18

Hex é um terror de monstros clássico na era moderna, e explora os conflitos criados em uma sociedade que convive com o medo.


  • Titulo:  Hex
  • Autor: Thomas Olde Heuvelt
  • Páginas: 368
  • Editora: Darkside Books
  • Ano: 2018
  • Gênero: Terror
  • Quem pode gostar: fãs de livros de Stephen King (assim como filmes e séries baseados na obra do autor), thrillers sobrenaturais e psicológicos.

“A magia existe nas mentes daqueles que acreditam nela, não em sua verdadeira influência sobre a realidade.”

Para escolher uma leitura nova eu cheguei a conclusão que a melhor forma é ler a sinopse e algumas resenhas, deixar lá na minha lista de “Quero Ler” do Skoob, e abandonar por um tempo até que a sinopse esteja completamente esquecida, e ai pegar pra ler. O fato de Hex ser uma daquelas edições lindas de capa dura da editora Darkside também ajudou a não esquecer completamente que eu queria o livro, né?

Foi isso que fiz com Hex. O quê para mim, fez a experiência melhor, pois tudo nesse livro é muito novo, apesar de ter uma premissa velha. A história do autor Thomas Olde Heuvelt conta sobre uma cidade que a mais de 300 anos é amaldiçoada por uma bruxa. E é só isso que precisamos saber sobre a história antes de começar a ler.

A primeira cena já me deixou muito confusa, sem entender o que estava acontecendo. Achei até que estava mal escrito. Só no final do primeiro capítulo que veio o baque.

hex e meme

LEIA MAIS
+++ O Poço é uma crítica escrachada à nossa sociedade
+++ Podcast: Eu Não Acredito Em Nada: O Homem Invisível
+++ Jexi é um episódio divertido de Black Mirror

 

É um misto muito bem feito de terror clássico que se passa na era contemporânea. Ao contrário de outros universos de fantasia, como Harry Potter, que se passa na nossa época, mas se isolam completamente criando um mundo próprio, o autor cria em Hex uma história de terror extremamente bem feita e bem inserida no mundo moderno e globalizado em que vivemos.

Esse mundo globalizado e uma população que vive confinada dentro da cidade, sem poder sair, é o conflito chave para o desenrolar da história.

“…às vezes a ciência acontecia na cratera de um vulcão em erupção e você não podia fazer nada a respeito.”

A história vai sendo explicada aos poucos, e a cada página conhecemos e sentimos mais dos problemas e perrengues passados pelos habitantes de Black Spring. Além do mais, a tensão do livro foi tão grande, que a toda hora eu olhava para trás achando que estava sendo observada.

Me rendeu até alguns pesadelos.

“No final da trilha, sempre ficava Black Spring, o fim da linha do frio mundo exterior, onde ninguém sabia seus nomes nem seu estilo de vida.”

O livro trás muitas questões interessantes, em que podemos traçar paralelos à nossa realidade, se pensarmos em termos de vigilância, punição, e na posição de pouca privacidade que nós mesmos nos colocamos em troca da sensação de segurança. Já teve aquela sensação de que certo site já sabe tudo sobre a sua vida?

“Estamos cansados de viver na Idade Média. Queremos internet livre e queremos nossa privacidade.”

A grande questão que Hex traz é a relação sobre o que o medo gera nas pessoas. Pessoas que nasceram e viveram sobre o medo, não só tem medo por elas mesmas, mas temendo por seus entes queridos.

O que nós somos capazes de fazer quando nós mesmos estamos com medo?

Até onde nós vamos para proteger aqueles que nós amamos?

Mais do que dar sustos nos leitores e nos deixar arrepiados, essas são as perguntas que terminamos nos fazendo no final de Hex.

“Eles pareciam pessoas que sabiam ter feito algo pavoroso, algo irreversível…e algo com o qual poderiam facilmente viver.”

Se interessou pelo livro? Você pode adquiri-lo aqui.

Aqui é a Liv do Resenhas Caóticas, e se você quer acompanhar mais as minhas leituras, me siga no Instagram @ResenhasCaóticas.
Livia Salzani

O Caminho de Volta: Superação no esporte e na vida

Previous article

O cinema independente vive (até na quarentena)

Next article

You may also like

18 Comments

  1. Eu nao costumo ler livros de terror mas sua resenha me deixou muito curiosa. Hahah acho que tá difícil um livro me prender assim. Vou dar uma chance. E as edições da DS não facilitam nossa vida, né?

  2. Eu gosto muito dos livros de terror e a capa desse me chamou atenção há algum tempo. Sabe como o povo da Darkside consegue fazer isso perfeitamente… rsrsrs Eu não sabia que tinha essa mistura de magia com tecnologia, gente, parece ter ficado incrível mesmo. Pela sua resenha deu super certo a combinação e agora eu quero ler. Achei interessante também como você escolhe suas leituras… acho que vou fazer isso quando quiser comprar livro novo…
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

  3. Concordo com você, para ler algo, leio sinopses, quando leio muitas resenhas do mesmo livro, muito raramente quero compra-lo, ou lê-lo. Realmente, a edição de Hex é bonita, como boa parte das edições da editora, porém, o que me afugenta, neste caso, é a própria editora, não cheguei a ler Hex, mas todas as vezes que me aventurei comprando um livro da Dark, que são caros, me arrependi amargamente. Entretanto, nas resenhas que li sobre o livro, vi muitas questões que gosto numa obra, por exemplo, quando você descreve o medo que pode gerar caos. Enfim, não compraria o livro, mas se ganhar de presente, vou ler com muito carinho.

    1. No caso eu ganhei esse livro mesmo, tenho mais alguns da editora pois sempre fico atenta a promoções que valem bastante a pena, pois os livros ficam em valores mais acessíveis e pela qualidade gráfica e da edição vale a pena.

  4. Uau, que resenha incrível! Confesso, que já tinha visto esse livro rolar muito pelas redes sociais mas nunca parei pra ler sobre o que se tratava. E agora tive um baque com esse tanto de informação, parece ser uma grande obra.
    Adoro muito histórias que no início nos deixam confusa, e aos poucos explicam os fatos. Pois depois tudo faz sentido, e ficamos com aquela cara de boba. Rs
    Eu nunca li terror, mas tenho curiosidade. E talvez esse seja um bom jeito de começar.
    Gosto muito de thrillers e suspenses, e esse parece se assemelhar a alguns livros que já li.
    Beijos,
    Subsolo da mente

  5. Hey Liv… Tô doidinha pra adquirir esse livro. Há tempos já. Mas, sabe quando a gente faz as compras e sempre deixa pra depois? Pois bem!!!
    Até hoje eu não tenho ele. E lendo sua resenha, a vontade de entrar de cabeça nessa história está grande, viu? Adoro temas assim, com bruxas e maldições envolvidas na história.
    Esto muito curiosa em tudo sobre essa obra.
    Vai pro topo das prioridades das próximas aquisições conjuntamente com Ghost Story.
    Beijocas

  6. Não tenho o costume de ler livros de terror – e se você ficou olhando para trás, eu provavelmente entraria em pânico! As pessoas que conheço e que curtem elogiam mesmo. Mas, as discussões que você aponta a partir da estória são de fato um incetivo para esquecer o medo e embarcar nessa leitura!

  7. Adorei conhecer esse livro: Hex! Eu, realmente, não me lembro de já ter lido um terror de monstros clássico na era moderna! Achei essa diagramação do livro fabulosa! Perfeito e intrigante o fato desse livro explorar os conflitos criados em uma sociedade convivendo com o medo, além de mostrar o que o medo faz com as pessoas. Porque gosto muito de enredos onde exploram essa natureza humana ou psicologia humana que vai gerar uma determinada ação da parte das pessoas. Muito interessante também apresentar essa questão de privacidade, hoje dia com a internet algumas pessoas costumam postar a vida toda nas redes sociais. Eu morro de medo disso! Dessa falta de privacidade ou ilusão da existência da mesma.

    1. O autor explora muito bem essas questões, é muito legal!

  8. Oii! Comprei esse livro na Bienal do Rio, no ano passado e o li em outubro (bem propício o mês, não é? rs). Bom, eu me senti completamente enredada pela história e não parava de pensar em tudo que ia acontecendo em Black Spring. No fim das contas, acabei não tendo um final tão forte como eu esperava, mas gostei muito. Me foi uma super experiência literária, tanto que gravei vídeo para o canal, postei resenha… Sobre sua resenha, a forma de apresentação do material, os quotes escolhidos… simplesmente incrível! Me senti acolhida neste cantinho! Muito obrigada!

  9. A resenha do livro me remeteu ao filme “A Vila”, pois fiquei pensando em pessoas que vivem com medo e isoladas. Essa edição,assim como outras edições da Darkside, é linda. O acabamento da capa, impecável. E o tema, aterrorizante. Abraços.

    1. Boa analogia!

  10. Oi, tudo bem? Já vi algumas pessoas indicando esse livro e o que mais me chamou atenção foi esse verde chamativo da capa. Só de olhar não imaginei que essa era a história. Vendo você falar do Skoob lembrei que faz tempo que não atualizo minhas leituras por lá. Aliás, não instalei ainda a nova versão que eles fizeram esse ano. Quando ao livro parece trazer um pouquinho de medo e reflexões. O ser humano quando acuado e com medo é capaz de qualquer coisa. Talvez seja a lei da sobrevivência. Um abraço, Érika =^.^=

  11. Não sou de ler terror, porém esse desde que lançou me sento tentada a ler. Além de uma edição belíssima a premissa sempre me chamou atenção. E adorei saber que logo no começo já ficamos presos na história. Adorei a resenha, só me fez ter certeza de que tenho que ler.

  12. Oi, Lívia. Então… Eu vi o grande marketing desse livro, mas apesar de curtir histórias de horror e que envolvam bruxas e afins, não me.senti tentada a ler.
    Pode ser que eu mude de ideia algum dia, mas é tanta leitura que quero de fato fazer pra priorizar que….😐

    Mas interessante qhe a leitura tenha te envolvido tanto. Ao ponto de ter pesadelos…nossa, vc realmente se jogou na trama…

    Küss 😘

  13. Que resenha perfeita. To chocada demaisssss
    Nao curto muito historia de terror entao nao me animei a ler mas se nao fosse por isso iria ler com certeza

  14. Oi Liv! Sempre q vejo alguém falando de Hex, fico extremamente animada e ansiosa. Sou louca pra ler esse livro, mas ainda não consegui nenhuma oportunidade decente pra adquirir. Adorei sua análise e saio daqui achando mais ainda que ele é a minha cara.
    Bjos

  15. Eu gosto muito desse livro, é um dos meus favoritos e estou na torcida para a Darkside traduzir logo o novo lançamento do autor. A narrativa é muito fluída, o fato de termos uma bruxa circulando em pleno século 21 é fantástico. Resenha ótima!

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Livros e HQs