0

Caçada Mortal não é bem o filme de Liam Neeson que você está esperando

Veja as curiosidades:

  • 17 romances que Caçada Mortal se baseou
  • Primeiro filme do diretor desde O Vigia
  • Filme atrasou por conta de Minority Report
  • Atores foram contratados pelo Youtube
  • Dan Stevens de um jeito que você nunca viu
  • Caçada Mortal é ambientado em 1999
  • Filme é menos violento do que se esperava
  • Filme é mais cadenciado deliberadamente
  • Liam Neeson se dedicou totalmente ao papel

Liam Neeson é daqueles que não tira folga no domingo. É batata. Todo fim de semana à noite lá está ele, entrando com suas perseguições e caçadas infalíveis nas exibições do Domingo Maior.

Vira e mexe a gente pisca o olho, acaba o Fantástico e lá está Liam Neeson em mais uma Caçada Mortal com alguém que, provavelmente, tenha capturado um filho seu ou matado toda sua família. A Vingança move os filmes de Liam Neeson e aqui, não é diferente.

Caçada Mortal é só um dos inúmeros filmes que o ator já participou e, de uns anos para cá, parece que encontrou um nicho bem específico de produções que ainda tem muito caldo para dar.

Confira, então, 9 curiosidades sobre o filme Caçada Mortal com Liam Neeson:

Caçada Mortal é baseado em um livro de uma série com 17 exemplares

+++ Narciso em Férias: Conheça o documentário de Caetano Veloso no Globoplay
+++ Crítica: O Diabo de Cada Dia e o mal que habita em nós

Existem mais 16 outros romances que são sequências diretas o livro que Caçada Mortal se baseou

O filme Caçada Mortal  é adaptado a partir do 10º livro na série de romances de Lawrence Block, chamado de A Walk Among the Tombstones de 1992, algo como “Um Passeio entre as Lápides” em português.

Esse também é o título original do filme que gira em torno de investigador particular Matthew Scudder. A primeira edição foi lançada em 1976 e o, 17º e último livro, foi publicado publicou em 2011.

Esse é o primeiro filme do diretor desde O Vigia

Este é o primeiro filme em longa-metragem do roteirista e diretor Scott Frank desde o espetacular filme de assalto estrelado por Joseph Gordon-Levitt, O Vigia, que, por sinal, foi sua estréia na direção.

Nesse meio tempo, Frank ajudou a conceber o roteiro de Marley e Eu e o filme solo do Wolverine, bem diferentes uns dos outros.

Filme atrasou pois Scott Frank estava envolvido com Minority Report

Scott Frank teve contato com os romances de Lawrence Block pela primeira vez em 1998, mas pulou os primeiros 8 livros porque havia ouvido que o 9º e o 10º episódios,  A Dance at the Slaughterhouse (1991) e Walk Between the Tombstones (1992), eram os melhores da série.

Tombstones imediatamente saltou sobre ele como um filme de detetive particular da cidade de Nova York que ele queria fazer há anos, no que então seria Caçada Mortal. Contudo, Frank acabou sendo contratado por Steven Spielberg para escrever Minority Report, o que fez o diretor terminar o roteiro do filme apenas em 2001.

Depois disso, por mais de uma década, todos os estúdios de Hollywood disseram a Frank que não havia mais mercado para esse tipo de filme porque não havia mais interesse do público em apoiar dramas mais adultos com orçamento baixo. É aí que tudo teria terminado se não fosse pela conveniência de Neeson, que se apegou ao roteiro por meio de seu agente, tornando-se uma referência nesse tipo de filme depois de Busca Implacável.

Alguns atores foram encontrados através do Youtube

No filme, Schudder acaba fazendo amizade e se tornando mentor de um garoto de rua que possui sonhos na vida mas sua realidade não permite alçar voos maiores.

O relacionamento deles está provavelmente em algum lugar entre as brigas de Indiana Jones e Short em O Templo da Perdição e a hostilidade entre Tony Stark e o garoto chato de Homem de Ferro 3.

De acordo com Frank, ele chamou o garoto depois que recebeu um link do YouTube com a aparição do menino no programa americano X Factor.

Dan Stevens de um jeito que a gente nunca viu

Ele era um galã como Matthew Crawley em Downton Abbey,  mas Dan Stevens interpreta um personagem muito diferente em Caçada Mortal: um traficante que contrata o personagem de Neeson para encontrar os bastardos que sequestraram e mataram sua esposa. O diretor Scott Frank adorou Stevens em cena, dizendo à Collider:

Você quer alguém que traga algo interessante e realmente crie um personagem com você no filme. Você vê isso com certos atores. Também é divertido puxar as pessoas para uma direção diferente. Eu fiz isso com Matthew Goode em O Vigia, e foi divertido fazer isso com Dan Stevens em Caçada Mortal. Ele é um ator tão bom. Ele foi realmente capaz de desaparecer no longa, muitas pessoas nem sabem quem ele é.Quando veem o filme, se perguntam: “Qual deles era Dan Stevens?” Eles não sabem.

Caçada Mortal é ambientado em 1999

Depois de uma cena de abertura em 1991, a maior parte do filme Caçada Mortal se passa em 1999. Parte disso é simplesmente pelo fato do roteiro ter sido escrito justamente nessa época. No entanto, Scott Frank disse à Collider que eles se recusaram a atualizar as coisas que aconteceriam no presente porque 1999 e o medo do bug do milênio foi um cenário bastante dramático e  interessante para um filme com dois vilões desconhecidos e imprevisíveis.

Segundo ele, foi ótimo ter demorado cerca de 10 anos para fazer o filme pois tudo que aconteceu na virada do milênio poderia ser visto com olhos diferente depois de algum tempo, e se beneficiaria disso nesse contexto. O único problema foi o fato de 1999 ainda ter as Torres Gêmeas arranhando o céu de Nova York e essa ameaça do terrorismo não era algo tão latente assim.

Filme com Liam Neeson não é tão violento quanto se esperava

Depois da grande cena de ação na abertura do filme, há apenas mais uma outra mais para frente no longa. Segundo o diretor, todos concordaram com isso, pois essa era a ideia do filme.

“Todos abraçaram isso desde o início das gravações. As pessoas que investiram a grana estavam preocupadas em saber como vendê-lo, e obviamente, ninguém nunca me disse o que precisaria ser feito. Foi interessante e todos aceitaram o que realmente era Caçada Mortal. Mesmo com o ritmo mais cadenciado, é um ritmo muito deliberado”, disse Frank à Collider.

Caçada Mortal é lento de propósito

Muita gente acha que talvez Caçada Mortal não precisasse ter suas quase duas horas de duração. Mas como dito acima, o ritmo cadenciado foi feito de propósito, já que essa era a intenção da produção. Criar um thriller intenso e investigativo, no ritmo noir que gostariam que fosse.

Segundo o diretor, ele acha esse ritmo mais revigorante pois existe tanta coisa corrida por aí, que algo mais devagar acaba sendo um contraponto com o que o cinema oferece hoje em dia.

“Há uma cena de Liam Neeson sentado em uma mesa em uma lanchonete e ele está de perfil. Está sentado lá e um cara se aproxima e dá as costas para a câmera. Ele está de costas para a câmera por 43 segundos. E então, ele se senta na cabine e conversam por mais 30 segundos. E então cortamos. Hoje, há sempre esse instinto de começar a dividir, aumentar o ritmo e fazer cortes malucos. Você não consegue conhecer ninguém. Você não sente nada”, completa o diretor.

Contudo, Caçada Mortal nem sempre teve esse ritmo. Frank nem sempre estava seguro sobre isso e no início do processo de pós-produção, ele cortou o filme de uma maneira mais comercial e rápida e, quando o mostrou a seu amigo Steven Soderbergh, o diretor de Magic Mike, percebeu imediatamente que Frank não o havia cortado da maneira que havia dito. Assim, seguindo o conselho de Soderbergh, ele o reeditou completamente de maneira mais convencional do que desejava originalmente.

Liam Neeson se dedicou como nunca

Finalizando, ainda de acordo com a entrevista à Collider, Frank disse que Liam Neeson realmente embarcou na ideia do papel em Caçada Mortal.

Neeson é conhecido por passear por várias áreas do cinema e encontrou no filme a chance de apresentar algo novo e assim o fez. Caso você tenha perdido Caçada Mortal no Domingo Maior, é possível encontrar o filme em apenas dois lugares:


 

 

Ver essa foto no Instagram

 

As faces do cinema através das cores 😍🟠🟣🟢⚫⚪ . Via @thefilmszone . #filmes #arte #cinema #colors

Uma publicação compartilhada por A Odisseia – Cultura Pop (@aodisseia) em

Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

Histórias Cruzadas | Filme com Octavia Spencer é baseado em fatos reais?

Previous article

Rainha de Katwe | Conheça a história real do filme exibido na Globo

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Filmes