0

Essa é uma nova série/minissérie da ABC, pensada para ocupar o espaço de Once Upon a Time durante o hiatus, mas eu não sabia de sua existência até ler algumas criticas muito positivas. Resolvi encarar, porque serão só 8 episódios divididos em 4 domingos, e me surpreendi positivamente.

Galavant é uma série de comédia medieval musical – isso mesmo – que conta a história do personagem título, que era o maior herói de todos os tempos até sua amada o abandonar por um rei muito rico e afetado. Um ano depois, ele tem a chance de se vingar e recuperar sua amada, mas ele não sabe que tudo é um plano do próprio rei para matá-lo.

De primeira, tive a sensação de que não deveria chegar perto da série por não gostar daqueles musicais onde as pessoas falam cantando e cantam falando (a maioria). Aqui isso existe, mas o que me ganhou foi ver a música ser usada na comédia. Por exemplo, a última música do primeiro episódio funciona como um promo do futuro da série sendo cantado de maneira completamente metalinguística. É o humor auto referencial que tanto me agrada transformado em música.

É essa metalinguagem e o humor descarado que fazem Galavant ser simplesmente hilária. É uma mistura de Game of Thrones (que é homenageada com uma placa para Winterfell), suas intrigas políticas e traições com o melhor do humor do Monty Python. Os diálogos e as músicas são rápidas e até exigem um pouco de atenção do espectador para entender a ideia da piada que está acontecendo ali. Não é nada inovador na história, mas brinca muito bem com os clichês e com as caricaturas.

Essa mistura improvável e criativa partiu da mente de Dan Fogelman, roteirista de Bolt, Carros, Enrolados, Amor à Toda Prova (uma das minhas comédias românticas favoritas) e da série The Neighbors. Tudo é escrito de maneira curta e grossa, sem dar muitas explicações desnecessárias e usando tudo para fazer alguma piada ou brincadeira. Uma das melhores é o nome de um adversário de Galavant, Jean Hamm, que é um ótimo trocadilho com o nome do ator de Mad Men.

Os personagens também são propositalmente caricatos e divertidos, com maior destaque para Galavant (Joshua Sasse) e seu personagem politicamente incorreto, King Richard (Timothy Omundson) com seu estilo afetado e hilário, Madalena (Mallory Jansen) com suas tiradas sarcásticas e depreciativas e Gareth (Vinnie Jones) com sua agressividade e gosto por mulheres magras quase doentes. A relação entre todos eles funcionam muito bem e dá ainda mais graça à série.

Não esperava muito coisa da série (na verdade, eu esperava que fosse uma bosta), mas me surpreendi ao ver um humor diferente do normal ser explorado na televisão americana. É uma série interessante e divertida, que merece ser acompanhada por suas quatro semanas.

OBS 1: Algumas piadas brincam com a pronúncia de nomes ou trocadilhos em inglês, então é possível que a legenda não seja o bastante para conseguir acompanhar os episódios. É bom saber um pouquinho de inglês para ter uma experiência completa.

Flavio Pizzol
Nascido em uma galáxia muito distante, sou o construtor original dessa nave. Aquele que chegou aqui quando tudo era mato. Além disso, nas horas vagas, publicitário, crítico de cinema, aprendiz de escritor e músico de fundo de quintal. PS: Não sabe trocar a sua imagem do perfil...

Whiplash – Em Busca da Perfeição

Previous article

Para Sempre Alice

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Séries