0

“Feels Good Man” une melancolia a humor mórbido, para contar que é possível transformar qualquer coisa boa, em algo ruim


Imagine que você é um artista e criou algo único e pessoal. Daí a internet (mas precisamente o 4chan), descobriu essa coisa e no começo, usou para coisas banais, mas com o tempo essa criação se tornou o símbolo de algo horrível. Essa sensação de impotência é a que temos, assistindo “Feels Good Man”.

Em 2016, os Estados Unidos começaram a se dividir entre apoiadores de Donald Trump e de Hillary Clinton, que, na época, eram os prováveis candidatos à eleição presidencial. O cartunista Matt Furie viu seu personagem cômico, Pepe the Frog, criado há uma década, repentinamente se transformar em um símbolo de extrema-direita. Foi tuitado por Trump, condenado por Hillary, e declarado um símbolo de ódio pela Liga Anti-Difamação.

+++ CRÍTICA: O Século 20 | Canadenses pacíficos?
+++ Confira a cobertura do Festival Mix Brasil
feels good man

Foto: Divulgação

Quando começamos a ver o filme de Arthur Jones, a simpatia que sentimos por Matt é imediata, afinal, ele é um cara bastante good vibes, apático e a primeira ideia é que será interessante notar como sua criação se transformou em algo tão cruel. De modo simples, o documentário passa por todas as fases do caos, desde os conceitos do personagem, até sua deturpação.

Misturando animação, entrevistas, e uma linguagem atual, a força de “Feels Good Man” está em sua história absurda. Vemos o artista e as pessoas que o rodeiam serem afetadas, financeira e psicologicamente pelos males da internet, algo que até pouco tempo, pelo menos para Matt, parecia inofensivo.

Ao tentar gerar uma reflexão no espectador, “Feels Good Man” falha com críticas vazias, já que a força está justamente nos pormenores e imbróglios que levaram o caso aos tribunais, com direito a personagens nível Joe Exotic, reivindicando os royalties do personagem.

Foto: Divulgação

Mas se existe algo em que o documentário se sai bem, é em mostrar uma história de ascensão e queda. Sim, é um personagem que se tornou um meme, mas existe uma jornada do herói/vilão para ele. Outra vantagem é focar na figura de Matt e suas outras criações, além de sua família, mostrando que ele é mais do que Pepe The Frog.

Enfim, a mensagem de “Feels Good Man” sobre o poder da imagem não é nova, mas bastante eficaz em sua construção, e apresenta um panorama, até pessimista, do mundo atual.


Filme visto na 44ª Mostra de São Paulo. Saiba mais sobre o evento AQUI.

Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

product-image

Feels Good Man

8

Tiago Cinéfilo
Estudante de Comunicação e editor deste site. Criador, podcaster e editor do "Eu Não Acredito em Nada", o podcast de terror da Odisseia.

O Século 20 | Canadenses pacíficos?

Previous article

O Sono da Morte | 6 perguntas para se fazer antes de ver o filme que estreia na Netflix

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *