1

Sera-Que

O que uma “friendzone”? Devemos abrir o coração ou não? É possível sair? É possível vencer? Essas e outras perguntas serão respondidas no genérico Será Que? e no Globo Repórter dessa sexta-feira.

Falando sério, Será Que? é um filme canadense que conta a história de Wallace, um cara de coração partido que conhece a garota perfeita em uma festa. O problema é que ela tem um namorado e ele, pra piorar a situação, decide ser só um amigo. Logicamente, as idas, voltas, discussões e questionamentos são a força motriz de um filme que consegue ser genérico e diferente ao mesmo tempo.

Qualquer pessoa que assistir um filme de comédia romântico centrado no tema “amor ou amizade”, já deve ter em mente que não será surpreendido por nenhum desses aspectos. Aqui não é diferente, já que o andamento do filme é basicamente idêntico a tudo o que você já viu, mas acho que a temática ficou bem encaixada, aproveitando um momento vivido pelos jovens. Afinal de contas, mesmo já tendo sido visto em vários longas (inclusive clássicos, como Harry e Sally), a friendzone nunca esteve tão na moda. Todo mundo tem ou já teve uma relação desse tipo e fica em dúvida se deve arriscar, por isso que o filme acaba funcionando e cativando o seu público-alvo.

Mas, voltando ao assunto, todos nós já sabemos que esse tipo de comédia segue a mesma métrica simples e clichê, então vamos focar no que Será Que? tem de diferente. Pra começar, a melhor coisa do filme é o seu elenco, que mantém uma química invejável durante toda a projeção, conquistando o público de qualquer maneira. Ainda que não tenham situações complicadas ou momentos tão intensos, Daniel Radcliffe, Zoe Kazan, Adam Driver, Mackenzie Davis, Megan Park e Rafe Spall são perfeitos para os papéis exatamente por serem simples e normais.

Claro que o elenco não funcionaria de tal maneira, se o restante não colaborasse. O roteiro, adaptado de uma peça por Elan Mastai, incomoda um pouco quando não se arrisca no desenvolvimento da história, mas agrada muito no seu conteúdo. Usando diálogos rápidos, improváveis e recheados de referências à cultura pop, ele consegue balancear bem o drama e a comédia, o simples e o complexo, o real e o escatológico. Isso dá contornos novos ao filme, já que não são todas as produções que conseguem brincar com uma queda da janela enquanto discutem a importância de arriscar.

Outra coisa que me chamou muita atenção é que, mesmo sendo canadense, o filme abusa desde o início de um humor inglês afiadíssimo. Imaginei que isso poderia ser influência de Radcliffe, mas mudei de ideia no decorrer do longa, porque quem toma conta desses momentos mais sarcásticos é Adam Driver, que funciona em qualquer papel de qualquer filme de qualquer gênero. Driver é uma máquina recheada de piadas inspiradas com fezes e outras coisas estranhas, mas é um dos grandes destaques do longa.

Michael Dowse também não erra nas suas escolhas como diretor e consegue agregar valores ao filme. É ele que deixa o filme leve e bonitinho o bastante para que a maioria das pessoas se sinta confortável com filme e esqueça os clichês e as quebras narrativas. Usando uma boa condução de câmera e direção de atores, Dowse atinge seu objetivo de tornar o filme atraente e cativante.

No fim das contas, Será Que? é um filme divertido, que vale a pena ser visto mesmo com seus erros. Mesmo defendendo a complexidade e a imprevisibilidade do amor, o longa não passa nem perto de ser isso, mas é adequado ao nosso momento social e pode ser um bom programa para casais ou para amigos bem próximos. Caso você não se enquadre em nenhuma dessas categorias, vá assistir A Princesa Prometida sozinho em um cinema como um bom perdedor faz.

Flavio Pizzol
Nascido em uma galáxia muito distante, sou o construtor original dessa nave. Aquele que chegou aqui quando tudo era mato. Além disso, nas horas vagas, publicitário, crítico de cinema, aprendiz de escritor e músico de fundo de quintal. PS: Não sabe trocar a sua imagem do perfil...

O Homem Mais Procurado

Next article

You may also like

1 Comment

  1. […] ingleses do gênero, como Quatro Casamentos e um Funeral, e de longas mais recentes, como Será Que?, mas tem algo sutil que o diferencia de Encalhados, só pra usar um que eu vi recentemente […]

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes