AODISSEIA
Especial

CCXP 2018: Vale a pena acreditar em Fênix Negra?

Fox, Jessica Chastain e um diretor de quinze anos...

16 de dezembro de 2018 - 14:54 - Flávio Pizzol

No meio de Vingadores, super-heróis da DC e um painel gigantesco da Sony, temos que admitir que a apresentação da Fox desse ano foi bem simples (principalmente quando você deixa pra escrever após alguns dias). Ainda assim, temos algumas coisas e participações que merecem serem comentadas. Vamos lá!

Como sempre, o painel começou com os bons e velhos trailers que podem ou não serem inéditos, afinal um dos grandes objetivos de um momento como esse é vender seus próximos lançamentos para o público. A Fox separou um tempinho para falar, em sua maioria, sobre o filme natalino para maiores do Deadpool (que parece ser engraçado sim, apesar de não passar de um caça-níquel) e aquele que se tornou a minha surpresa de sexta-feira pelos motivos mais inesperados possíveis: O Menino que Queria ser Rei.

É uma releitura mais infantil do conto do Rei Arthur e, por mais que o trailer tenha ons momentos, não parece fugir do básico. O que realmente me impressionou é que o protagonista – o garotinho que aparece muito no trailer abaixo – é filho do Andy Serkis e foi apresentado pelo mediador do painel como diretor do filme aos quinze anos de idade. E eu fiquei realmente impressionado, afinal ele é bem novo. A parada é que essa informação não consta no IMDB e nem em nenhum outro site reconhecido… Porque a Fox e todos os assessores presentes permitiram que a informação fosse passada dessa forma só pra me deixar intrigado e propenso a espalhar fake news, não faço a mínima ideia.

Mas, no fim das contas, esse não era o foco de um painel que traria ao palco Sophie Turner, Jessica Chastain e Simon Kinberg para falar sobre X-Men: Fênix Negra. Convidados de luxo que fizeram questão de não dar nenhum informação nova sobre o longa durante a entrevista, sendo que apenas Chastain deixou escapar que sua personagem (ainda sem nome oficial) luta contra toda a equipe de Xavier em algum ponto da produção. Pelo menos, eles foram simpáticos, demonstraram empolgação por estarem ali e fecharam a brincadeira com quinze minutos completos do longa.

A sequência mostrou uma nave dando problema no espaço e os nossos queridos mutantes trabalhando como equipe para salvar os astronautas antes de uma explosão gigantesca. Um momento muito parecido com a cena onde, nos quadrinhos, Jean Grey se sacrifica e acaba sendo “possuída” pela entidade da Fênix. E, com exceção da presença da Mística entre os heróis, tudo me pareceu bem fiel e convincente , em grande parte por mostrar algo que a franquia nunca fez. Ao contrário de um primeiro trailer que insistia em vender o mesmo filme de sempre e rendeu um podcast todo sobre isso.

Eu ainda estou com um pé bem atrás em relação ao longa completo, mas estaria mentindo se dissesse que não gostei da cena. A ação funciona, ver a equipe finalmente funcionar como tal é encantador e a tal cena com a Jean é um show bastante fiel aos quadrinhos. Falta o filme todo ser assim? Falta, mas pelo menos a Fox fez sua parte e deixou uma semente de esperança na mente dos nerds presentes na exibição desse conteúdo exclusivo. Bom painel!