0

“Walden” fala de liberdade, ao mesmo tempo em que não se desprende dos erros do passado


“É triste ver pessoas que no passado colocavam sua esperança no futuro, e agora, no futuro, colocam sua esperança no passado”

Essa é uma das falas mais potentes de “Walden”, filme que fala sobre sonhos frustrados e da luta emigratória por uma vida melhor. Na história, depois de 30 anos de exílio em Paris, Jana viaja de volta a Vilnius, capital da Lituânia. Ela quer ver novamente o lago que Paulius, seu primeiro amor, chamava de Walden.

Sintetizado como um conto da juventude lituana antes da queda do comunismo, o filme da cineasta tcheca Bojena Horackova narra duas histórias, que de cara parecem distintas, mas logo depois revelam sua unidade, separadas apenas pelo tempo, passado e futuro, tão importantes aqui.

+++ CRÍTICA: Entre Mortes | Tragédias não-anunciadas
+++ Confira os debates do fórum da Mostra de São Paulo 2020
walden

Foto: Divulgação

Horackova apresenta uma história de amor e esperança por uma vida melhor, mas não foge muito disso. Seu afastamento natural da câmera em relação aos personagens, pode até ser proposital, mas de certa forma afasta o público, e empatia é essencial para contar um romance afetado por questões maiores que os indivíduos.

Essa relação de causa e consequência nos transporta aos tempos de primeira paixão, muito por conta da boa fotografia de Eitvydas Doskus e Agnès Godard. A relação da diretora com a história parece pessoal, o que torna “Walden” (com o perdão do trocadilho), um lago de ilusões.

Foto: Divulgação

A produção esbarra na impessoalidade, mas ao mesmo tempo está interessada em contar um relato de juventude vs amadurecimento, atitude vs comodismo. É clichê, mas a vida fez de Jana (Ina Marija Bartaité), uma pessoa sem esperança, o que é perfeitamente normal depois de tudo que passou.

Melancólico, o tempo é o principal fator de “Walden”, e as memórias motivam os personagens. Apesar da simplicidade e tranquilidade em que a produção se desenrola, existe certa ambiguidade na protagonista, que infelizmente não se traduz na maniqueísta trama.


Filme visto na 44ª Mostra de São Paulo. Saiba mais sobre o evento AQUI.

Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

product-image

Walden

5

Tiago Cinéfilo
Estudante de Comunicação e editor deste site. Criador, podcaster e editor do "Eu Não Acredito em Nada", o podcast de terror da Odisseia.

Supernatural | Os 15 Melhores Episódios

Previous article

Gotham Awards 2020 | Confira os indicados a premiação

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *