AODISSEIA
Especial

Horror Expo 2019: O Fyre Festival do Terror!

Evento continua com problemas graves


20 de outubro de 2019 - 17:17 - Tiago Soares

O segundo dia da Horror Expo 2019, teve algumas melhorias em relação ao primeiro dia, mas que foram completamente ofuscadas pelos problemas que a feira apresenta. O sentimento de frustração é enorme, tanto para o amante de terror que vos fala: host e editor do podcast de terror da casa, o “Eu Não Acredito em Nada”, quanto para o público em geral.

 

Segurança

Durante os 2 dias iniciais do evento estávamos como imprensa, e já estranhamos o fato de não sermos revistados na entrada (algo extremamente comum em outros eventos), principalmente nos tempos de hoje. Ao saber que o público também não era revistado, o choque foi ainda maior.

É de uma irresponsabilidade tremenda que um evento deste porte, com um preço tão alto, não ofereça o mínimo de segurança para os transeuntes. Além disso, o grupo de k-pop High School que tocaria na sexta-feira, foi completamente rechaçado pelo público presente, que queria ouvir a banda de metal que tocaria em seguida.

Mencionamos no texto anterior que o grupo de meninas tocaria às 15h da sexta, mas por problemas técnicos os shows foram movidos para a noite, no encerramento do dia. Quando o grupo chegou no palco, foi ameaçado por gritos de ódio e ameaças, o que as fez ficarem com medo de se apresentar. Aliás, o público da feira é quase que exclusivamente o “metaleiro de cabeça fechada”, que não aceita uma música diferente daquela que gosta.

Sendo assim, o evento colocou as meninas para se apresentarem 2 vezes no sábado, não pensando nas pessoas que foram apenas na sexta, dia mais “barato” da Horror Expo.

 

Falta de Estrutura (e de noção…)

Quando não se tem dinheiro para entregar uma determinada experiência de qualidade no seu produto, e você acaba prometendo e vendendo isso, não prometa! Um dos maiores erros da Horror Expo 2019 foi realizar um evento no mesmo local e no mesmo final de semana da Expo Cristã. Além de aumentar o preço dos táxis e motoristas de aplicativo, as histórias de pessoas que se confundiam (devido a má sinalização) para diferenciar a entrada de ambos, eram inúmeras. Sem contar o som da feira evangélica, mil vezes mais eficiente do que os ruídos da Horror Expo, que era por vezes abocanhada pelos louvores.

O inadmissível ainda estava por vir quando a Sony Pictures, cancelou a pré-estreia exclusiva de Zumbilândia 2 por incompatibilidade técnica. Algo totalmente compreensível quando se olhava para o “cinema” que a feira montou. Uma tela nada convidativa, um sistema de som que seria engolido pela feira do lado, algumas cadeiras e nenhum tipo de imersão, algo necessário para uma boa sessão.

Qualquer pessoa que passasse bem próximo de onde o longa estava sendo exibido, ia parar pra ver e até mesmo tirar fotos ou filmar, o que seria prejudicial para o filme que estreia na quinta-feira (24). Mesmo com motivos convincentes, a ausência de um aviso prévio por parte da organização da feira relacionado ao transtorno, teria sido o mínimo.


Diante de todos o problemas, a Horror Expo 2019 ainda tem alguns bons momentos, que serão explorados no próximo texto.