AODISSEIA
Especial

CCXP 2018: Chegou a hora dos heróis da DC…

Todo mundo gritando SHAZAM!

17 de dezembro de 2018 - 01:30 - Flávio Pizzol

Depois de tudo que rolou no bom começo do painel, a Warner cedeu seu espaço no palco para os heróis da DC que vão chegar ao cinema em breve conquistarem o público desde já, incluindo no pacote as promessas de surpresas do estúdio. Alguns desses heróis convenceram, outros nem tanto e eventualmente – e infelizmente, claro – a Warner colocou aquele pezinho na decepção que tinham sido suas apresentações passadas.

Mas antes desse momento, o primeiro convidado tomou o show para si. Zachary Levy (conhecido basicamente por Chuck) entrou ao som de jatos de ar misturados com os volumosos gritos de Shazam proferidos pelos fãs e conquistou todo mundo imediatamente com doses absurdas de carisma. Ele fez piadas, brincou com tudo e, acima de tudo, deixou claro que estava muito empolgado mesmo com o filme que estava fazendo, principalmente por ter o espírito infantil que o herói precisa. E isso é essencial para o sucesso de uma produção como essa: ter o coração no lugar.

Depois disso, nós vimos um trailer não-finalizado que só deve chegar ao lindo universo da internet no final do ano. O vídeo – focado quase que completamente na versão adulta do personagem – mostrava quase todo o primeiro encontro de Shazam com o Dr. Silvana (vilão do longa), alguns relances de cenas de ação entre os arqui-inimigos, uma referência muito justa a cena do piano de Quero Ser Grande e amostras de coo o personagem vai ganhar confiança e evoluir como herói e ser humano no decorrer da produção.

Aí, depois de vermos o Shazam voando pela primeira vez, chegou a hora de falar do resto do universo. O povo clamava por Mulher-Maravilha 1984, por um trailer do Coringa que estava pra sair acordos com boatos e quiça até mesmo um novo calendário da DC no cinema. O primeiro veio com a exibição da cena que passou em San Diego e se revelou como uma cena confusa e com uma acabamento questionável. Algo válido em julho, quando o filme ainda estava começando as gravações, mas que pode não ser tão bom e interessante agora.

Ainda assim, podemos comemorar por sua exibição, já que todas as outras expectativas foram substituídas por uma cena completa de Aquaman, um filme que já tinha sido exibido completo dois dias antes. Sim, eu sei que nem todo mundo estava no auditório nos dois dias, mas a resposta morna do público mostrou que essa parcela era grande maioria. Acabou sendo um tiro no pé que não teve o impacto que a cena merecia e virou um início de decepção justamente no final do painel.

Isso revela uma falta de cuidado na organização da ordem da apresentação por parte da Warner e da DC, já que uma parte desse sentimento seria diluído caso não viesse justamente no que deveria ser o clímax do painel. Foi muito melhor do que no ano passado, mas isso e o impedimento de tirar foto das entrevistas são coisas que eu não consigo deixar de criticar. É verdade que eles acertaram quando deram tempo para que osa celulares fossem religados e reuniram todos os convidados no palco para uma foto de lembrança (algo valioso para os fãs), mas isso não muda o fato de que o próprio estúdio perde o compartilhamento espontâneo de certos momentos, como a entrada triunfal do Shazam, nas redes sociais. Me parece uma decisão equivocada de marketing que também ajuda a diminuir o que fica do painel após ele. E acreditem quando eu digo repetidamente que essas lembranças são muito importantes quando chega a hora de escolher qual filme assistir com o crush