AODISSEIA
Filmes

Crítica: A Maldição da Floresta (The Hallow)

Um Amityville sem glamour,

5 de agosto de 2016 - 11:00 - Tiago Soares

Ocorrido em 1965, Amityville é umas das histórias de assombração que mais inspiram criadores de conteúdo. Tivemos o livro de 1977, The Amityville Horror – A True Story, além do filme em 1979, Terror em Amityville, seu remake em 2005, Horror em Amityville e mais recentemente, alguns lapsos dessa história em Invocação do Mal 2. Em A Maldição da Floresta, temos uma certa homenagem, mas com uma pegada de um gênero em extinção dentro do terror, o filme de monstro.

Por questões econômicas, Adam Hitchens (Joseph Mawle) aceita um emprego em uma remota floresta na Irlanda, esperando encontrar uma vida nova para ele, sua esposa Clare e seu filho recém-nascido. No entanto, ao chegarem na casa nova, um agricultor com fortes crenças na tradição local, o alerta para parar de mexer naquelas terras sagradas. Quando alguém invade a casa dos Hitchens a noite, querendo fazer mal a criança, e a polícia não descobre quem fez isso, o casal vai ter que lutar para proteger seu filho e sobreviver diante de misteriosos seres que habitam aquele bosque.

Como citado, o gênero do terror em quase extinção, tem sido sobrepujado pelo terror mais recente (espíritos, demônios e found footage). Quem viu Olhos Famintos sabe que o terror de monstro, que na maioria das vezes quase não aparece, deixando muito para a imaginação é um prato cheio, e em parte deste filme tem potencial. A floresta aqui é a incógnita, o que são esses seres? O que é o The Hallow? (O sagrado/venerado no idioma original). O casal vive em constante conflito, achando que o agricultor seria o culpado.

528426.jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Apesar das excelentes atuações de Joseph Mawle Bojana Novakovic, o terror peca demais ao mostrar muito as criaturas da floresta, deixando pouca a mente do espectador. As semelhanças com O Iluminado e Amityville são claras, quando a floresta começa a dominar o marido, e força-lo a ir contra seus principios e contra a família. Utilizando bastante planos abertos, o diretor Corin Hardy mostra o quanto os personagens são pequenos em relação a principal antagonista da história, apesar de alguns efeitos nas criaturas incomodarem um pouco, quando estão iluminadas (luz natural usada de maneira coerente).

A Maldição da Floresta faz com competência uma certa homenagem aos filmes citados, mas não consegue trazer nada novo, é como se estivéssemos vendo algo que já vimos muitas vezes. Com elementos dos outros filmes de monstros, o terror pode ser uma retomada do gênero, vale pelo menos a chance de ser visto.