6

Filme polonês mais visto da Netflix, 365 DNI é desrespeitoso e abusivo, além de um desserviço aos fãs de um romance coeso e minimamente aceitável


O drama erótico ganhou força, muito por causa do advento das fanfics. Histórias inventadas por fãs, que expandiam um universo apresentado, permitindo-se desvencilhar do mesmo, sem amarras. Isso aconteceu com ‘Cinquenta Tons de Cinza’, série de livros e filmes oriundos de uma fanfic de ‘Crepúsculo’.

Podemos dizer que é assim desde que o mundo é mundo. Um produto duvidoso dá origem a outro produto de gosto ainda mais duvidoso. Com a internet, as pessoas se sentiram no direito de criar seus próprios enredos, por vezes, destruindo obras audiovisuais com teorias e fanfics malucas (‘Star Wars’ estou falando de você).

Baseada nessa liberdade, a polonesa Blanka Lipinska escreveu a trilogia de livros que se inicia em “361 DNI”, lançado este ano como filme da Netflix. Na trama, Laura, junto com o namorado Martin e dois amigos, sai de férias na Sicília. No segundo dia de estadia – em seu vigésimo nono aniversário, a garota é sequestrada.

361 dni

O sequestrador acaba por ser o chefe da família mafiosa da Sicília, o extremamente bonito e jovem Don – Massimo Toricelli. Um homem, alguns anos antes, atentou contra sua vida. Alvejado várias vezes, ele quase morreu – e quando seu coração parou de bater, ele viu uma garota diante de seus olhos, chamada Laura Biel. Quando ele voltou à vida, prometeu a si mesmo que encontraria a mulher que viu. Massimo dá à mulher 365 dias (365 DNI, em polonês) para amá-lo e ficar com ele.

 

O filme mais assistido da Netflix Brasil

Dirigido por Barbara Bialowas e Tomasz Mandes, o filme rapidamente se tornou o mais visto da Netflix Brasil. O enredo simples e novelesco logo arrematou o público, que sentia saudades da franquia Cinquenta Tons, o que é uma pena, já que 365 DNI é tudo que existe de errado, seja no cinema ou na vida.

A produção parece uma colagem de videoclipes sem nexo, que não servem a história. A trama “mafiosa” de Massimo é desinteressante, justamente porque não sabemos dela, assim como a protagonista Laura não sabe. A trilha sonora e as imagens tiradas diretamente do canal Off deixam tudo com ar de novela da Televisa, e por vezes achei que tinha ligado a TV no SBT.

Michele Morrone (Massimo) e Anna Maria Sieklucka (Laura) até possuem certa química, mas são péssimos. Caricatural, o ator faz pose de galã a cada minuto e é impossível não olhar para os seus mamilos, que mais parecem dois dedos apontados saindo de seu peito. Já Anna, quando não está fazendo cara de sofrimento, está sensualizando com sorvetes e banhos demorados.

As cenas quentes entre ambos nem são tão pesadas (o que não justifica a comoção da audiência), apesar do casal passar a maior parte do tempo transando. O primeiro nu (lateral), só aparece depois de 1h de 365 DNI, e ainda assim envolto em jogos de câmera amadores, que mais parecem saídos diretamente do Cine Privé.

 

Um filme totalmente errado

Como se não bastasse ser ruim por si, 365 DNI é totalmente irresponsável. Como você deve ter notado ao ler a sinopse, Massimo sequestra Laura, e não irá soltá-la até que ela se apaixone por ele. Mesmo com uma vida repleta de regalias (algo que deve ter conquistado a maior parte do público), Massimo é abusivo, machista, deplorável e acima de tudo, um criminoso.

365 dni

Nos primeiros 15 minutos de filme, ele assedia moral e sexualmente uma de suas funcionárias, além de tratar as mulheres como objeto. Ele quer e pega. Simples assim. 365 DNI romantiza o sequestro, o abuso físico e psicológico, além da Síndrome de Estocolmo de sua protagonista.

Como se não bastasse, em uma das cenas mais abomináveis de 365 DNI, Massimo escolhe as roupas que Laura deve comprar, rejeitando veementemente as mais curtas, numa clara alusão a um relacionamento abusivo. O filme ainda dá espaço para tentativas de estupro, extorsão e objetificação feminina.

 

365 DNI vai ter continuação?

Com o final dúbio e sendo baseado em uma trilogia de livros, 365 DNI deve sim render uma continuação, muito devido ao sucesso do primeiro filme.

Spoilers a partir daqui:

No segundo livro da autora Blanka Lipinska, Ten Dzień, descobrimos que Laura está viva. Além disso, está grávida de Massimo e a briga entre máfias continua afetando seu relacionamento com o galã.

Veja a sinopse do livro:

“A vida siciliana de Laura Biel começa a se parecer com um conto de fadas. Há um casamento ruidoso, um marido que fará tudo por ela, gravidez, presentes e luxo inimaginável: serviço, carros e residências à beira-mar.
E tudo seria perfeito, se não fosse o fato de os gangsteres estarem por toda parte, um crime indefinido paira no ar, alguém está constantemente tentando sequestrá-la e matá-la, e Olga, sua melhor amiga, segue cegamente seus passos. Ser a esposa de um dos homens mais perigosos da Sicília tem suas consequências e Laura descobrirá isso dolorosamente.”


Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

product-image

365 DNI

0

Tiago Cinéfilo
Há 4 anos nessa viagem. Estudante de Rádio, TV e Internet. Ex-Clock Tower, ex-Cinema Com Rapadura e ex-fã de The Walking Dead.

Alexa e Katie | Série da Netflix ganhará uma 5ª temporada?

Previous article

Train to Busan 2: Peninsula | Saiba mais detalhes do filme coreano

Next article

You may also like

6 Comments

  1. Opinião baseada no achismo de crítica mal construído, se tivesse se dado ao trabalho de ler saberia que o que ela vive é retratado no livro final como abusos e ele um mafioso mal, mas pra que se informar melhor fazer polêmiquinha para criar ódios insanos.
    Não se trata de uma grande arte mas a produção é de filme sem patrocínio de grandes indústrias cinematográficas de Hollywood. Desfavorecer os atores da história pq de algum modo desmoronou seu sonho encantado de 50 tons em sua reportagem foi para mim no mínimo birrinha de fã com medo que seu filme predileto perca o foco.

    1. Moça, pelo que sei o texto é sobre o filme e não sobre o livro. O site que faça uma comparação entre as obras, mas a crítica não foi de nenhum livro não. E assim, é ruim mesmo, não tem onde defender.

    2. Minha análise foi do filme e não do livro.
      E não sei de onde você tirou que gosto de Cinquenta Tons.
      Segue os links com as críticas dos filmes (que nem foram escritas por mim), mas detonam ambos.
      Abraços!

      https://aodisseia.com/critica-cinquenta-tons-mais-escuros/

      https://aodisseia.com/critica-50-tons-de-liberdade/

  2. Falar que esse filme é péssimo ainda assim é um elogio. Filme horrível do início ao fim. História sem pé nem cabeça, que somente mostrou o saradão e a gostosona trepando.

  3. Boa tarde, é claro que se trata da SUA opinião… mas para a grande maioria do público…. e não dos críticos…. esse filme, no estilo a que se propõe…. é PER-FEI-TO… com cenas sensuais nunca antes vistas ….

  4. Parece mais uma crítica machista, de inveja e dor de cotovelo. Triste constatação de retrocesso, estamos voltando para a idade das trevas. Vivenciando novamente uma sociedade intolerante e moralista!
    É um filme, uma ficção. Mas hoje as pessoas não conseguem ver só a arte pela arte. Têm que fazer comparações e julgamentos do que é certo ou errado, se está dentro da lei ou não, se é imoral ou não como se fosse verdade…

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes