0

Onde Está Meu Coração é a nova série do Globoplay que terá seu piloto exibido em Tela Quente, da TV Globo. 

Na série, Letícia Colin vive uma médica que perde o controle de sua vida para as drogas em uma São Paulo bem tensa e dura de viver. 


Onde está meu Coração, nova produção do Globoplay chega à plataforma do serviço de streaming nessa terça, 04 de maio, mas na segunda, dia 03 será exibida em Tela Quente, com seu piloto na íntegra.

Onde está meu coração estreia no globoplay e tela quente

Foto: Divulgação Globoplay

A História de Onde está meu Coração

Na história, Amanda, vivida por Leticia Colin, é uma jovem médica, bem-sucedida e cheio de sonhos na vida, proveniente de uma família de classe alta. Contudo, ela se deixa levar pelo prazer fugaz das drogas sem conseguir mais dar conta da sua vida profissional e afetiva.

Ao seu lado os pais da jovem, a executiva Sofia, vivida por Mariana Lima e o médico David, interpretado por Fábio Assunção, junto com seu marido, o arquiteto Miguel, aqui Daniel de Oliveira, e sua irmã Julia, protagonizada por Manu Morelli, também acabam envolvidos quando a situação de Amanda perde o controle.

Quando se revela a fragilidade da estrutura familiar, até então inquestionável, todos precisam enfrentar seus dramas pessoais, segundo sinopse oficial de Onde está meu Coração divulgada pela própria Globo.


+++ iZombie: Conheça a popular série baseada em quadrinhos que estreia no Globoplay

Trailer

O que dizem os atores e produtores

Onde está meu Coração é escrita por George Moura e Sergio Goldenberg, que também estiveram envolvidos em O canto da sereia (2013) e Onde nascem os fortes (2018). A série é dirigida por Luísa Lima.

“As drogas circulam no nosso mundo social com muita fluidez, como o álcool e o cigarro, que são drogas legais”, afirma Letícia Colin.

Segundo ela, você fala que tem diabetes, pressão alta, mas não diz ‘eu sou dependente químico’, pois o termo está carreado de julgamentos morais e pode ser prejudicial para a pessoa.

George Moura diz que “a ideia central não foi falar da classe média, porque ‘Onde Está Meu Coração’ não é uma série sobre drogas é uma série sobre as relações familiares e como a doença da dependência química afeta não só o dependente, mas todo o seu entorno”.


+++ Balthazar: Do que se trata a série que estreia no Globoplay?

Foto: Divulgação Globoplay

Uma sociedade doente

Onde está meu Coração também faz um diagnóstico da relação da dependência química com as pressões da vida contemporânea.

“Eu acho que a gente tem nesse texto essa oportunidade de falar do crack que é uma droga que se apresenta com sintoma da nossa sociedade. De uma sociedade adoecida, de uma sociedade que experimenta essa necessidade de um alívio diante que vive, diante da necessidade de alta performance”, declara Luisa Lima ao portal Contigo.

Em seu primeiro trabalho como diretora artística após quase duas décadas na Globo e Globoplay, e participação decisiva em projetos como ‘Insensato Coração’, ‘Sangue Bom’, ‘O Rebu’, ‘Justiça’ e ‘Onde Nascem os Fortes’, Luisa também afirma interessante a série ser exibida em Tela Quente.

Já para Sérgio Gondenberb, a idade da protagonista também ocupa um ponto central na trama. Recém-formada e buscando espaço em sua profissão, ela se sente pressionada o tempo todo e busca nas drogas um alívio das pressões cotidianas.

“A cobrança do jovem que está se inserindo no mercado de trabalho, encontrando o seu lugar, ela é muito forte, aí vem a necessidade de uma válvula de escape ou de alguma possibilidade para escapar dessa pressão, ela é muito intensa. Sobretudo no caso da Amanda, que o pai é o médico bem-sucedido”, afirma também à revista.

Foto: Divulgação Globoplay

São Paulo é uma trama central em Onde Está Meu Coração

Não por acaso a escolha de São Paulo foi tema para ambientar a série Onde está meu Coração. Toda a arquitetura da maior metrópole da América Latina, junto de seus prédios imensos e uma selva de concreto, a cidade amplifica esse tom de desespero que desejam passar.

“A cidade de São Paulo, essa São Paulo, cidade de pedra, é tão fascinante, é tão rica, é tão incrível, mas, ao mesmo tempo, às vezes, é tão opressora”, afirma George Moura à Quem. A diretora artística diz que o público precisa ficar ligado em todas as locações, principalmente no apartamento de Miguel e Amanda, protagonistas vividos por Letícia Colin e do Daniel Oliveira.

“É um apartamento de linhas retas, muito de concreto, de muito envidraçado, é um apartamento que traz uma coisa cosmopolita, mas ao mesmo tempo um tanto fria e brutalista. Assim, nesse sentido do que se refere a esse momento contemporâneo e a essa sociedade que São Paulo é um expoente como grande metrópole do sul”, completa.

Foto: Divulgação Globoplay

Fábio Assunção também teve problemas com as drogas

Fábio Assunção, hoje com 49 anos, vive um momento bem mais feliz e tranquilo em sua vida profissional e pessoal. Além de estar envolvido com a produção e divulgação de Onde está meu Coração, no Globoplay e em Tela Quente, da Globo, o ator também possui alguns projetos em desenvolvimento que ainda não pode revelar.

Na série, ele será o médico David, pai de Amanda e apresentará conflitos em uma família devastada pela dependência química da filha.

Segundo Fábio, é muito importante a oportunidade de poder abordar o tema da dependência química na ficção. “É um assunto muito bem resolvido na minha cabeça. É preciso falar sobre a dependência química. O álcool, por exemplo, é uma droga pesadíssima. Acidentes horríveis acontecem pelo uso de álcool, crimes de violência doméstica… Somos vulneráveis”, completa.

O ator também destaca a qualidade da produção de Onde está meu Coração, com todas as suas viradas, locações e atuações.

“Essa série é um ponto de virada e fala sobre o desmoronamento de uma família. Ele é um pai apaixonado pela filha, personagem da Letícia Colin. Quando vê a filha dependente de crack, ele se desorienta completamente e decide por uma internação compulsória. Mas como um tratamento vai ter efeito em um tratamento obrigatório? A dependência química é tratada de forma mítica.”

Para ele, a chance de debater o assunto na série e também em Tela Quente é bastante positiva.

“A sociedade não discute o tema. A gente vê adolescentes se embriagando e a galera achando astral. Quando acontece dentro de casa, aí você se debruça sobre o assunto. Acho uma grande oportunidade do tema ser discutido de forma adulta, sem a questão da exclusão.”

Tratando o assunto com muito respeito e sinceridade, Onde está meu Coração está disponível no catálogo do Globoplay e também foi exibido em Tela Quente, da globo.


Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *