TOP 15: Melhores Filmes de Guerra

, TOP 15

As guerras foram – e são até hoje – momentos decisivos na história da humanidade para o bem e para o mal. Com tantas batalhas marcantes, tecnologias desenvolvidas, mortes desnecessárias e heróis que merecem ser lembrados para sempre seria quase impossível que esses conflitos se tornassem um dos grandes gêneros do cinema. Até o Último Homem estreou essa semana para nos lembrar disso, emocionar o espectador e recolocar Mel Gibson no hall dos grandes diretores.

Aproveitando o pique e as indicações ao Oscar alcançadas pelo longa, nós decidimos separar nossos filmes favoritos de guerra para enriquecer a lista de todos leitores. Para isso, escolhemos apenas longas que reproduziram guerras reais ou focaram no centro do combate durante a maior parte do tempo, excluindo, no entanto, histórias de caráter mais épico. Isso infelizmente excluiu longas como Rogue One, Dr. Fantástico e Coração Valente dessa edição, mas ainda gerou uma lista maravilhosa e que poderia ser muito maior.

15) O Pianista (2002)

A perseguição ao judeus foi um dos pilares mais dolorosos da Segunda Guerra Mundial e, consequentemente, se transformou em um dos temas mais importantes – e dolorosos – do cinema. Pensando nisso, a saga do instrumentista polonês Władysław Szpilman não poderia ficar de fora dessa lista. Uma direção pesada de Roman Polanski, uma atuação brilhante de Adrien Brody e uma quantidade absurda de cenas chocantes que merecem ser vistas. Eu, por exemplo, ainda tenho gravado na memória aquele plano onde os soldados jogam um cadeirante da sacada por ele não conseguir levantar…

14) Guerra ao Terror (2008)

As incursões americanas ao Oriente Médio também se tornaram grandes filmes que merecem alguma representação nessa lista. Guerra ao Terror assume essa função por possuir uma direção tensa, imergir o espectador na guerra com a edição e a sonorização, explorar um ponto de vista diferente pelo olhar dos desarmadores de bomba e ainda abordar os dramas vividos pelos soldados que conseguem voltar para casa. Além disso, parece que foi ontem que o longa saiu do Oscar como o grande vencedor no lugar de Avatar.

13) Bom Dia, Vietnã (1987)

Além de ser o filme que revelou o talento de Robin Williams para misturar drama e comédia, essa produção ocupa um lugar na minha lista por retratar os bastidores da guerra do Vietnã com emoção, tensão e diversão. Não é uma produção focada na realidade ou no combate em si, mas coloca seu protagonista in loco para injetar motivação nos soldados de uma forma inesperada e satirizar uma invasão tida como inútil por muitos americanos. Bom Dia, Vietnã merece ser assistido sem nenhuma contra-indicação!

12) Sem Novidade no Front (1930)

Vencedor de vários prêmios e proibido na Itália até a década de 50, Sem Novidade no Front foi um dos primeiros grandes longas a retratar a Primeira Guerra com fidelidade pelo olhar dos soldados alemães. Mesmo sendo uma produção americana, o filme acerta nesse ponto de vista e cresce muito quando contrapõe as opiniões de quem está dentro e fora do combate em si. No final das contas, será que existe algum heroísmo em defender seu país numa guerra sem lógica?

11) Trovão Tropical (2008)

Talvez essa seja a escolha mais duvidosa dessa lista, mas Trovão Tropical merece sua vaguinha justamente por esse ponto de vista diferente que eu já comentei em outros longas. O filme, dirigido por Ben Stiller, é uma comédia escrachada que coloca o espectador no meio da produção de longa-metragem insano, joga os atores no meio de um confronto que imita as batalhas vietnamitas e satiriza a forma como os americanos (e a própria Hollywood) enxergam a guerra.

10) Glória Feita de Sangue (1957)

Esse foi o filme que projetou a carreira de Stanley Kubrick para o mundo, reconhecendo, principalmente, a condução da cenas de batalha e beleza mórbida dos seus planos-sequência dentro das trincheiras. Mesmo assim, Glória feita de Sangue merece sua atenção por explorar os aspectos morais da guerra de forma poderosa, após um general levar três soldados aleatórios para a corte marcial com o intuito de abafar sua decisões em um ataque suicida durante a Primeira Guerra Mundial. Um longa forte e questionador que certamente merece uma vaguinha por aqui.

9) A Queda: As Últimas Horas de Hitler (2004)

De volta para a Segunda Grande Guerra, esse longa alemão – reconhecido mundialmente pelos vídeos redublados de Hitler – narra os últimos dias de vida do ditador, que naquele momento já estava isolado no seu bunker com alguns subordinados de confiança. É mais um filme que não se passa no meio da violência em si, mas conquista seu lugar pela direção tensa, desesperadora e honesta que chega muito perto de revelar motivações reais ou humanizar o Führer.

8) Cartas de Iwo Jima (2006)

Complementado pelo simplório A Conquista da Honra, esse longa revela um lado da guerra pouco explorado por Hollywood ao remontar a violenta batalha de Iwo Jima sob o ponto de vista dos próprios japoneses. As duas produções funcionam como experiências dramáticas e entregam cenas de conflito muito bem conduzidas por Clint Eastwood, mas Cartas de Iwo Jima chama mais atenção justamente por fugir da temática nacionalista e nos levar em uma viagem pelos princípios, motivações e questionamentos morais de um lado esquecido pelos blockbusters.

7) Bastardos Inglórios (2009)

A mente viajante e surtada de Quentin Tarantino gosta de percorrer os caminhos que passam por gêneros clássicos, referências ao cinema e, logicamente, momentos históricos adorados pelos grandes estúdios. Bastardos Inglórios marca sua passagem pelos longas de guerra com atuações insanas de Christoph Waltz e Brad Pitt, diálogos verborrágicos, mortes sangrentas e uma reimaginação do final da Segunda Guerra com o assassinato de Hitler. Imaginativo, divertido e violento como só um filme tarantinesco pode ser.

6) O Resgate do Soldado Ryan (1998)

A primeira aparição de Steven Spielberg nessa lista chega com um dos seus longas mais aclamados, realistas e injustiçados pelas premiações. O Resgate do Soldado Ryan é uma história emocionante sobre lealdade que funciona como um bom filme de ação e ainda entrega uma das melhores sequências de abertura do cinema com a invasão da Normandia. Na verdade, eu nem preciso falar mais nada, porque só a recriação daquela batalha decisiva já é motivo suficiente para justificar a sua presença por aqui.

5) Platoon (1986)

Platoon acompanha a típica história de um estudante que vai para a guerra com o objetivo de salvar o país e demonstrar seu patriotismo até ver todo esse idealismo cair por terra no primeiro tiroteio nas selvas vietnamitas. Um filme repleto de grandes atuações de Charlie Sheen, Williem Dafoe e Tom Berenger, um roteiro que ironiza a investida americana com seriedade e uma direção intensa. Não temos como negar que Oliver Stone fez um dos melhores filmes de guerra de todos os tempos.

4) A Ponte do Rio Kwai (1957)

David Lean é considerado um dos maiores diretores do cinema mundial e sua filmografia obrigatória passa por clássicos como Doutor Jivago, Lawrence da Arábia e A Ponte do Rio Kwai. O último entra nessa lista ao contar a história fictícia (muita gente acredita até hoje na existência da ponte que foi construída apenas para o longa) de soldados britânicos que são obrigados a construir uma ponte para os japoneses, enquanto tramam uma forma de fugir e explodir a mesma. Muito drama, suspense e conflitos morais típicos das grandes produções do gênero.

3) Nascido para Matar (1987)

E olha Stanley Kubrick na lista de novo com o seu terceiro melhor filme (só perde para 2001 e Laranja Mecânica). Um dos filmes de guerra mais dramáticos, tensos e realistas que eu já assisti, graças ao roteiro brilhante, a atuação magnífica de R. Lee Ermey e a direção crua que o coloca entre as grandes produções sobre o conflito no Vietnã. Além disso, Nascido para Matar é mais um longa que merece estar aqui só pela sequência improvisada dos apelidos, a cena no banheiro e a brincadeira com a Disney na última sequência. Simplesmente brilhante!

2) A Lista de Schindler (1993)

A perseguição aos judeus durante o Holocausto volta a nossa lista sob a forma de heroísmo, bondade e amor ao próximo quando o empresário alemão Oskar Schindler usa a influência no partido nazista para salvar mais de mil pessoas. Atuações inesquecíveis de Liam Neeson, Ben Kingsley e Ralph Fiennes, uma fotografia preta e branca que ressalta os momentos dramáticos e, é claro, uma visão impressionante sobre um dos maiores genocídios da história. Uma verdadeira obra-prima de Steven Spielberg!

1) Apocalypse Now (1979)

E, por fim e mais importante, nosso primeiro lugar ficou com o clássico Apocalypse Now. Uma produção marcada por tantos problemas que gerou até um documentário. um roteiro que colocava o dedo na ferida dos americanos que apoiavam a Guerra do Vietnã, uma direção simplesmente espetacular de Francis Ford Coppola e grandes atuações nos personagens mais insanos possíveis. Poderoso, violento, alucinante (literalmente) e cheios de frases icônicas. Se ainda não viu, corra pra sentir o cheiro de napalm o mais rápido possível!


OBS 1: Caso essa lista não mate sua vontade, corra atrás de M.A.S.H, À um Passo da Eternidade, Além da Linha Vermelha, Sniper Americano, A Vida é Bela e Corações de Ferro. Ficaram fora dessa lista por muito pouco!

Comment List

Deixe uma resposta