AODISSEIA
Filmes

Crítica: De Carona para o Amor é uma comédia necessária

Um longa divertido e incômodo para refletirmos sobre algumas coisinhas

15 de agosto de 2018 - 00:27 - felipehoffmann

De Carona para o Amor se tornou uma comédia mais interessante quando de fato eu parei pra observa-la durante a exibição. Digo observar com um olhar mais atento aos detalhes e às sutilezas que nos apresentam.

Ao representar um homem branco, bem sucedido, mulherengo e que, com suas mentiras, consegue tirar vantagem de tudo, De Carona para o Amor poderia facilmente bater na parede do preconceito, do machismo e da representação exausta desse estereótipo. E em certos momentos realmente isso fica gritante, contudo o filme satiriza essa posição e tenta desconstruir, ao longo da trama, todas as imagens previamente estabelecidas em cada um dos personagens. Do protagonista ao coadjuvante.

 

 

Na trama, Jocelyn (Franbk Dubosc) é um homem que se coloca acima do bem e do mal. Com seu status acredita que pode tudo entre o viés de suas mentiras. Ao ser confundido com um cadeirante, Jocelyn resolve entrar na história a fim de seduzir a vizinha de sua mãe morta. No desenrolar do longa, a “brincadeira” passa do ponto e ele se vê envolvido com Florence (Alexandra Lamy), irmã dessa sua vizinha e, de fato, paraplégica.

Era curioso notar o comportamento da sala enquanto o filme rolava. De um lado ouviam-se risos em soluços a cada cena desconcertante do mentiroso protagonista. Do outro dava pra sentir um leve desconforto com aquele típico sorriso de canto de boca com as mesmas situações.

 

 

Digo isso pois é sempre complicado tratar a deficiência física de forma que não soe pejorativa. E De Carona para o Amor fica nessa saia justa entre o satirizar esse pensamento e taxá-lo como natural. Quando o filme resolve colocar a comédia nos olhos de Florence, temos a real proporção do humor, que se preocupa mais em mostrar as dificuldades do que a redenção de um homem em busca do amor.

E, de risos estridentes, quando o longa terminou pairava um ar de alegria um tanto quanto desconcertante. E era isso que Frank Dubosc, que também assina a direção, queria fazer. Por linhas de roteiros simples e finais previsíveis, De Carona para o Amor te deixa com um sorriso amarelo, mostrando como a gente banaliza uma situação tão complicada e consegue rir da situação.

É um filme que se mostra despretensioso mas que nas entrelinhas tem sim sua camada crítica, que até o mais desatento consegue entender.