Náufrago Tom Hanks
0

Há 20 anos, Náufrago, um clássico do cinema, começava sua jornada de sucesso pelas salas brasileiras.

Quase ninguém acreditava, na época, que a história de um entregador perdido numa ilha deserta poderia fazer sucesso, mas Tom Hanks e sua turma fizeram questão de mostrar que todos estavam errados.

Eles arrecadaram 430 milhões de dólares após poucos meses em cartaz no mundo todo, conquistaram vários prêmios e ainda se tornaram parte importante da cultura pop com momentos que são repetidos até hoje.

Ou vai dizer que você não lembra do visual barbudo do protagonista ou do seu icônico grito por “Wilsooooon“?

É em nome de tantas sequências inesquecíveis que nós vamos celebrar a estreia nacional de Náufrago com 14 curiosidades incríveis. Será que você conhece alguma?


+++ 8 curiosidades sobre Jumanji: Bem-Vindo à Selva

Náufrago Tom Hanks

Foto: Divulgação

1. Tudo começou com uma reportagem

Eu sei que alguém vai perguntar isso, mas não… Náufrago não é baseado em uma história real.

No entanto, a premissa nasceu por causa de uma reportagem lida pelo próprio Tom Hanks. Em 2017, ele chegou a falar sobre esse fato em uma mesa redonda da revista The Hollywood Reporter:

Eu estava lendo um artigo sobre a FedEx e percebi que 747s (os aviões) cheios de pacotes voam pelo Pacífico três vezes por dia. E eu pensei: ‘O que acontece se eles caírem?”

Ele levou essa ideia para o diretor Robert Zemeckis e para o roteirista William Broyles Jr. (com quem ele havia trabalhado em Apollo 13). Seis anos depois, Náufrago chegou aos cinemas.

2. Abordagens não convencionais

Vários filmes de sobrevivência já tinham sido produzidos quando Náufrago começou a ser escrito. Por isso, Tom Hanks insistiu que o longa tivesse uma abordagem diferente da maioria dessas produções.

A proposta do ator era excluir forças externas, como piratas, bandidos ou canibais, para explorar a relação do protagonista com os elementos naturais. Assim, eles conseguiriam focar não só na sobrevivência, mas também no efeito que o ambiente teria sobre Chuck Noland.

3. Roteirista isolado

Não podemos afirmar se as exigências de Hanks tiveram alguma influência sobre as decisões de William Broyles Jr., mas é verdade que ele não pegou leve na sua própria preparação.

Durante o processo de escrita, o roteirista passou vários dias isolado em um campo de sobrevivência localizado no México. Ali, ele aprendeu a caçar e pescar, comeu arraias, abriu cocos com as próprias mãos e até encontrou uma bola Wilson perdida na praia.

Vários elementos que ele adicionou ao roteiro junto com certos detalhes emocionais da experiência. Em uma entrevista, ele comentou sobre a importância daqueles dias:

Foi quando percebi que não era apenas um desafio físico. Também seria emocional e espiritual”

Náufrago Tom Hanks Wilson

Foto: Divulgação

4. Reescreve de novo, irmão

Reescrever o roteiro mais de uma vez é algo normal numa produção de Hollywood. Mas fazer isso 125 vezes talvez fuja um pouquinho dos padrões.

Só que foi exatamente isso que aconteceu com o texto de Náufrago. Ao lado de Robert Zemeckis e Hanks, William Broyles Jr. fez vários e vários rascunhos até chegar em algo que os três consideraram ideal.

No entanto, apesar do número de reescritas chamar a atenção, os detalhes mais curiosos estão nas ideias que foram jogadas fora durante tal processo. Só pra você ter noção, entre as ideias descartadas estavam a possibilidade do filme ser uma comédia e uma sequência onde Wilson ganhava vida, chegando a falar com o protagonista.

5. Filmagens em duas etapas

Muita gente não sabe, mas as filmagens de Náufrago precisaram ser divididas em duas partes.

Na primeira fase, eles gravaram todas as cenas antes do acidente e alguns momentos iniciais na ilha. Depois pararam por quase um ano para que Tom Hanks conseguisse perder peso (quase 20 quilos no total) e deixar a barba crescer.

E, como na época não era possível tirar os pelos através de efeitos digitais, isso significava ficar sem trabalhar por meses. Um detalhe que nos leva a outra curiosidade relacionada…

6. Tirar férias é para os fracos

Cada minuto de uma produção cinematográfica custa alguns milhares de dólares. Essa conta que envolve, entre tantas coisas, o aluguel de espaços, os seguros de vida e os salários de trabalhadores que recebem independente do status da produção.

Ou seja: manter as filmagens de Náufrago paradas por quase doze meses, sem abrir mão de nenhum contrato, iria aumentar (e muito) o orçamento do longa.

A solução encontrada por Robert Zemeckis foi não tirar férias e gravar outro longa, com a mesma equipe, durante esse intervalo.

A única maneira de fazer com que isso se tornasse fiscalmente sólido era fazer outro filme no meio, para que eu pudesse colocar a produtora em outro filme e não tivéssemos que pagar às pessoas para ficarem sentadas por um ano”

O resultado disso foi Revelação, um drama escrito por Clark Gregg (sim, o Coulson de Agents of S.H.I.E.L.D) e estrelado por Harrison Ford e Michelle Pfeiffer. Tanto ele quanto Náufrago foram lançados no mesmo ano e marcaram presença na lista de maiores bilheterias do período.

Belo acerto, né?

7. Experiência mortal

Muita gente ficou com medo quando Tom Hanks se tornou um dos primeiros artistas a lutar contra o Coronavírus, mas nem todo mundo que nós poderíamos ter perdido seu talento muito antes.

No finalzinho das gravações em Fiji, o ator cortou a perna e se recusou a tratar pra não interromper o trabalho. Entretanto, esse tempo sem tratamento fez com que a ferida infeccionasse e chegasse muito perto de causar septicemia.

Segundo os médicos, Hanks estava muito próximo da morte.

Para nossa sorte, isso não aconteceu. Porém ele precisou ficar internado e interromper as filmagens por três semanas, já que estava proibido de entrar na água.

Náufrago Wilson

Foto: Divulgação

8. FedEx

Durante anos, vários boatos aqueceram a discussão sobre a participação da FedEx em Náufrago. Alguns falavam que eles pagaram uma nota para fazer parte de um dos maiores casos de publicidade inserida da história, enquanto outros diziam que a empresa negou ajuda porque a queda do seu avião (algo que nunca tinha acontecido até então) não seria uma imagem positiva pra marca.

No entanto, nenhum dos lados está totalmente certo.

A FedEx não pagou nenhum tostão para a produção de Náufrago, mas também não negou ajuda. Ela ficou nesse meio-termo que incluiu a liberação da identidade visual, o fornecimento de locais de filmagem em suas sedes e outros detalhes de apoio logístico.

9. Wilson não está sozinho

Wilson é um dos personagens inanimados mais famosos da história do cinema, mas nem todo mundo sabe que ele não estava sozinho. Isso porque, além da bola de vôlei, Robert Zemeckis fez questão de escalar uma copiadora específica para a primeira cena entre Tom Hanks e Helen Hunt.

O designer de som Randy Thom coentou sobre essa decisão nos comentários do DVD.

Bob (o diretor) escolheu aquela copiadora por causa do som. Ele testou várias copiadoras e queria uma que tivesse um tipo de ritmo musical. Na pós-produção, tentamos aumentar o som daquela copiadora. Bob foi bom o suficiente para ouvir nossas tentativas, mas ele disse: ‘Não, eu gosto do original’, e foi esse que usamos”

A pergunta que fica é: será que a copiadora sortuda tinha o mesmo agente da bola?

10. Uma bola muito especial

Hoje a Wilson (empresa de material esportivo) já produz, em larga escala, versões da bola apresentada no filme. No entanto, a realidade não era a mesma em 2001.

Graças ao sucesso do filme e do personagem, uma das três bolas usadas nas filmagens foi leiloada pelo valor de 18 mil dólares. Pode parecer absurdo, mas vale lembrar que estamos falando de uma bola que venceu o prêmio de Melhor Objeto Inanimado no Critic’s Choice Awards daquele ano.

É definitivamente uma bola especial!

11. Sem trilha sonora

Talvez você não tenha notado, mas Náufrago não tem uma trilha sonora comum. Digo isso porque, seguindo o caminho oposto da forma carregada como Hollywood trata a música incidental, o longa abriu mão desse durante as cenas da ilha.

Robert Zemeckis e Alan Silvestri (seu compositor habitual) chegaram a fazer várias tentativas, mas, como o próprio diretor explicou, não chegaram a um bom resultado.

Sempre soube, assim que comecei a gravar o filme, que não haveria música. Fiz minha diligência, tentei música temporária e tive longas conversas com Silvestri, mas simplesmente não funcionou. A música é complicada, pois leva o público ao que eles deveriam estar sentindo”

No lugar das tradicionais notas musicais, o designer de som Randy Thom fez a trilha com vários efeitos sonoros típicos de uma ilha. Enquanto isso, Silvestri trabalhou, de forma limitada, em composições originais para as cenas fora da ilha.

Náufrago Tom Hanks Wilson

Foto: Divulgação

12. Uma parceria com cheiro de Oscar

Além do sucesso absoluto nas bilheterias, Náufrago também conquistou duas indicações ao Oscar nas categorias de Melhor Som (justificado na curiosidade acima, né?) e Melhor Ator.

Não levou nenhuma estatueta para casa, mas deixou claro que a parceria entre Tom Hanks e Robert Zemeckis tem cheiro de prêmio. Forrest Gump e O O Expresso Polar estão aí pra comprovar

Inclusive, vou fugir rapidinho do tópico Náufrago pra dizer que a parceria deve ser retomada em breve. Afinal, os dois estão envolvidos na adaptação live-action de Pinóquio que a Disney vai produzir nos próximos anos.

13. What’s in the box?

Se você ainda não assistiu Náufrago, fuja desse tópico.

Assim como acontece em Seven, o final de Náufrago gira em torno do conteúdo de uma caixa misteriosa que inspira a sobrevivência de Chuck. A diferença entre as produções é que essa nunca é aberta em cena.

No entanto, segundo um dos rascunhos que foi divulgado na internet, essa cena existia. Sua descrição é a seguinte:

Casualmente, ele se estica e a abre com uma faca de pedra. Dentro, ele encontra duas garrafas de molho verde. E uma carta.

A carta era de Bettina (interpretada por Lari White), uma mulher que implorava pela volta do marido, Dick. Como vemos no início do filme, e na cena final entre os personagens de Hanks e White, o homem ficou na Rússia com sua amante.

A cena deve ter sido cortado após uma das várias sessões-teste enfrentadas pelo longa, visto que seu conteúdo não adicionava muita coisa ao todo. Só garantiria seu tempo como náufrago teria um bom tempero…

14. O início de Lost

Você sabia que Lost não existiria sem Náufrago? Pois é possível que essa seja a mais pura verdade.

Reza a lenda que, após o sucesso estrondoso nas salas de cinema, um executivo do canal ABC tentou adaptar o filme para a televisão. Ninguém nunca revelou o conteúdo do projeto, mas supõe-se que a ideia descartada foi recuperada alguns anos depois e transformada num dos maiores sucessos da nossa geração.

Pessoas perdidas em uma ilha… Faz sentido, né?


Náufrago está disponível no Prime Video e no Telecine Play


Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

Flavio Pizzol
Nascido em uma galáxia muito distante, sou o construtor original dessa nave. Aquele que chegou aqui quando tudo era mato. Além disso, nas horas vagas, publicitário, crítico de cinema, aprendiz de escritor e músico de fundo de quintal. PS: Não sabe trocar a sua imagem do perfil...

A Escavação | Conheça a história real e os detalhes do filme da Netflix

Previous article

Em Busca de Ohana | Saiba mais sobre o filme da Netflix

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes