0

O filme Histórias Cruzadas, ou The Help no original,de 2011 narra um grupo de mulheres e suas empregadas negras no Mississippi, durante o Movimento pelos Direitos Civis nos Estados Unidos.

Pela proximidade dos fatos aplicados, não só por Tate Taylor, responsável pela direção do filme, mas também pela atuação de Viola Davis, Octavia Spencer e Emma Stone, muita gente se pergunta se, de fato, Histórias Cruzadas é baseado em fatos reais.

Vamos descobrir.

histórias cruzadas filme com octavia spencer

+++ Narciso em Férias: Conheça o documentário de Caetano Veloso no Globoplay
+++ Amor e Sorte: Série com Fernanda Montenegro foi gravada inteiramente durante a quarentena 

Qual o enredo de Histórias Cruzadas?

No filme, baseado no romance homônimo de Kathryn Stockett de 2009, a aspirante a escritora, Skeeter, vivida por Emma Stone, decide escrever um livro do ponto de vista das empregadas domésticas sobre as famílias brancas para as quais trabalham, junto das dificuldades que as mesmas sofrem regularmente. Novas amizades e laços são formados, e Skeeter acaba abalando seu próprio status quo quando essas histórias não contadas são compartilhadas com o público em geral.

O elenco repleto de estrelas inclui Octavia Spencer, Viola Davis, Jessica Chastain, Allison Janney, Sissy Spacek, Bryce Dallas Howard e muitos outros. Histórias Cruzadas foi indicado a quatro Oscars, e Spencer levou para casa a estatueta de Melhor Performance de Atriz Coadjuvante naquela noite.

O filme, recentemente, fez sucesso no catálogo da Netflix americana e acabou sofrendo críticas da atriz Bryce Dallas Howard por conta de sua abordagem de uma pessoa branca sendo a salvadora dos negros. Em um momento de discussões e conflitos intensos sobre o Black Lives Matter, é um ponto importante para se tocar.

A atriz disse que fez amizades incríveis durante o longa, mas, segundo ela, a história contada através da perspectiva de uma pessoa branca, escrito por roteiristas brancos, tira a legitimidade de Histórias Cruzadas enquanto filme de denúncia.

Mas, fato alheio a isso, bmbora a história tenha se passado em Jackson, Mississippi, no início dos anos 1960, durante o Movimento dos Direitos Civis, e o filme seja considerado um drama de época, Histórias Cruzadas foi realmente baseado em uma história verdadeira?

O filme Histórias Cruzadas é realmente baseado em fatos reais?

Segundo o site estadunidense Newsweek, a autora Kathryn Stockett descreveu o romance realmente como uma ficção e admitiu que o livro não foi particularmente bem recebido em sua cidade natal, e que alguns membros de sua família ficaram chateados com ela.

“Nem todo mundo em Jackson, Mississippi, está contente com a história”, disse.

Albene Cooper, uma governanta que trabalhava para o irmão de Stockett, alegou no início de 2011 que a autora roubou a história de vida de Cooper sem seu conhecimento. Ela afirmou que Stockett baseou a personagem de Aibileen (interpretado por Davis) nela prória, e chamou isso de “embaraçoso”, de acordo com a ABC News.

O New York Times noticiou que Cooper sabia que o filho mais velho da personagem Aibileen havia falecido alguns meses antes de nascer o primeiro filho de seu empregador branco. Essa cadeia de eventos era muito semelhante à vida real de Cooper, já que um de seus filhos mais velhos havia falecido de câncer não muito antes do primeiro filho da família Stockett nascer.

Cooper entrou com uma ação contra o autor do best-seller no valor de U$ 75.000 por danos morais. Stockett afirmou que ela conheceu Cooper apenas brevemente e negou qualquer alegação de roubo de sua imagem para o livro.

“Eu encontrei essa pessoa, acho que duas, talvez três vezes, por dez segundos da minha vida… Estou confusa sobre de onde vem tudo isso… Não conheço essa pessoa”, disse ela em 2011, em entrevista ao blog Speakeasy do Wall Street Journal.

As Histórias Cruzadas foram parar na justiça

O processo afirma que a conduta de Stockett “não é um mero insulto, indignidade, aborrecimento ou assunto trivial para Cooper. A conduta de Kathryn Stockett fez Ablene se sentir violada, indignada e repelida“, de acordo com o Jackson Clarion Ledger.

“Apesar do fato de Kathryn Stockett ter conhecimento real de que usar o nome e a semelhança de Ablene em Histórias Cruzadas seria emocionalmente perturbador e altamente ofensivo para Ablene, Kathryn Stockett negligentemente e/ou intencionalmente, e em desrespeito imprudente pelos direitos e dignidade de Ablene, continuou com seus planos de escrever o livro”, continuavam os documentos.

“A apropriação do nome e semelhança de Ablene por Kathryn Stockett foi feita para a vantagem comercial de Kathryn Stockett, ou seja, para vender mais cópias de Histórias Cruzadas“.

Segundo a Penguin Group USA, editora que publicou o livro nos Estados Unidos, disse ao NYT, na época, que “Histórias Cruzadas uma obra de ficção lindamente escrita”, e eles não achavam “que houvesse qualquer base para as reivindicações legais.”

Por fim, em agosto de 2011, um juiz do condado de Hinds, no Mississippi, julgou o caso com base em um estatuto de limitações de um ano. De acordo com o The Hollywood Reporter, mais de um ano se passou desde que Stockett deu a Cooper uma cópia do livro e quando o processo foi aberto, portanto, tempo demais para reivindicar algo que constava na denúncia.

Sobre o filme, como é inteiramente baseado no romance acima, não teve os mesmos problemas da publicação.


 

Ver essa foto no Instagram

 

As faces do cinema através das cores 😍🟠🟣🟢⚫⚪ . Via @thefilmszone . #filmes #arte #cinema #colors

Uma publicação compartilhada por A Odisseia – Cultura Pop (@aodisseia) em

Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

O Diabo de Cada Dia | O mal está entre nós

Previous article

Caçada Mortal | 9 Curiosidades do filme com Liam Neeson

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes