Um Dia para Sempre | Repetição que conquista pela leveza

Um Dia para Sempre
Foto: Divulgação / Afonso Fucci

Um Dia para Sempre é um filme de looping que não reinventa a roda, mas deixa um sorriso no rosto


Filmes como Questão de Tempo ou o péssimo Um Amor, Mil Casamentos nos lembram que a união entre festas de casamento e loopings temporais não é exatamente uma novidade. No entanto, eu quero falar de um exemplar específico dessa lista: o curioso Palm Springs.

O longa, estrelado por Andy Samberg e Cristin Milioti, foi lançado em Sundance, mas estreou nos EUA em julho de 2020. Como estávamos no auge da pandemia, esse lançamento se dividiu entre os cinemas drive-in e a plataforma Hulu (equivalente ao Star+ por aqui). Essa versão digital logo caiu na internet e se tornou febre em diversos países, incluindo o Brasil.

Por conta de certos problemas de distribuição – que já citamos em várias lives e podcasts – Palm Springs só chegou oficialmente no Brasil há pouco mais de uma semana. Apenas alguns dias antes de Um Dia para Sempre, produção alemã tão semelhante que certamente seria vista como uma espécie de correspondente estrangeira da comédia americana.

Um Dia para Sempre
Foto: Divulgação / Afonso Fucci

Qual é a história de Um Dia para Sempre?

Zazie mora com amigos em um apartamento compartilhado. Quando um convite para o casamento de seu melhor amigo Philipp com sua arquirrival Franziska chega em sua caixa de correio, ela tem que salvar seu velho amigo do erro de sua vida, mas sua tentativa de sabotar o casamento falha miseravelmente.

Por causa de um loop temporal, isso acontece repetidamente, levando Zazie ao limite da loucura. Como ela conseguirá evitar o casamento e sair desse loop sem fim? Qual lição ela terá que aprender?

Um Dia para Sempre
Foto: Divulgação / Afonso Fucci

O Que Achamos de Um Dia para Sempre?

Os filmes de looping possuem regras que são raramente quebradas. As principais são: os dias reiniciados após a morte ou sono do protagonista, a repetição de eventos gera aprendizados que fazem a trama evoluir e um protagonista que precisa aprender lições sobre a vida para quebrar o ciclo.

Um Dia para Sempre não é uma obra ousada que tenta reinventar a roda. Pelo contrário, é um filme que abraça todas as regras – inclusive a existência de um guia que oferece dicas aleatórias – e tenta extrair humor a partir desses clichês que todo mundo conhece de cor e salteado.

Isso elimina a possibilidade de encontrarmos piadas metalinguísticas super originais e até mesmo uma reviravolta impactante em relação à motivação do looping que envolve Zazie, porém não prejudica o fator diversão de Um Dia para Sempre. Uma prova interessante de que a qualidade não está necessariamente ligada à originalidade ou capacidade de “explodir a cabeça” do espectador.

Nesse caso, a diretora e roteirista Maggie Peren (Uma Amizade Inesperada) aproveita sua experiência em dramédias familiares para deixar o longa com uma cara leve e divertida. Resultado que passa pelo timing da montagem, pelo uso da trilha sonora e, principalmente, pela manipulação dos gêneros, alternando entre a comédia escrachada e a melancolia com habilidade.

Um Dia para Sempre
Foto: Divulgação / Afonso Fucci

No entanto, o maior trunfo de Um Dia para Sempre está em seu elenco que acompanha as marcações de Peren, mergulhando sem medo nos absurdos que cercam os personagens. O destaque natural fica com a energética e carismática Zazie construída por Alicia von Rittberg (Corações de Ferro) e seu amigo com narcolepsia que Edin Hasanovic (Meu Fim. Seu Começo.) interpreta com uma fisicalidade hilária.

Ao lado de outros coadjuvantes que arrancam gargalhadas com sua falta de senso, eles são os responsáveis por conquistar a torcida e os olhares do espectador. Os capitães que conduzem o público por essa aventura cheia de linhas temporais e universos paralelos, garantindo que, mesmo sem reinventar a roda, Um Dia para Sempre consiga arrancar sorrisos tão leves e sinceros quanto seu correspondente americano. E esse poder não pode, em hipótese alguma, ser subestimado…


Um Dia para Sempre estreia nos cinemas brasileiros no dia 09 de junho

Gostou do texto sobre Um Dia para Sempre? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

Um Dia para Sempre | Repetição que conquista pela leveza 3

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
assassino sem rastro

Assassino Sem Rastro – Crítica | Liam Neeson a serviço da história

Next Post
Espero que te encontres e que estejas bem

“Espero que te encontres e que estejas bem”, dirigido por Natara Ney, estreia nesta quinta (09/06)

Related Posts