DC Liga dos Superpets – Crítica | Não se leve a sério demais

dc liga dos superpets
Foto: Divulgação Warner Pictures

Zoando o complexo universo dos super-heróis, “DC Liga dos Superpets” encontra força no absurdo


Em termos de super-heróis, é inegável afirmar que a DC é uma das únicas produtoras que de fato se arriscam. Existem erros claro, mas eles provem de uma linguagem que a editora, distribuidora e quem estiver a frente do projeto escolheu seguir. Ao mesmo tempo em que brinca com o universo compartilhado, onde faz ótimos filmes, a DC também se aventura em filmes stand alone.

Se formos encaixar DC Liga dos Superpets em algum espectro, ele flutua facilmente por ambas as áreas. Há um ar de franquia de sucesso e referências aqui, mas ao mesmo tempo, a animação brinca com o lúdico do próprio universo da editora, com a concorrência, e por que não, com a complexidade do mundo dos heróis, com suas infinitas terras, reboots e afins.

DC Liga dos Superpets - Crítica | Não se leve a sério demais 3
Foto: Divulgação Warner Pictures

Qual a trama de DC Liga dos Superpets?

Em DC Liga dos Superpets, Krypto, o Super-Cão e Superman são melhores amigos, inseparáveis, que combatem o crime lado a lado em Metrópolis e compartilham os mesmos superpoderes.

Quando Superman e os membros da Liga da Justiça são sequestrados, Krypto deve convencer um bando de atrapalhados animais de um abrigo da cidade – Ace, o Batcão; PB, A Poderosa Oinc; Mirtes, a Tartaruga-Foguete; e Chip, O Esquilo – a dominar seus poderes recém-descobertos e ajudá-lo a resgatar os super-heróis.

O que achamos do filme?

O 3D usado no longa pode confundir os desavisados, já que se utiliza da mesma técnica de outra animação bem parecida, Pets: A Vida Secreta dos Bichos. Mas as semelhanças param por aí. Além de abordar o rico universo da DC, o filme faz piadas com os heróis a todo instante, ao mesmo tempo em que trabalha o melodrama.

Confira também: Crimes of the Future – Crítica | Incômodo vazio

DC Liga dos Superpets - Crítica | Não se leve a sério demais 4
Foto: Divulgação Warner Pictures

Esse drama é potencializado não apenas pela riqueza de personagens carismáticos e que procuram seu lugar no mundo, mas também pela trilha sonora. A ótima canção “Conta Comigo”, na voz de Vitor Kley, emociona. Já que estamos falando de vozes, é importante ressaltar o elenco estelar de dublagem que tem nomes como Guilherme Briggs e Wendel Bezerra, mas que traz bons trabalhos de voz do comediante Marco Luque (como Chip), e da cantora Priscilla Alcântara (PB).

Ao apresentar flashbacks e montagens, o filme está sempre tirando sarro de si,utilizando a metalinguagem e 2D, repleto de um clima agradável e fluído. Claro que o significado de heroísmo é ressaltado e DC Liga dos Superpets esbanja fofura, mas é impressionante a quantidade de malícias metralhadas por minuto, que só os adultos vão entender.


DC Liga dos Superpets estreia no dia 28 de julho nos cinemas brasileiros.

Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

DC Liga dos Superpets - Crítica | Não se leve a sério demais 5

Total
0
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous Post
Santa Evita: Saiba mais detalhes da série argentina no Star Plus 9

Santa Evita: Saiba mais detalhes da série argentina no Star Plus

Next Post
Beladona: Leia a resenha dessa bela e sombria história nacional 10

Beladona: Leia a resenha dessa bela e sombria história nacional

Related Posts