AODISSEIA
Filmes

Crítica: O Contador


21 de outubro de 2016 - 13:00 - Flávio Pizzol

O plano B de Ben Affleck


502331Não adianta tentar disfarçar: todos os estúdios e atores mais famosos buscam suas próprias franquias de ação – de preferência, com arquétipos heroicos – para manter as contas em dia. Ben Affleck está bem perto disso com a aceitação do seu Batman no Universo DC, mas a própria Warner parece querer um pouquinho mais. Contando com algumas referências aos quadrinhos e um surpreendente primeiro lugar nos EUA, O Contador pode ser o começo de um plano B para essa dupla.

Estruturado como uma verdadeira história de origem, o longa acompanha um contador que foi diagnosticado com um tipo não nomeado de autismo ainda na infância, superou suas dificuldades sociais com o apoio de dois mentores e ganha a vida lavando dinheiro para os maiores bandidos do mundo. Uma vida perfeitamente controlada que vai por água a baixo quando o trabalho em uma empresa de tecnologia dá errado, ao mesmo tempo em que uma garota surge em sua vida.

O roteiro, escrito por Bill Dubuque (O Juiz), estabelece o protagonista e o universo a sua volta através de uma improvável mistura entre Jason Bourne, Dexter, Rain Man e Justiceiro, abandonando qualquer tentativa de fugir dos clichês mais comuns nesse tipo de franquia e incluindo até alguns traços da jornada do herói. Apesar disso, o desenvolvimento da trama deixa claro que o próprio Dubuque entende os clichês presentes no seu texto e utiliza boa parte deles como fonte de diversão, contando também com alguma descrença do público nas sequências mais absurdas.

Ao mesmo tempo, o texto não perde uma oportunidade de parecer mais inteligente ou intenso do realmente é, sendo que isso fica evidente na inclusão desnecessária de várias subtramas e na edição recheada de cortes e flashbacks. De uma certa forma, esse segundo aspecto adiciona novas camadas ao estudo do personagem proposto pelo roteiro ao reforçar sua relação com o pai em pequenas doses, mas também se torna o maior problema do longa quando é utilizado sem necessidade em uma das principais viradas do terceiro ato. É aí que o filme tenta  surpreender de vez e encaixar várias reviravoltas consecutivas, mas acaba preso em pelo menos quatro soluções bem óbvias (ou ruins).

The Accountant

Apesar disso, Gavin O’Connor (Em Busca da Justiça) entende todos os aspectos positivos e negativos que cercam a trama, aproveitando a experiência adquirida com Guerreiro e Força Policial para destacar a importância da paternidade na vida do protagonista. É um tema recorrente que cria uma certa dinâmica no desenvolvimento emocional da história, enquanto as poucas cenas de ação ficam responsáveis pelos momentos mais ágeis e inventivos.

Ben Affleck (Garota Exemplar) aproveita ambos os aspectos com imponência física, lutas bem coreografadas e feições propositalmente inexpressivas. Não acredito que essa seja a melhor forma de trabalhar as complexidades de um personagem autista, mas funciona dentro dessa versão e ele carrega o longa nas costas com Anna Kendrick (Os Caça-Noivas) fazendo a mesma mocinha de sempre, Cynthia Addai-Robinson (Arrow) ficando presa na subtrama mais fraca do longa e J.K Simmons (Whiplash) apresentando um protótipo mais leve do futuro Comissário Gordon. Apesar de ficar completamente a mercê de uma das reviravoltas para demonstrar alguma emoção, Jon Bernthal (The Punisher) entrega o que o personagem precisa em termos físicos e funciona como o contraste de Christian Wolff.

o-contador

E, sinceramente, o mais legal de tudo é que o sobra de toda essa mistura de clichês, referências, reviravoltas e ideias bizarras pode ser classificado como pura diversão. Não temos um filme de aventura ou de ação desenfreada, mas o casamento entre a origem de um quase super-herói com um ritmo agradável vale a pena. O Contador foge das reinvenções de roda para entregar o que promete de uma forma divertida e descompromissada, abrindo espaço para uma nova e interessante franquia nos minutos finais.


 

OBS 1: Meu novo objetivo é, pelo menos uma vez na vida, ser pago com as primeiras edições da DC Comics.


odisseia-08