmo tempo, aterrorizantes. Então, eu amo a humanidade, mas também tenho medo dela às vezes.


Drácula: A Última Viagem do Demeter chega aos cinemas no dia 24 de agosto

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
retratos fantasmas

Retratos Fantasmas – Crítica | O encontro apaixonante entre história, cinema e arquitetura

Next Post
Superstore: Comédia chega completa no Globoplay. Conheça a história da série 9

Superstore: Comédia chega completa no Globoplay. Conheça a história da série

Related Posts