Hamilton Oscar Odisseia
0

A versão de Hamilton distribuída pela Disney não está disponível no mundo todo, mas já está dando o que falar. Seja pela qualidade da peça ou pela possibilidade dela chegar ao Oscar.

O estúdio já admitiu que está disposto a aproveitar as novas regras e inscrever a produção que estreou diretamente no Disney+.

Mas será que é possível?

Vem comigo que eu te conto.


O que é Hamilton?

Hamilton Oscar Odisseia

Hamilton é um musical que acompanha a vida de Alexander Hamilton, um imigrante que se tornou dos “pais fundadores” dos EUA, após ser fundamental no processo de independência e fortalecimento do estado recém-formado.

A toque de gênio que transformou a peça em um dos maiores sucessos midiáticos dos últimos tempos é que a peça – escrita, produzida e protagonizada por Lin-Manuel Miranda (Moana) – é toda conduzida por canções de rap e hip hop. Um diferencial que reconta a história dos EUA de maneira moderna, engraçada e energética.

O resultado foram 11 Tony’s (o Oscar do teatro), um Grammy e um prêmio Pullitzer de Melhor Drama.


E a versão do Disney+?

Hamilton Oscar Odisseia

Aproveitando o sucesso estrondoso de Hamilton desde o seu lançamento em 2015, a Disney comprou os direitos de distribuição cinematográfica. Mas, ao contrário do que geralmente acontece, a ideia não era fazer uma adaptação para as telonas.

A versão lançada através do serviço de streaming no último dia 03 de julho é fruto de filmagens realizadas, em meados de 2016, com o elenco original.

Um formato conhecido que preenche as programações televisivas do país de tempos em tempos. Inúmeros sucessos da Broadway já ganharam versões filmadas, assim como várias óperas que são exibidas em sessões especiais nos cinemas brasileiros.

A única diferença é que, no início, o projeto seria lançado com exclusividade nos cinemas. E seria um sucesso garantido, visto que muita gente não conseguiu assistir as apresentações originais de Hamilton no teatro graças aos valores dos ingressos e a lotação recorde. Durante algum tempo, quem quisesse assistir a peça precisava adquirir as entradas com um ano de antecedência

Sucesso que foi transferido para o Disney+. Segundo a Variety, o aplicativo do serviço foi baixado 458.796 vezes somente nos EUA nos três dias após a estreia do musical. O estúdio não liberou os números referentes apenas a Hamilton, mas convenhamos que dificilmente esse boom de downloads não está ligado ao lançamento em questão.


Mas e o Oscar?

Hamilton Oscar Odisseia

Com relação a premiação, o grande desafio da Disney seria convencer a Academia que Hamilton é um filme. Um argumento que o estúdio planejava sustentar com o fato de que a filmagem da peça contou com trabalhos de fotografia e montagem específicos para cinema.

Em outras palavras: apesar da linguagem cinematográfica estar limitada pelo palco, os close ups e movimentos de câmera pensados apenas para essa versão transformam Hamilton em um longa.

Eu sei que essa é uma discussão muito complexa, mas não se encaixa nesse texto. Por enquanto, vamos continuar falando do Oscar…

O lançamento no Disney+ também seria um problema em outros anos. No entanto, como a pandemia motivou a liberação de produções lançadas fora dos cinemas, a Disney só precisaria enviar a produção para o serviço de streaming da própria Academia em até 60 dias.

Com a eliminação dessa barreira histórica, muitos fãs sugeriram em suas redes sociais que a peça poderia marcar presença em algumas categorias de atuação, trilha sonora e até mesmo Melhor Filme. E eu acredito que isso realmente poderia acontecer, se não existissem outros obstáculos, além da estréia fora dos cinemas.

E ele existe…

Por mais que a versão filmada do monólogo “Give ‘em Hell, Harry” tenha rendido uma indicação de Melhor Ator Coadjuvante para James Whitmore em 1976, as regras mudaram em 1997. A partir daquele momento, filmagens teatrais foram adicionadas a categoria de documentário. Isso significa que Hamilton poderia chegar ao Oscar, se fosse um filme sobre os bastidores da peça.

Como não é, a produção se torna inelegível!

Ou seja, a Disney vai precisar recorrer ao Emmy, se quiser ganhar novos prêmios. E, mesmo assim, precisará aceitar algumas limitações, já que o projeto não pode ser indicado como “filme para a TV”.

De acordo com as regras da premiação publicadas pela Variety, “programas originados exclusivamente ou derivados/adaptados de um meio que não seja a televisão ou a banda larga (por exemplo, apresentação de turnê gravada, peça da Broadway, ópera…) e componentes de entretenimento de programas esportivos (por exemplo, shows de intervalo) são elegíveis em variedade especial (ao vivo) ou variedade especial (pré-gravada)

Além disso, as atuações também não seriam consideradas, já que apenas o principal apresentador desses programas pode ser elegível. Nesse caso, somente Lin-Manuel Miranda seria indicado. Uma pena…


Mas e você, o que acha?

Hamilton merecia estar no Oscar? Teria chance?

Conta pra gente nos comentários 😉


Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

 

Flavio Pizzol
Nascido em uma galáxia muito distante, sou o construtor original dessa nave. Aquele que chegou aqui quando tudo era mato. Além disso, nas horas vagas, publicitário, crítico de cinema, aprendiz de escritor e músico de fundo de quintal. PS: Não sabe trocar a sua imagem do perfil...

2020 Japão Submerso | Saiba todos detalhes do anime da Netflix

Previous article

Arquivo X | 10 fatos sobre a série que você não sabia

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes