AODISSEIA
Especial

Os vilões do Universo Cinematográfico da Marvel

Listamos todos os antagonistas do pior para o melhor

24 de Abril de 2018 - 10:42 - Flávio Pizzol

Faltam poucos dias para Os Vingadores – Guerra Infinita finalmente chegar aos cinemas e o mundo espera que Thanos (Josh Brolin) roube todos os holofotes, tornando-se definitivamente o maior vilão que o Universo Cinematográfico da Marvel já criou. No entanto, antes do gigante roxo que quer devastar metade do universo com um estalar de dedos, nossos heróis precisaram enfrentar diversos vilões que, entre trancos e barrancos, deixaram seu nome na história.

Vários deles acabaram sendo classificados como uma deficiência dos longas, outros limitaram-se ao papel de mero degrau que ajuda no desenvolvimento do protagonista e uma pequena parcela chegou ao ponto de receber status de – quase – protagonista. Antecipando a chegada de um possível primeiro colocado para essa lista, vamos relembrar todos os antagonistas e classificá-los de acordo com sua qualidade/importância no universo. Sem delongas, vamos aos nomes que seguem a minha opinião e nada mais (é sempre bom deixar isso claro, né?):

 

Malekith

Filme: Thor – O Mundo Sombrio

Intérprete: Christopher Eccleston (Doctor Who)

O segundo filme da franquia liderada pelo Deus do Trovão é levemente melhor que a primeira incursão em Asgard, porém falha miseravelmente em algo que o longa anterior acertava em cheio: o vilão. Malekith, líder dos Elfos Negros, é mal desenvolvido e mal utilizado pelo texto, tendo pouquíssimo espaço para mostrar a que veio em qualquer discurso ideológico. Suas motivações, linhas de diálogos e as cenas de luta corpo a corpo são tão fracas que não existe maquiagem ou atuação decente que salva o espectador desse pesadelo.

 

Aldrich Killian

Filme: Homem de Ferro 3

Intérprete: Guy Pearce (Amnésia)

Desconsiderando o Mandarim como vilão e, de certa maneira, aceitando-o com uma mera peça de dissimulação usada tanto pelo roteiro, quanto pelo verdadeiro antagonista do terceiro longa do herói, podemos finalmente incluir o criador da tecnologia Extremis no fundão dessa lista. O visual de Aldrich é caricato, as motivações de vingança são extremamente fúteis e a conclusão da trama parece ter deixado algo importante de fora. Assim como na opção anterior, ele é certamente a pior coisa de todo o longa…

 

Emil Blonsky/Abominável

Filme: O Incrível Hulk

Intérprete: Tim Roth (Os Oito Odiados)

O vilão do Incrível Hulk não passa de soldado sem nenhuma motivação crível. Os roteiristas precisavam de um “tanque” tão grande quanto o Gigante Esmeralda e sequer se preocuparam em desenvolver bem um suposto senso de vingança que levaria Emil Blonsky a injetar o soro do supersoldado nele mesmo. É fraco e nem mesmo o General Ross – que deveria ser o grande vilão dos bastidores – cumpre seu papel com a eficiência que o longa precisava.

 

Darren Cross/Jaqueta Amarela

Filme: Homem-Formiga

Intérprete: Corey Stoll (House of Cards)

Mesmo acertando apenas em algumas oportunidades, a Marvel insiste repetidamente em criar vilões que sejam quase um espelho dos respectivos seus heróis e o Jaqueta Amarela é o exemplo perfeito disso. Seus poderes, por exemplo, são basicamente os mesmos do Homem-Formiga, mas esse nem é o verdadeiro problema porque se encaixa na inventividade das cenas de ação. Minha questão com o personagem está mais uma vez na motivação mal construída: Darren Cross é um empresário escroto que “nasceu” em um passado inexplorado com Hank Pym, enquanto o Jaqueta não passa de um alter-ego que decide matar seu oponente por mágoas óbvias.

 

Obadiah Stane/Monge de Ferro

Filme: Homem de Ferro

Intérprete: Jeff Bridges (A Qualquer Custo)

O Monge de Ferro é muito parecido como Jaqueta Amarela e também se encaixa no mesmo aspecto dos vilões que espelham os heróis. Não tem o melhor dos desenvolvimentos, nem foge de nenhum clichê, porém sua salvação está atrelada ao fato dessa ser a primeira incursão da Marvel nos cinemas. Não é um antagonista perfeito, mas cumpre sua função de apresentar o Homem de Ferro e ganha uma pequena salva palmas por ser interpretado pelo ótimo Jeff Bridges.

 

Ultron

Filme: Vingadores: Era de Ultron

Intérprete: James Spader (The Blacklist)

O vilão da tão esperada continuação de Vingadores é muito bem interpretado por James Spader e consegue, com muito esforço, cumprir seu papel no arco traumático de alguns membro da equipe, porém sofre com um roteiro desorganizado (que não tem a cara de Joss Whedon) e uma pós-produção bastante problemática. Isso faz com que um antagonista clássico que surge na tela da maneira mais impactante possível se transforme em um mero robô que almeja destruir o mundo. Um conceito repetitivo que não consegue ser bem desenvolvido e perde muito com a ausência – de última hora – de versão gigante. Uma opção que ao menos deixaria uma lembrança mais marcante na mente do público…

 

Alexander Pierce

Filme: Capitão América 2: O Soldado Invernal

Intérprete: Robert Redford (Conspiração e Poder)

Último nome a garantir um lugar nessa lista, esse agente infiltrado da Hydra perde alguns pontos por ter pouco espaço de tela como um vilão de verdade. Sua revelação surge apenas nos minutos derradeiros do longa e até rende um daqueles ótimos diálogos recheados de ameaça, mas não consegue chegar perto do peso alcançado por outros “vilões” que se relacionam com o mesmo e serão citados no decorrer do post. Só deixei seu nome aqui por consideração a esse ator que foi ícone do cinema de espionagem e cumpriu seu papel de participação de luxo no MCU.

 

Ivan Vanko/Whiplash

Filme: Homem de Ferro 2

Intérprete: Mickey Rourke (O Lutador)

Ao contrário da maioria dos vilões acima, Whiplash não fazia parte da minha lista de possíveis adversários para o Homem de Ferro em uma continuação. Ele chegou de fininho, contando com a boa atuação de Rourke, e só não funcionou em sua plenitude por falta de desenvolvimento, conexão emocional com o público e organização dentro de um filme que já é confuso por conta própria. No final das contas, o roteiro tenta empurrar uma divisão de antagonismo com um Justin Hammer que não merece ser classificado como tal e desperdiça um vilão com potencial para incomodar Tony Stark através de poderes e segredos do passado.

 

Kaecilius

Filme: Doutor Estranho

Intérprete: Mads Mikkelsen (Hannibal)

Está cansativo escrever isso em todos os tópicos, mas Kaecilius é mais um vilão que fica preso a regra de ser a antítese exata do protagonista: nesse caso, temos um mago inteligente e arrogante que, assim como Stephen Strange, conseguiu (e evoluiu rapidamente) seus poderes após um período de sofrimento. Apesar de contar com um ótima interpretação de Mads Mikkelsen, o vilão fica restrito ao papel de figura que o Doutor Estranho se tornaria caso sucumbisse ao lado negro da força, funciona como um degrau para o crescimento do mesmo e perde espaço por ser apenas o lacaio do grande Dormammu – um vilão clássico que ainda não vai figurar nessa lista porque apareceu por poucos minutos durante a ótima conclusão do longa e ainda deve retornar com mais espaço no futuro…

 

Johann Schmidt/Caveira Vermelha

Filme: Capitão América – O Primeiro Vingador

Intérprete: Hugo Weaving (Matrix)

Outro grande ator que, mesmo sendo o responsável pelo grande Agente Smith, precisou se contentar com um antagonista apenas mediano. Na verdade, dizer que o Caveira Vermelha – seu alter-ego nazista – não possuem um desenvolvimento digno ou não funcionam dentro da sua proposta seria uma mentira, mas eu acho que o aspecto caricatural e megalomaníaco parecem destoar do restante de um longa que tenta ser o mais pé no chão possível (excluindo o próprio Capitão) para um produto de super-herói. Além disso, eu ainda me pego esperando sua volta, já que seu aproveitamento não condiz com a grandiosidade do material original.

 

 

Ego

Filme: Guardiões da Galáxia Vol. 2

Intérprete: Kurt Russell (Os Aventureiros do Bairro Proibido)

Concebido nos quadrinhos como um “planeta vivo”, o personagem ganha pontos por ter alguma conexão emocional com os protagonistas, mas perde quase a mesma coisa por não ser bem aproveitado. Kurt Russell está perfeito e sua escolha como personagem se encaixa muito bem com a temática “pais e filhos” da continuação, porém o meu problema está em ver tudo culminar sempre na repetitiva ideia de dominar o mundo para reconstruí-lo do meu jeito. É uma motivação praticamente idêntica a de Ronan e o contexto só funciona razoavelmente graças ao texto de James Gun e a química de Russell com Chris Pratt. Em outras palavras: não bom, não é ruim e não chega nem perto de diminuir minha apreciação pelo longa.

 

Barão Zemo

Filme: Capitão América – Guerra Civil 

Intérprete: Daniel Brühl (Rush – No Limite da Emoção)

Considerado por muitos como o novo Mandarim graças ao suposto desperdício do título de um vilão clássico, o Barão Zemo é o típico exemplo de um antagonista que possui apenas a função narrativa de fazer a história andar. Não tem muito tempo de tela, nem chega a ter o desenvolvimento que seu intérprete (super talentoso) merecia, porém adiciona algumas camadas de sofrimento palpável a já batida trama de vingança contra os Vingadores e cumpre seu papel no todo. Este pode não ser o papel que o personagem merecia, mas foi o que ele recebeu e completou com algum mérito.

 

Ronan

Filme: Guardiões da Galáxia

Intérprete: Lee Pace (O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos)

O Acusador é mais um vilão básico que não possui grandes curvas de desenvolvimento ou motivações críveis, mas, contrariando a maior parte do que eu disse aqui, isso pode ser um ponto positivo em Guardiões da Galáxia. Assim como no primeiro Homem de Ferro, a Marvel já precisava lidar com a apresentação de um universo inexplorado, personagens pouco conhecidos do grande público e uma das Jóias do Infinito, logo decidiu sabiamente usar Ronan como um mero objeto narrativo dentro de um contexto maior. Pode ser descartável, mas é bem apresentado e cumpre suas duas funções: adversário a altura dos Guardiões e conexão com Thanos.

 

Hela

Filme: Thor – Ragnarok

Intérprete: Cate Blanchett (Carol)

A primeira e única vilã feminina estava no texto desde sua concepção, mas acabou fugindo da mente na hora de sair do papel. Um erro que não merecia ser cometido diante de uma personagem que chega muito perto do nível de desenvolvimento dos quatro líderes dessa lista graças ao texto sólido de Taika Waititi (que ainda adiciona pitadas de um sarcasmo muito bem-vindo aos diálogos) e a atuação divina de Cate Blanchett. As reviravoltas são rocambolescas e o final mediano, mas a presença de cena dessa mulher é um absurdo!

 

Soldado Invernal

Filme: Capitão América 2: O Soldado Invernal

Intérprete: Sebastian Stan (Eu, Tonya)

O nome de Bucky Barnes foi retirado desse título porque o arco de redenção que começou a ser construído no instante em que o personagem apareceu pela primeira vez tornou a decisão de colocá-lo aqui muito mais complicada. O Soldado Invernal acabou entrando de uma vez por todas para o hall de vilões da Marvel, mas seu papel de antagonista fica restrito ao agente da Hydra que matou nosso querido Howard Stark, subiu o nível do segundo filme do Capitão América com grandes cenas de luta e ainda protagonizou momentos de dualidade genuínos. Na real, apesar da dúvida sobre sua condição permanecer, preciso admitir que talvez esse aspecto emocional que existe entre o soldado e Bucky seja a grande força desse mestre na arte de usar facas durante a pancadaria.

 

Adrian Toomes/Abutre

Filme: Homem-Aranha: De Volta ao Lar

Intérprete: Michael Keaton (Batman)

Usando um personagem extremamente caricato nos quadrinhos como base, Michael Keaton apropriou-se do ótimo roteiro do longa em questão e criou um vilão palpável, crível e completo. Um vilão que cumpre seu papel cartunesco com uma armadura assustadora, deixa o espectador vidrado na tela com seus monólogos e possui uma motivação que fogem da maioria dos clichês usados até então no MCU. Além disso, ele revela ter uma relação pessoal com Peter Parker que resulta, praticamente ao mesmo tempo, em: uma reviravolta incrível e uma cena de enfrentamento que tem potencial para ser mais tensa de todos esses dez anos de produções.

 

Erik Killmonger

Filme: Pantera Negra

Intérprete: Michael B. Jordan (Creed: Nascido para Lutar)

A produção mais politizada e importante socialmente do estúdio não poderia ficar longe do topo, afinal Erik Killmonger talvez seja o único vilão da Marvel que faça o público pensar que sua maneira de pensar pode estar mais correta que a do protagonista. Ele repete a tal ideia de ser um espelho do herói em diversos aspectos (incluindo o uniforme), mas possui uma motivação muito bem construída, expressa seus ideais com firmeza, brilha numa interpretação de luxo de Jordan e encerra sua participação com uma frase extremamente poderosa sobre escravidão. Sem dúvidas, um dos muitos pontos positivos de um longa incrível!

 

Loki

Filme: Thor e Os Vingadores

Intérprete: Tom Hiddleston (Kong: A Ilha da Caveira)

Depois de ser apresentado com perfeição e roubar os holofotes de um filme protagonizado por um super-grupo, Loki (interpretado com um carisma de outro mundo por Hiddleston) decidiu descansar um pouco. Virou um anti-herói que funcionava quase como um sidekick do glorioso Deus do Trovão, porém nunca abandonou seus dotes de trapaceiro e aproveitou cada brecha para atingir seus objetivos. Eu acho que seu processo de redenção pode ser concluído com algum sacrifício em Guerra Infinita, mas nada vai derrubar a coroa desse ser que nos entregou reviravoltas incríveis, diálogos recheados de sarcasmo e o melhor monólogo de conquista – em Os Vingadores – que poderia ser escrito por um mero mortal.


Extra – Hydra

Filme: Vários

Intérprete: Vários

A Hydra está separada do restante do grupo porque não pode ser classificada como uma única vilã. Essa organização nazista,  que já foi apresentada através de várias faces, merece ser exaltada como uma verdadeira entidade vilanesca que pairou como uma nuvem negra por todas as fases do Universo Marvel. Ela foi peça importante nos longas do Capitão, deu o ar da graça em pequenas participações dentro de Era de Ultron e Homem-Formiga e continua sendo o lado maligno nas últimas temporada de Agents of SHIELD. Um grupo de antagonistas maior que Robert Redford, Soldado Invernal e Hitler merece uma atenção especial de nossaparte, não é?