curtas-metragens
0

Conhecidas como as categorias onde vamos fazer uma pipoca ou ir ao banheiro, os Curtas-Metragens do Oscar, sejam os live-actions, os de animação ou os documentais, estão sendo valorizados a cada dia, começando pela disponibilidade. A maioria dos 15 indicados, nas três categorias do Oscar desse ano, já estão disponíveis online (ou por outros meios, se é que me entendem).

Vamos começar pelos indicados a melhor curta live action de ficção, e é impressionante como todos, sem exceção, tem uma qualidade absurda e muitas vezes por simples preconceito ou preguiça, não buscamos prestigiar estas obras.

Segue a lista dos cinco indicados a curtas-metragens, do primeiro ao último em ordem de preferência:


5º) A Sister

https://www.youtube.com/watch?v=ymXw75Ptnec

Bastante parecido com o longa dinamarquês, “A Culpa”, o curta A Sister (Une Soeur) une uma vítima de sequestro que diz que está falando com sua irmã, a uma operadora da polícia. Mantendo as aparências durante seus 16 minutos, o curta mantém a tensão e a imprevisibilidade durante a maior parte do tempo. A direção de Delphine Girard traz a sensação de claustrofobia e as grandes atuações de Alie (Selma Alaoui), a vítima, e a operadora (Veerle Baetens), potencializam o sentimento.

 

4ª) Brotherhood

Co-produção entre 4 países e encabeçado pela Tunísia, Brotherhood fala sobre um pai (Mohamed Grayaâ) que tem a paz no seu lar abalada pela volta do filho, que retorna com uma esposa. Dirigido pelo canadense Meryam Joobeur, vemos um julgamento e uma relação abalada pela negligência e sentimento de abandono. São 25 minutos mesclados entre o amor da família e a dura realidade em que vivem.

 

3º) The Neighbors’ Window

O ditado: “A grama do vizinho é sempre mais verde” sintetizada numa produção audiovisual. No filme, o casal Alli (Maria Dizzia) e Jacob (Greg Keller) tem a vida abalada após presenciarem os novos vizinhos transando na janela. A partir daí, observar a vida se torna uma obsessão e um estudo sobre valorizar o que temos, sem cobiçar os bens e valores alheios. Dirigido por Marshall Curry e com 20 minutos de duração, o curta passa rápido, apesar do fim abaixo do esperado.

 

2º) Nefta Football Club

Pau a pau com o primeiro, Nefta Football Club ganhou meu coração ao unir a maldade do mundo sendo combatida e derrotada pela inocência das crianças. Com seus 17 minutos, o curta francês de Yves Piat conta a história de 2 irmãos que encontram uma mula com um headphone, carregando um material misterioso. Andando numa linha tênue entre a calmaria e o completo desastre, o filme termina de maneira brilhante.

 

1º) Saria

curtas-metragens

 

Presente no primeiro lugar por ser baseado numa história real, Saria é sem dúvida o curta mais forte da premiação e o grande favorito ao prêmio de curtas-metragens. Com pouco mais de 23 minutos, o filme é baseado no incêndio que atingiu o abrigo Hogar Seguro Virgen de la Asunción, na Guatemala em 2017, e vitimou 41 mulheres num albergue, onde meninas menores de idade eram enviadas. Acompanhamos as irmãs Saria (Estefanía Tellez) e Ximena (Gabriela Ramírez) e as tentativas de interromper a rotina de abusos sofridas dentro da instituição. Escrito e dirigido por Bryan Buckley, o que vemos é uma história de sororidade, revolução, e muita luta, que infelizmente teve um final trágico.

Tiago Cinéfilo
Há 4 anos nessa viagem. Estudante de Rádio, TV e Internet. Ex-Clock Tower, ex-Cinema Com Rapadura e ex-fã de The Walking Dead.

Judy: Um filme muito abaixo de sua estrela

Previous article

PODSEIA 037 – AS APOSTAS DO OSCAR 2020

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Especial