0

Eu Tonya, filme protagonizado por Margot Robbie, guarda uma história real que chocou o mundo da patinação.

Veja detalhes desse escândalo, no filme exibido pela Globo em Cinema Especial.


Foi o escândalo esportivo que abalou o mundo.

Sete semanas antes dos Jogos Olímpicos de Inverno de 1994, a rival de patinação de Tonya Harding, Nancy Kerrigan, levou uma pancada no joelho por um agressor desconhecido.

As autoridades logo determinaram que Harding estava envolvida e que seu ex-marido, Jeff Gillooly, teria contratado o agressor. Para a mídia, a narrativa foi perfeita: Kerrigan era a vítima linda e promissora, equilibrada e inocente. Harding, a agressora que sempre andou do lado errado dos trilhos.

Quase 24 anos depois, Margot Robbie foi responsável por imortalizar a infame patinadora no em Eu Tonya, um filme biográfico que mostra uma visão mais simpática da vida de Harding antes, durante e depois do evento que abalou o mundo esportivo.


Eu Tonya e a história real do filme exibido na Globo

Foto: ANDREAS ALTWEIN/AP

Qual a história real de Eu Tonya?

Antes do fatídico ataque de 1994, a rivalidade entre Kerrigan e Harding estava ganhando força. As duas competiram nos Jogos Olímpicos de 1992 em Albertville, na França, onde Kerrigan conquistou a medalha de bronze apenas uma posição à frente de Harding, que ficou em 4º lugar.

Tonya era a favorita antes dos jogos de 1992, depois que fez história ao se tornar a primeira mulher americana a fazer um eixo triplo em uma competição durante o outono de 1991. Após a dança, ela nunca mais foi capaz de executá-la em uma competição depois daquela.

Nancy, por outro lado, se tornou- a queridinha da América após os jogos de 1992 e continuou com inúmeros patrocínios e aclamação pública, diferente de Tonya. As duas competiram uma contra a outra antes dos jogos de 1994, enquanto disputavam uma vaga na equipe olímpica dos Estados Unidos.

Margot Robbie como Tonya Harding em Eu Tonya | Foto: NEON; FOCUS ON SPORT/GETTY

O ataque em Eu Tonya

Menos de dois meses antes dos jogos, Kerrigan foi agredida em uma sessão de treinos em Detroit enquanto as câmeras estavam em outros cantos. Mais tarde, foi descoberto que o agressor, Shane Stant, havia sido contratado pelo ex-marido de Tonya Harding, Gillooly, e seu guarda-costas, Shawn Eckardt, embora Harding negasse conhecê-lo, como disse em entrevista ao documentário ESPN 30 por 30 sobre o ataque.

O agressor pretendia quebrar a perna direita da patinadora e tira-la da competição, porém apenas a machucou levemente. Apesar da lesão, Nancy ficou ainda mais famosa por competir nos Jogos de Inverno de 1994 em Lillehammer, na Noruega, onde ganhou a medalha de prata, enquanto Tonya Harding ficou em 8º depois, após ter problemas com seus cadarços.

Depois do ataque, a mídia fechou o cerco contra Tonya e seu ex-marido e ambos acabaram culparam um ao outro em depoimentos para o FBI.

Gillooly aceitou uma contrapartida em troca de seu depoimento contra Harding e passou 6 meses na prisão. Stant, Eckhardt e o motorista do carro, Derrick Smith também cumpriram pena de prisão após o ataque.

Harding negou seu envolvimento por muito tempo, mas acabou sendo condenada por dificultar a investigação do acidente. Tonya recebeu uma condenação por três anos de liberdade condicional, 500 horas de serviço comunitário e uma multa de U$160,000, além de ter sido banida da Associação de Patinação Artística dos Estados Unidos para sempre.

Kerrigan caída no chão após ter sido agredida| Foto: INTERSPORT TELEVISION

O que aconteceu depois de Eu Tonya?

Nancy Kerrigan foi adicionada ao Hall da Fama da Patinação Artística em 2004, e também trabalhou como comentarista e correspondente especial durante várias Olimpíadas.

Depois, com 47 anos, a ex-patinadora voltou aos holofotes, competindo na 24ª temporada de Dancing with the Stars. Casada, mãe de três filho, chegou até à sétima semana na popular competição da TV americana.

Gillooly mudou seu nome para Jeff Stone e se afastou dos holofotes. O roteirista de Eu Tonya, Steven Rogers, afirmou posteriormente que o agressor concordou em ser entrevistado para o filme, pela primeira vez desde a agressão.

Eckardt mudou seu nome para Brian Sean Griffith e morreu em 2007, de causas naturais, aos 40 anos.

E para Tonya Harding, a vida pós-escândalo se revelou bem mais difícil.

Tonya Harding e Margot Robbie em L.A. na premiere do filme | Foto: RICH FURY/GETTY

De acordo com a revista PEOPLE em 2008, a protagonista real de Eu Tonya foi presa duas vezes, uma por furto e outra por tentativa de suicídio. Em 2010, Harding se casou com Joseph Jens Price e teve um filho.

Tonya surpreendeu a todos aparecendo na estreia do filme em Los Angeles, tirando foto com a própria Margot Robbie, que a interpretou em Eu Tonya.

“É claro que me sinto culpada pelo que aconteceu, mas não consigo pensar assim. Eu tenho que continuar vivendo” disse à época.

Eu Tonya está disponível para aluguel nas plataformas on demand e será exibido pela Globo em Cinema Especial em maio 26 de maio de 2021.


Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes