AODISSEIA
Filmes

Crítica: Get a Job

Todos nós precisamos crescer.


5 de maio de 2016 - 14:00 - Tiago Soares

É incrível que uma comédia com uma premissa tão simples, tenha conseguido um elenco em partes, estelar, mesmo sendo filmado em 2012 e lançado apenas esse ano.  Quatro jovens amigos são obrigados a abandonar seu sonhos, para entrarem no mercado de trabalho em meio a crise de 2008 nos EUA. Ano passado tivemos o bom A Grande Aposta, que fala de um assunto parecido, mas com o pano de fundo sério, Get a Job se entrega a comédia e, no início se vende como um filme descompromissado, mas é muito mais que isso.

Para começar temos Will Davis (Miles Teller sempre ótimo) que acaba de tomar um voto de confiança do pai Roger Davis (Bryan Cranston dispensa apresentações) pois conseguiu seu primeiro emprego, Will faz vídeos para o Youtube e tenta vender isso em seu currículo, o que rende boas cenas de entrevistas bizarras. A química entre pai e filho funciona perfeitamente, rendendo bons diálogos sobre o espaço no mercado de trabalho para jovens e pessoas mais velhas, o mesmo não funciona com a namorada, Jillian Stewart (Anna Kendrick, mal aproveitada), que já está no mercado e tenta ser promovida. A interação entre ambos não rende e Kendrick acaba ficando em segundo plano, já que quando estão juntos, Teller toma todo o protagonismo.

Também temos Charlie (Nicholas Braun, excelente) o maconheiro esteriotipado que consegue uma vaga de professor de química e posteriormente treinador do time de basquete. Mesmo com uma abordagem galhofa, Charlie passa uma certa lição de moral em suas frases, e sem dúvida foi o que me fez dar mais risadas. Brandon T. Jackson como Luke rende cenas de cunho mais corporativo, relacionamento chefe-empregado, mais com a veia cômica do ator presente. O elo mais fraco do grupo é Ethan (Christopher Mintz-Plasse) que repete seus papéis anteriores e tem pouco a oferecer.

O destaque do filme fica com o roteiro de Kyle Pennekamp e Scott Turpel que aborda questões críveis tanto em 2008 nos EUA, como na crise atual do nosso país. A busca do primeiro emprego, o crescimento profissional, a escolha que martela a mente dos jovens entre “fazer o que gosta” ou “ganhar mais fazendo o contrário.” Claro que é um filme de comédia e aqui 90% das piadas funcionam, com muitas tiradas e poucas piadas visuais. Os coadjuvantes Marcia Gay HardenAlison BrieJorge García (o Hurley de Lost) em um papel hilário, completam o elenco do filme e conseguem fazer rir com naturalidade.

Na conclusão, Get a Job se torna um filme de “Sessão da Tarde”, expressão tratada como um defeito hoje em dia. Parece que nos esquecemos do passado, de onde grandes clássicos foram exibidos no programa global. O filme está longe de ser um deles, mas consegue divertir.