big brother brasil 21
0

O Big Brother Brasil 21 chegou com a promessa de ser o Big dos Bigs. Mas, será que conseguiu?


O Big Brother Brasil é formado por narrativas. Como falamos na nossa última live do programa (que você pode conferir clicando aqui.), cada ano o vencedor se beneficia de uma narrativa própria para chegar a final, e porventura ao prêmio de 1,5 milhão de reais (tá na hora de aumentar isso aí dona Rede Globo).

Se em 2018 tivemos o arco de redenção de Gleice Damasceno após seu paredão falso, em 2019 tivemos o racismo em pauta, mas que acabou consagrando uma racista como campeã (num dos países mais preconceituosos do mundo). Ano passado, tivemos o machismo como problema a ser discutido, com os ditos “machos escrotos” saindo um por um.

O Big Brother Brasil 21 não foi diferente. A narrativa da vez foi a do outsider, do underdog, no claro português: o rejeitado. Nós já vimos essa mesma história no distante (e melhor de todos), Big Brother Brasil 10, quando Marcelo Dourado se consagrou campeão jogando sozinho (na maior parte do tempo pelo menos).

Mas nem só dessa história o Big Brother Brasil 21 se beneficiou. Os 100 dias de programa foram intensos em seu início, rendendo certo marasmo na reta final.

+++ Confira o texto do BBB 20

Cancelar o cancelamento

Brothers do BBB21 se apresentam após união das casas | casa BBB | Gshow

A primeira reunião do BBB é sempre formada por relações improváveis, e muito paz e amor. Quem não lembra o louvor cantado no BBB20, que logo depois rendeu tretas e mais tretas? No Big dos Bigs (como foi apelidado esse ano), não foi diferente.

O medo do cancelamento afetou as primeiras semanas da casa, e logo surgiu o tal do “cancelar o cancelamento”, algo que não funcionou muito bem, já que essa edição detém os recordes de maiores rejeições da história do reality show.

Entretenimento ou tortura?

BBB 2021: Karol Conká faz as pazes com Lucas Penteado após longa conversa | RD1

Na edição desse ano, muito se discutiu o verdadeiro significado da palavra entretenimento. O sofrimento constante, a chantagem emocional e o abuso psicológico (já que o físico não é permitida lá), são de fato algo que queremos ver na televisão?

A hostilidade de Karol com Lucas rendeu momentos de embrulhar o estômago, e a narrativa do rejeitado citada lá em cima, parecia ter encontrado seu protagonista. Ledo engano. Lucas desistiria do Big Brother Brasil 21 duas semanas depois, deixando sequelas na casa, que durariam pelo menos mais 1 mês.

Quebra de tabus

Lucas Penteado e Gilberto trocam beijos na Festa Holi Festival no BBB21 | casa BBB | Gshow

Se o BBB 20 ficou marcado pela quebra de recordes em votos, a edição 2021 quebrou alguns tabus importantes. Antes de sair (pra ser mais exato, na mesma madrugada), Lucas e Gil do Vigor deram um beijaço, o primeiro beijo gay entre dois homens do reality.

Foi uma festa insana, que começava com o show de Barões da Pisadinha (a primeira no jardim da casa pós-pandemia), e terminava com a desistência de Lucas. Mas isso acabou não sendo em vão, pois após esse feito, nascia uma lenda.

Gil do Vigor e a cachorrada

Sport posta apoio a Gil do Vigor, do BBB; torcedores fazem 'mutirão' de votos para salvá-lo do Paredão | LANCE!

Gilberto Nogueira, mais conhecido como Gil do Vigor, sem dúvida foi o grande nome do Big Brother Brasil 21. O protagonista nato não se limitou apenas a quebrar tabus. Ele foi líder (3 vezes), anjo, monstro, ganhou provas bate e volta, atendeu big fone, voltou de paredões, brigou, tirou a barba no seco, enfim.

Até planta Gilberto foi. Depois de uma semana apagada na casa, a saída de Sarah (a espiã), deu um gás no desenvolvimento deste personagem, que com certeza ficará marcado na história do BBB. Pra ser sincero, Gil merecia um texto só para ele, pois serviu entretenimento de qualidade.

Preconceitos velados e escancarados

Vestidos de Monstros, Caio e Rodolffo pregam pegadinha em João Luiz no BBB21 | casa BBB | Gshow

O racismo escancarado do cantor sertanejo Rodolffo, foi uma das pautas do Big Brother Brasil 21, rendendo um dos momentos mais históricos do programa. Confrontar esse racismo, com todo certeza, foi o que eliminou o professor João Luiz, mas nem só de preconceito escancarado viveu o BBB 21.

Tivemos xenofobia contra aquela que não pode ser citada, além da própria tendo falas racistas, bifóbicas e homofóbicas.

A final sem protagonista

Final do BBB21 tem terceira maior votação da história do programa | BBB21 | Gshow

A discussão nas redes sociais girou em torno da dúvida: Seria essa a pior final da história do BBB? Afirmo que a do BBB 19 foi muito pior, aliás, aquela edição foi inteiramente um delírio coletivo. Camilla de Lucas realmente foi uma planta e não merecia estar ali. Fiuk, apesar de gerar ódio alheio com sua passivo-agressividade, rendeu bons momentos como a cena do macarrão, os batimentos cardíacos zerados e o monólogo do “a gente é privilegiadaço cara”.

A cantora também rendeu momentos interessantes, principalmente no primeiro mês, o que acabou lhe dando a vitória, sendo uma das ex-bbbs mais seguidas nas redes sociais, e se tornando um fenômeno sem sentido, igual o spinner de dedo.

Mas, afinal, o brasileiro odeia entretenimento?

BBB 21: Show de Projota vira “coleção de memes” na web - POPline

Desde a eliminação precoce de Dr. G, o grande vilão do BBB 5, é possível dizer que o público brasileiro odeia entretenimento de qualidade. Apesar da maior parte do elenco do Big Brother Brasil 21 pecar nesse quesito (já que era ruim de festas, brigas e xingamentos), tivemos alguns momentos que mereceram atenção.

O arco de Arthur em busca do amadurecimento, Caio indignado com o pai de Britney Spears, o vocabulário vasto de Lumena, Pocah em busca de pó, Viih Tube e seus inúmeros parentes, as mudanças de humor de Thaís, a volta triunfal de Carla Diaz do paredão falso, enfim.

Torçamos para que os vilões fujam do paredão, pois a geração atual parece querer tirá-los o mais rápido possível, e que ano que vem seja melhor em todos os sentidos.


Gostou desse conteúdo? Então nos ajude a manter o site vivo entrando para o Odisseia Club. Seja um apoiador da Odisseia e acompanhe tudo sobre filmes, séries, games, músicas e muito mais.

Tiago Cinéfilo
Estudante de Comunicação e editor deste site. Criador, podcaster e editor do "Eu Não Acredito em Nada", o podcast de terror da Odisseia.

O Legado de Júpiter | Quais são os personagens da série da Netflix?

Previous article

Bela Vingança | Uma temática atual e séria pintada com acidez e criatividade

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

More in Especial