A Odisseia

Selva Trágica | Saiba a história por trás do filme mexicano na Netflix

Selva Trágica, novo filme mexicano na Netflix, de Yulene Olaizola, ganhou dois prêmios no Festival de Cinema de Veneza e se concentra na história de uma jovem que foge de alguns problemas na floresta. 

Veja detalhes do filme, como enredo, elenco, trailer e outras informações.


Aludindo ao espírito de aventuras clássicas como os quadrinhos de “O Fantasma”, criada por Lee Falk em 1936, Selva Trágica é um longa que possui uma misteriosa protagonista, que exalta as paixões de quem se atreve a mergulhar em seus encantos, entrando em um clima hostil e bem gélido das florestas mexicanas.

Entre folhagens, rios e animais selvagens, esta história conta, nas profundezas da selva maia, a história de uma mulher que tenta de escapar de um casamento arranjado e se perde na magnitude de uma selva que mistura o natural e o sobrenatural.

Foto; Reprodução

Mas qual a história do filme mexicano Selva Trágica, na Netflix?

Situado na década de 20, entre o sul de Quintana Roo e a fronteira com Belize, o filme retoma elementos da antiga lenda de Xtabay, com a jovem Agnes (Indira Andrewin) fugindo para as profundezas da floresta maia até encontrar um grupo de trabalhadores mexicanos e ambos perceberem que não são as únicas criaturas no local.

No meio da mata fechada, Selva Trágica mostra um lugar onde o mundo humano e sobrenatural se unem e um mito lendário toma vida bem no coração da floresta.


Trailer do filme

Elenco

Selva Trágica reúne grandes atores com boas trajetórias no cinema mexicano, como Eligio Melendéz, vencedor do Ariel, Lázaro Gabino Rodríguez, Gilberto Barraza e atores locais como Indira Andrewin e Mariano Tun Xool.

A produção ganhou os prêmios de Melhor Direção no Festival de Veneza, pelo Júri da Crítica Independente, e o Prêmio Sorriso Diverso, como Melhor Filme Estrangeiro.

Agora, desembarca no catálogo da Netflix em junho de 2021, ganhando o selo de original da empresa, no esquema já tradicional de distribuição mundial de obras adquiridas de pequenas produtoras.

Foto: Reprodução

O que dizem os diretores?

Esse é o quinto longa da diretora Yulene Olaizola e o primeiro de divulgação global. Em entrevista ao site da Variety, ela falou um pouco mais sobre o processo místico de construção do filme.

“A selva é um ser vivo, atormentado por aqueles homens que tentam roubar seus tesouros, mas se vinga de diferentes maneiras, com plantas venenosas, enxames de mosquitos, animais ferozes e com o encantamento de criaturas misteriosas”, disse ao site.

Conhecida por suas produções mais intimistas, Yulene passou quatro meses na fronteira do México com Belize para pesquisar sobre o tema e também sobre as lendas míticas da terra. Selva Trágica é seu projeto mais ambicioso até o momento.

Filmamos por sete semanas na área ao sul de Quintana Roo, nos aventurando mais afundo na selva e no máximo que podíamos”, disse, que primeiro ganhou reconhecimento por seu filme de estreia multi-premiado sobre um serial killer vivendo com sua avó.

Foto: Reprodução

Ela tem uma queda por trabalhar com atores não profissionais e com exceção de alguns profissionais, o resto do elenco do filme interpretou a si mesmo, disse ela.

Olaizola está atualmente desenvolvendo sua primeira série de ficção com a parceria do próprio marido e também um dos roteiristas de Selva Trágica, Ruben Imaz.

O filme é uma coprodução com a França e a Colômbia e conta com o apoio dos Cinemas du Monde-CNC, da oficina Cinéfondation L’Atelier do Festival de Cannes e do Programa de Apoio ARRI.

Imaz, Olaizola e Pablo Zimbron Alva de Varios Lobos foram os produtores de Selva Trágica, que estreia na Netflix.


Exit mobile version