AODISSEIA
Séries

Séries: The Big Bang Theory (9ª Temporada)


17 de maio de 2016 - 16:00 - Flávio Pizzol

De volta aos trilhos da diversão


The-Big-Bang-Theory-season-9Após três temporadas muito inferiores ao produto que me conquistou há quase 10 anos atrás, The Big Bang parecia estar perdendo um pouquinho mais de qualidade cada vez que o seu público crescia. Um típico caso de acomodação criativa que foi completamente modificado em uma temporada muito divertida que colocou a série de volta nos seus trilhos.

E olha que a temporada começou seguindo o caminho não tão interessante da separação de Penny e Leonard logo após o casamento por conta de motivos idiotas. Ou seja, repetindo basicamente o que a série vinha fazendo desde que começou a direcionar sua atenção para os romances de cada um dos protagonistas e se esqueceu da sua origem nerd e do seu lado que sempre brincou com a comédia escrachada.

Para nossa sorte, o nono ano conseguiu equilibrar muito bem tudo isso, trazendo de volta as idiotices robóticas de Howard, as piadas raciais de Raj, as bandeiras divertidas de Sheldon, a depressão hilária de Stuart (Kevin Sussman), as discussões nerds que não fazem nenhum sentido, as estreias de filmes e séries sendo utilizadas como eventos especiais, as participações especiais de ícones da cultura pop (Adam West e Adam Nimoy são só alguns deles), a ciência como o foco de alguns episódios e as interações diferentes dentro do grupo, que sempre aparecem para dar uma refrescada em uma trama que logicamente se perde em meio ao formato extremamente longo de 24 episódios. Isso tudo sem contar com algumas novidades muitos boas, como a banda formada por Howard e Raj, a avó do Sheldon, o pai de Leonard e, logicamente, a gravidez de Bernadette.

Entretanto, como eu já disse, o equilíbrio permitiu que a série não se esquecesse de todo aqueles romances que ganharam força durante anos de programa. Isso ficou claro no processo de estabilização dos casamentos já realizados até aqui, mas o destaque foi o desenvolvimento extremamente adulto do fim do relacionamento entre Amy e Sheldon. A série sempre deixou claro que eles iriam voltar, mas foi honesta com a vida real, deixou as coisas acontecerem no tempo correto e ainda conseguiu apresentar novas camadas de sensibilidade para um protagonista estagnado nas suas próprias loucuras.

Infelizmente nem tudo são flores e essa parte romântica também teve seus momentos ruins, principalmente quando decidiu focar na péssima relação dupla de Raj. Algumas piadas relacionadas a isso foram bem aproveitadas, mas o total da história desperdiçou um ótimo coadjuvante, tentou fazer o público gostar de uma personagem sem carisma chamada Emily (Laura Spencer) e se enrolou todo quando simplesmente ignorou esse dilema no season finale. Agora o único jeito de consertar a história é incluir Claire (Alessandra Torresani) de vez na história, considerando que ela é mais bonita, trabalha como roteirista e tem mais química com Kunal Nayyar.

Ainda assim, Kunal é um dos destaques do elenco e consegue salvar muitos erros de roteiro quando está ao lado de Kaley Cuoco, Johnny Galecki, Jim Parsons, Simon Helberg, Melissa Rauch e Mayim Bialik. Apesar de Sheldon ainda ser o grande destaque, todos eles tem bons momentos individuais para se destacar e estão cada vez mais divertidos quando deixam o grupo se soltar.

São nove anos de convivência que dão cada vez mais resultado na frente das câmeras e fazem desta uma das melhores temporadas de The Big Bang Theory. Um ano marcado pelo equilíbrio de episódios cheio de romance, diversão, leveza, nerdice e ciência. Tudo o que conquistou os primeiros fãs e garantiu o título de melhor comédia da atualidade, sendo que esse só não vai ser mantido por conta da existência superior de uma certa Silicon Valley.


odisseia-07