0

Paternidade é o retorno de Kevin Hart ao catálogo da Netflix, dessa vez com um forte drama e importantes discussões.

Veja tudo o que você precisa saber sobre o filme, disponível no serviço de streaming.


Paternidade, ou Fatherhood, do inglês, é adaptado do livro ‘Two Kisses For Maddy: A Memoir Of Loss & Love’, baseado em uma história real.

Interpretado por Kevin Hart, o longa faz parte de sua produtora, a Hart Beat Productions e a mesma assinou uma parceria com a Netflix. Paternidade já estreou em alguns cinemas nos EUA mas agora entra de vez no catálogo do serviço de streaming.

Paternidade é o novo filme de Kevin Hart na Netflix

Foto: Divulgação

Mas qual a história do filme Paternidade?

Baseado nessa história real da vida do autor do livro, Paternidade é sobre um pai que precisar criar sua filha sozinho após a morte inesperada da mãe, logo após o nascimento da criança.

Mattew Logeline e Liz Logelin foram namorados na infância e se casaram em LA. Liz sofreu uma embolia pulmonar durante o parto e partiu sem ver o rosto ou segurar sua filha no colo uma única vez. E isso acabou mexendo bastante com a cabeça de Mattew ao longo dos anos que se passaram.


Trailer do filme

Paternidade Elenco

Surpreendentemente, o filme conta com uma longa lista de conhecidos atores.

Kevin Hart como Matthew Logelin e Alfre Woodard como Marian Melody fazem os papéis principais de pai e filho. Além deles, vemos também nomes como Hurd como Maddy Logelin, Anthony Carrigan como Oscar e Lil Rel Howery como Jordan.

Completam a lista, Paul Reiser como Paul, Deborah Ayorinde como Liz Logelin, DeWanda Wise como Swan e Teneisha Collins como Tessa.

Kevin Hart, o protagonista do filme, tem vários projetos de comédia espalhados por aí e também esteve presente no recente sucesso de Jumanji: The Next Level.

Foto: Divulgação

Antes de virar livro, Paternidade foi um Blog

Interessante notar que o livro em que Paternidade se baseou, anteriormente era um blog.

Logeline expressava sua tristeza e desespero na forma de textos depois que Liz morreu. Além de jogar toda essa dor para a tela do computador, aprimorou sua habilidade de escrever, escolhendo uma forma bem-humorada e agridoce para se conectar com outras pessoas que haviam passado pela mesma situação de perda.

Em seu blog, também escreveu sobre seu cotidiano daquela época, descrevendo momentos de partir o coração, além de situações simples e engraçadas que ele e a esposa experimentaram.

Os leitores podem entender as diferenças entre sentimentos como honestidade e a realidade nua e crua do luto em seus blog. Algumas pessoas até ofereceram apoio às publicações, nomeando e entregando itens que o pai poderia precisar para cuidar de Maddy após a partida da esposa.

Esses fatos acabaram não entrando tanto no corte final de Paternidade mas estão presentes no livro.

Durante o tempo de escrita, Logelin foi convertendo bastante acesso a seu blog, atraindo a atenção de quase 50.000 pessoas por dia. A simplicidade e a capacidade de identificação dos textos deixaram as pessoas viciadas na vida do rapaz. Após esse sucesso, ele resolveu transformar seu blog em um livro de memórias.

O livro foi batizado, em português literal, em algo como ‘Dois beijos para Maddy: uma perda de memórias e amor’. Este livro contém detalhes do amanhecer de Logelin com Liz, desde o início de sua jornada, com o namoro dos adolescentes, até o casamento. Junto disso, ele também mencionou os dias em que sua esposa estava grávida, os momentos do parto e sua precoce partida.

Paternidade está disponível no serviço de streaming da Netflix.

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Netflix