0

Eu gosto do tipo de humor do Danilo Gentili. Eu gosto do balanço interessante entre criticas inteligentes e piadas escrachadas que ele conseguia criar no CQC, no Agora é Tarde e, recentemente, no The Noite. A sua nova empreitada é uma série política, baseada livremente no seu stand up, que vai ser exibida pela Fox. Politicamente Incorreto tem alguns problemas, mas também traz à tona discussões interessantes para essa conturbada época de eleições.

A série segue a candidatura do Deputado Atílio Pereira ao cargo de Presidente da República. Aproveitando uma confusão, ele acaba se tornando o único político honesto do país e aproveita a situação para tentar chegar ao cargo mais alto da nossa política. Mas o caminho não vai ser fácil.

O texto tem alguns problemas, já que escrever uma narrativa seriada não é a mesma coisa que escrever um show de comédia. Aqui você criar toda uma rede de relações entre personagens, que não funciona tão bem no primeiro episódio. Ainda assim, Politicamente Incorreto traz aquele balanço entre critica e comédia do qual eu falei ali em cima. E como a parte das criticas são interessantes, desde o deputado falando que não pode trabalhar nas sextas e segundas até ele usando seus privilégios para ser tratado como um Deus. Mas eu acho que o aspecto vai importante vem à tona quando Maria Eduarda conta como ele foi eleito, usando sua fama e seus bordões ridículos. Nada disso é mera coincidência.

Os personagens que cercam o deputado também são interessantes e podem ter um futuro legal. Interpretados em sua maioria por desconhecidos, eles tem personalidades distintas e características estereotipadas que funcionam muito bem. Quem concentra todos esses estereótipos é Kenji, seu assessor negro, asiático e gay. Entretanto, o grande problema é que o protagonista é personagem muito limitado que não acompanha o restante dos participantes da produção. E tudo só piora com a atuação ruim de Danilo.

É inegável que ele é um grande entrevistador, apresentador e comediante, mas ele não funcionou como ator. Sua interpretação de Atílio pode ser resumida pelas suas caretas e trejeitos pouco inovadores, mesmo que seja estereotipada de coisas que sabemos que fazem parte das vidas dos deputados. Ele dorme nas sessões, é racista, machista, mas é carismático acima de tudo.

A direção é razoável e acompanha a canastrice que a série quer passar, junto com a edição básica e com a boa direção de arte. Funciona, mas não é o que mais chama a atenção do público. A única coisa que vale é o texto e ele foi bom o bastante para prender a atenção desse jovem que vê a política indo pra vala sem saber em quem votar. Não sei como será viver em um mundo onde votamos nos palhaços por que pensamos que eles são os menos piores, já que temos a impressões que não existem nenhum político honesto.

Mas como eu disse lá em cima, eu gosto desse tipo de comédia, assim como gosto dos filmes de auto-referência que estão sendo produzidos a rodo nos últimos tempos. A questão é que, mais do que qualquer outro gênero, a comédia é completamente subjetiva e depende da vivência e do repertório cultural de cada espectador pra funcionar. Se o terror é bem feito, você pode não sentir medo, mas sente ao menos uma tensãozinha. Se um drama é bem construído, qualquer espectados se emociona. Mas a comédia depende muito do gosto de cada um. Ainda assim, eu recomendo a série pelas suas criticas feitas em momento certeiro.

OBS 1: Vou fechar o post com o que o Danilo disse em uma entrevista ao site Omelete: “A gente tem a consciência que é uma concorrência dificílima ter um programa de humor passando durante horário político, que também é humorístico. É uma concorrência desleal. Mas se é pra esculhambar, pelo menos vem assistir às pessoas que estão trabalhando pra isso”. Vamos dar uma moral para uma série brasileira de conteúdo diferenciado.

Flavio Pizzol
Nascido em uma galáxia muito distante, sou o construtor original dessa nave. Aquele que chegou aqui quando tudo era mato. Além disso, nas horas vagas, publicitário, crítico de cinema, aprendiz de escritor e músico de fundo de quintal. PS: Não sabe trocar a sua imagem do perfil...

The Rover – A Caçada

Previous article

Dupla Identidade

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Séries