0

Continuando com minha série de criticas a HQ’s da DC Comics, decidi já entrar no clima do Natal e falar sobre uma das adaptações que editora fez da super conhecida história de Charles Dickens em uma edição curta e bem interessante. Essa não é a primeira adaptação desse conto que utiliza o Batman como protagonista, mas a HQ escrita e desenhada por Lee Bermejo realmente me surpreendeu em alguns aspectos como nesse Batman Noel.

Se você não conhece o material original ou nunca viu nenhuma das milhares de adaptações já realizadas do conto de Dickens, a história segue um velho ranzinza e muito rico, chamado Scrooge, que é visitado por três espíritos do Natal e muda sua maneira de ver o mundo. A história contada na HQ é basicamente a mesma, tirando o fato de que o Batman assume o papel de Scrooge e outros personagens importantes da DC assumem o manto de serem seus fantasmas do passado, presente e futuro.

Sendo um pouco mais específico, o Batman está perseguindo o Coringa de uma maneira quase obsessiva e resolve utilizar Bob, um dos capangas do palhaço, como isca para encontrá-lo. A questão é que ele está cego pela sua caçada e não consegue ver que Bob só faz esse trabalho por falta de opção. É aí que os fantasmas entram em ação.

Como vocês podem perceber a adaptação é feita de maneira quase literal e muitas vezes usa o material original como uma muleta para sair de situações mais complexas, entretanto o roteiro, que conta com a primeira investida de Bermejo nessa área, é em sua maioria muito inventivo e bem escrito. O que mais me chamou atenção positivamente foi a forma como ele insere os fantasmas e o fato de que a presença deles se confunde com a gripe e com a possível morte do protagonista, fazendo com que a HQ seja extremamente fantasiosa sem perder o tom de realidade que é típico do Homem-Morcego.

E se esse foi o caminho que Bermejo encontrou para provar sua capacidade como escritor, ele não precisa de tanto trabalho para mostrar sua competência como desenhista. Todos os personagens são muito bem desenhados e conseguem chamar a atenção pela quantidade de detalhes presentes nos rostos e nos uniformes de cada um deles. E a mesma coisa acontece com Gotham, já que ela é representada com muitos aspectos que apresentam uma cidade derrotada, dominada pelo frio e parte de um cenário perfeito para um filme noir.

Tudo isso é completado por um trabalho genial da sua parceira, a colorista e arte-finalista Barbara Ciardo, no trabalho de finalização da obra. Da mesma forma que Lee, ela não deixa passar nenhum detalhe, trabalha o jogo de luz e sombra de maneira sublime (principalmente na aparição do Superman) e utiliza uma paleta de cores que casa com os desenhos e faz com que cada um deles saltem para fora das páginas de Batman Noel.

Batman Noel

No fim das contas, Batman Noel é uma ótima HQ e pode ser considerada uma adaptação digna para esse mágico conto de Dickens. Pode até escorregar um pouquinho no seu roteiro, mas o geral é muito bom e o contentamento é garantido pelas artes que ocupam as páginas de maneira espetacular. Considerando ainda que a Panini lançou o conto inteiro em apenas uma edição encadernada, eu realmente acho que essa é uma história obrigatória para os fãs do Homem-Morcego, das outras obras desenhadas por Lee Bermejo e até para os fãs de quadrinhos em geral.

OBS: Inclusive, o uniforme do Batman parece bastante com o que vai ser utilizado em Batman vs. Superman. Será que Lee Bermejo vai ser fonte de inspiração de Zack Snyder, junto com Frank Miller.

Flavio Pizzol
Nascido em uma galáxia muito distante, sou o construtor original dessa nave. Aquele que chegou aqui quando tudo era mato. Além disso, nas horas vagas, publicitário, crítico de cinema, aprendiz de escritor e músico de fundo de quintal. PS: Não sabe trocar a sua imagem do perfil...

007 Contra Spectre

Previous article

Master of None (1ª Temporada)

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Livros e HQs