AODISSEIA
Livros e HQ's

Livros e HQ’s: Pantera Negra – Origem

Foi dada a larga para o filme do Pantera Negra!

13 de janeiro de 2018 - 08:17 - Tiago Soares

Falta um pouco mais de 1 mês para a estreia do filme solo do Pantera Negra, que foi apresentado e interpretado por Chadwick Boseman em Capitão América: Guerra Civil. De lá pra cá muito se especula sobre o filme de Ryan Coogler (Creed), já que ele trará uma abordagem mais séria – que combina com o tom do personagem – além a claro, da mudança de ambiente.

Veremos Wakanda pela primeira vez, e toda a construção de cenários, figurinos e direção de arte é algo que me enche os olhos e eu espero que acertem. A exemplo do que fizemos com Dr. Estranho, vamos trazer algumas reviews de HQ’s do heróis pra você ir se preparando para o filme que estreia dia 15 de fevereiro aqui no Brasil.

Leia Mais:

Pantera Negra e seu DNA


– Quarteto Fantástico: Edições #52, #53 e parte da #54

Ao contrário do que muitos podem pensar, o Pantera Negra não estreou numa revista própria, o que era algo muito comum nos anos 60, um personagem ser introduzido na revista de outro herói, até ganhar seu próprio título. Foi aí então, que o Rei de Wakanda foi introduzido, nesse mini arco, que juntamente com sua presença trouxe também Ulysses Klaw, o Garra Sônica. O Pantera Negra só ganharia título próprio em Jungle Action – a partir do número 5, em 1973.

Reed Richards, Susan Storm, Ben Grimm (O Coisa) e Johnny Storm, são convidados pelo rei T’Challa, para uma caçada em Wakanda. Chegando lá, eles se dão conta que serão a própria caça e terão que fugir de todas as armadilhas do Pantera Negra. O texto deveras didático de Stan Lee pode parecer chato as vezes, já que ele narra cada ação do Pantera, mas tudo é compensado pela belíssima arte de Jack Kirby, que contrasta tecnologia e selva de maneira orgânica.

O último filme do Thor, foi uma grande homenagem a Kirby, e eu, que conhecia muito pouco da arte do desenhista, pude me maravilhar a cada página. Seus fundos coloridos, dando peso e tonalidade a cada quadro são lindos de ver. O Quarteto consegue sair ileso graças a ajuda de Wyatt Wingfoot, amigo da faculdade de Johnny, uma carta fora da manga.

Na edição seguinte, T’Challa, o Pantera Negra – já “amigo” do Quarteto – decide contar a sua história, e acompanhamos um longo flashback (completamente rejeitado pelo Coisa), de 10 anos atrás, aonde Ulisses Klaw chega a Wakanda para roubar seu bem mais precioso, o Vibranium, metal fictício do Universo Marvel, do qual é feito o escudo do Capitão América. Wakanda é a principal fonte dessa riqueza e cabe ao rei T’Chaka, pai de Tchalla proteger a iguaria.

T’Chaka acaba morrendo em batalha para Klaw, e o sentimento de vingança cresce no pequeno T’Challa, que consegue deter Klaw temporariamente, imobilizando a mão direita do vilão, possibilitando assim seu novo nome. A caçada ao Quarteto, servira então como uma espécie de treinamento para o Pantera. Coincidentemente e com a suspensão de descrença ligada, o texto de Stan Lee coloca Klaw de volta a Wakanda, exatamente quando o Quarteto está lá.

A ação é maravilhosa graças o desenho de Kirby, apesar do texto de Lee dar algumas derrapadas em algumas situações risíveis e inverossímeis. Pantera Negra fica cara a cara com seu arqui-inimigo, aquele que matou seu pai e consegue derrotá-lo (depois de muita conversa que deixaria o Coisa entendiado), pelo menos temporariamente.

Na edição #54, o Pantera aparece apenas no início, se despedindo do Quarteto e dando presentes pela ajuda. Logo depois a edição continua na saga de Jonhy Storm em libertar Cristalys, sua namorada Inumana. Ulisses Klaw ainda voltaria na edição #56 para enfrentar o Quarteto, mas apenas como um mero saco de pancadas.

A apresentação do Pantera Negra é tímida em seu início e apesar das poucas edições apresenta um mundo rico – tanto narrativamente – como visualmente falando. Se o roteiro de Lee não foi dos melhores, a arte de Kirby compensa tudo.


Obs: A revista conta a parte de uma side quest aonde os Inumanos estão presos em uma barreira, mas decidi não mencioná-la já que o foco é o Pantera Negra.