AODISSEIA
TOP 15

TOP 15: Os piores filmes de 2018

Tradicionalmente, a lista anual de nossos desafetos

28 de dezembro de 2018 - 12:35 - Tiago Soares

Mais uma vez, após uma votação e um cálculo complexo aqui na redação, separamos os 15 piores filmes de 2018. Nossa lista deixou de ser semestral, não apenas para diminuir nosso trabalho, mas porque ela se torna mais interessante, e com menos qualidade nesse caso.

Todos os filmes estrearam comercialmente no Brasil em 2018, então não estranhe caso veja um filme que considere de 2017. Os filmes de terror como sempre dominam a maioria dos selecionados, mas temos algumas decepções, além daqueles que já não esperávamos nada mesmo. Vamos lá:


 

15º) Animais Fantásticos: os Crimes de Grindelwald

Um filme sem animais fantásticos e sem crimes de Grindewald que desenvolve duas horas vazias só pra justificar os últimos dez minutos da produção. Um show de personagens desnecessários e incoerências com a mitologia original espalhadas num roteiro escrito em capítulos e conduzidos por uma direção boba. Talvez seja divertido, mas uma franquia como Harry Potter merece muito mais do que isso.

Confira a crítica completa aqui.

 

14ª) Rampage: Destruição Total

The Rock + monstros gigantes não tem como ser ruim né? Errado! Rampage até acerta nos efeitos, mas é um desastre no roteiro cercado de incertezas e furos, com contrastes a cada minuto dentro de seu próprio universo. Além do carisma de Dwayne Johnson nada funciona.

 

13º) Noite de Lobos

Um filme lento e confuso que desperdiça uma premissa interessante sem conseguir criar tensão, dar sustos ou aproveitar o isolamento do cenário. Tem atuações razoáveis e uma direção eficiente, mas tudo que consegue fazer é criar momentos que funcionam visualmente quando vistos de maneira separada. Nunca chega ao status de bom filme…

 

12º) Círculo de Fogo: A Revolta

Uma continuação que não consegue se sustentar individualmente, graças ao roteiro mediano, as atuações cafonas e a direção que prefere evocar Michael Bay a Guillermo Del Toro.E, como se isso não fosse problema suficiente, A Revolta também fracassa nas tentativas de homenagear o universo construído no longa original. Divertido em alguns momentos de ação, mas bobo e repetitivo demais.

Confira a crítica completa aqui.

 

11º) Um Dia Para Viver

Ethan Hawke fez o excelente First Reformed esse ano, mas também nos “presenteou” com essa produção fraca e cheia de frases vergonhosas. Um Dia Para Viver tenta trazer uma sensação de tensão e fuga contra o relógio, mas só faz com que a gente queira fugir dele.

 

10º) Fahrenheit 451

A nova adaptação de um dos livros de maior sucesso é um total desastre. A HBO trouxe nomes de peso como Michael B. Jordan e Michael Shannon, que até realizam bons trabalhos, mas sofrem com um roteiro que não causa interesse no espectador e cenas de ação medonhas. Fahrenheit 451 abre o nosso merecido TOP 10 da vergonha.

 

9º) Os Farofeiros

A comédia nacional sempre ganha um espaço na nossa lista de piores, e dessa vez o posto é de Os Farofeiros. É inegável que o filme tem seu público, mas uma comedia recheada de piadas machistas, situações constrangedoras e sem graça não ganhou apreço e ocupa o nono lugar.

 

8º) Exorcismos e Demônios

Esse é o primeiro filme da lista que começa com um exorcismo, e se você já ouviu o episódio 8 do podcast “Eu Não Acredito em Nada“, sabe que a maioria dos filmes que começam com um são ruins. Dito isso, Exorcismos e Demônios estabelece regras e as quebra, além de possuir efeitos vergonhosos e dignos de um oitavo lugar.

 

7º) Arranha-Céu: Coragem Sem Limites

Admito que esse é mais um daqueles filmes supostamente divertidos que se encaixariam com perfeição numa Sessão da Tarde num dia de chuva. No entanto, isso não é o suficiente pra salvar uma produção que pode ser resumida através de uma trinca que inclui todos os clichês do gênero, cenas absurdamente mentirosas e um anúncio inovador de silver tape. Tem o The Rock, mas é só isso…

Confira a crítica completa aqui.

 

6º) Cadáver

O segundo filme que começa com exorcismo e adivinha? É horroroso! Cadáver é recheado de cenas vergonhosas e traz um discurso sobre depressão e ansiedade que não acrescentam em nada, apenas deslegitimando qualquer debate sério sobre o assunto.

Podcast que cita o filme aqui.

 

5º) Operação Red Sparrow

“Red Sparrow parece demonstrar certa dúvida do que fazer com seus personagens. Dominika tem sim seus motivos para superar essa sua vida. Precisa cuidar da mãe doente e o emprego oferecido pelo tio lhe fornece garantias. Mas ao mesmo tempo, ela usa suas novas habilidades contra aqueles que a colocaram nesse mundo e esquece por completo seus dilemas.”

Crítica completa aqui.

 

4º) Slender Man – Pesadelo Sem Rosto

“Num primeiro momento, Slenderman soa interessante, mostrando didatismo ao explicar a figura do moço e o que ele é capaz de fazer. O grande problema está após seus 15 minutos iniciais, que misturam fatos incoerentes dentro da narrativa, personagens com grau de inteligência limitado e um fraco clima de suspense, sempre apoiado em jump scaresfalsos e sem razão nenhuma de acontecer.”

Crítica completa aqui.

 

3º) Vende-se Esta Casa

A Netflix não começou bem o ano no âmbito do terror e este filme prova isso de maneira eficiente. Confuso dentro de si, Vende-se Esta Casa não sabe o que quer e mistura filme de espírito com home invasion, além de inúmeros outros sub-gêneros, sem aprofundar nenhum de maneira convincente. Digno de um TOP 3 da vergonha.

 

2º) Desejo de Matar

Uma premissa delicada que se prejudica ainda mais graças a um roteiro que trabalha as motivações da forma mais rasa possível, a uma direção sem criatividade nenhuma, uma montagem problemática, uma trilha inconsistente quando se trata músicas não originais e um elenco que não leva a sério um filme que deveria ser. Outra opção seria transformá-lo completamente em um longa surtado, mas, como isso não acontece, o longa fica preso entre a seriedade e a ironia sem funcionar em nenhum dos lados.

 

1º) Venom

Venom é um filme incoerente, bagunçado e pavoroso que deve irritar fãs do universo do Homem-Aranha e divertir algumas pessoas pelos motivos errados. O visual até funciona e algumas risadas podem deixar a experiência menos traumática, porém a verdade é que o longa pode ser resumido num conjunto de cenas conectadas de forma desastrosa que ganharia muito mais se tivesse continuado na gaveta dos executivos.

Confira a crítica completa aqui.

 

MENÇÕES HONROSAS

– Cinquenta Tons de Liberdade
Millenium – A Garota na Teia de Aranha
– O Candidato Honesto 2