AODISSEIA
Filmes

Synonymes: tempos sombrios para os sonhadores

Quero ser francês!


11 de novembro de 2019 - 21:54 - Tiago Soares

Synonymes encerra nossa cobertura da 43ª Mostra de Cinema Internacional de São Paulo com chave de ouro e sobretudo amarelo.

Retratar imigrantes longe de sua terra natal foi um dos temas mais abordados na 43ª Mostra de Cinema Internacional de São Paulo. A relevância porém tem um motivo, já que é um assunto bastante debatido hoje. Nadav Lapid decide contar sua própria história através da inocência e de um jeito um pouco ingênuo de Yoav (o novato, Tom Mercier), um jovem que sai de Israel em direção a Paris. Lá, decide renegar suas origens e fugir de toda a violência que o acompanhou, tendo como companheiro apenas um dicionário francês-hebreu.

A forte cena inicial e o jeitão de cinema francês não escondem as influências do diretor. Com uma câmera inquieta contando a história de um homem desconhecido, Lapid pega bastante do cinema incômodo de Gaspar Noé. Yoav começa como um turista. Aprendendo palavras, e entonando-as em longos planos, o israelense tenta aos poucos pertencer a a capital francesa, sempre morrendo de amores, reafirmando a beleza e comodidade do lugar.

 

 

Ele deseja desesperadamente fazer parte daquilo, esquecendo o passado. Com um sobretudo amarelo, as palavras de Yoav se entrelaçam. Por vezes usando uma câmera subjetiva, sua relação com o casal de amigos Emile (Quentin Dolmaire) e Caroline (Louise Chevillotte), o aproxima das ruas pouco glamourizadas de uma Paris crua. O personagem exagera em cada monólogo entoado, que parece sair de uma peça de teatro itinerante. É possível sentir cada palavra que sai de sua boca.

O conflito (e a câmera) seguem Yoav, e não há o que fazer perante a violência de homens e seus desejos repugnantes. Não há apelo ou romantismo perante a situação degradante que o afeta em certo momento. O que vemos é um homem fugir de si mesmo, negando suas raízes em busca de se tornar alguém que julga ser melhor. Quando conta suas histórias, é como se ele estivesse abandonando-as, deixando-as para o mundo, ao mesmo tempo em que elas fazem parte dele.

 

synonymes

 

Tão imprevisível quanto tocar “Pump Up the Jam” do nada, “Synonymes” é uma clara busca por identidade, seja ela familiar, fraternal ou de nacionalidade. Vemos um homem e não sabemos como ele chegou ali, aprendendo com o tempo seu propósito, por mais bobo que possa parecer. Sonhar não custa nada, e Yoav é um sonhador que por ironia do destino, não escapa daquilo que é.


Obs: O filme chega aos cinemas brasileiros no dia 21 de novembro de 2019.


*Filme visto na 43ª Mostra de São Paulo