AODISSEIA
Colunas

Odisseia na CCXP: Resumão de Domingo

10 de dezembro de 2015 - 18:00 - Flávio Pizzol

Domingo foi o único em que eu e mais ninguém da equipe oficial do Odisseia entrou no auditório principal, basicamente porque decidimos não enfrentar o caos que foi implantado no sábado. Por conta disso, vou só fazer um resumo do que ouvi e vi pelo telão.

O primeiro painel do dia, assim como no sábado, foi o do ator Misha Collins, que é completamente surtado, carismático e apaixonado por suas fãs. No meio de muitas perguntas divertidas e presentes inusitados sendo entregues, o maior momento dessa apresentação foi quando ele pulou a cerca de segurança para ir cantar Carry On My Wayward Son, uma das músicas mais importantes de Supernatural, no meio da galera.

Depois foi a vez da Warner assumir o palco com o figurinista de Batman v. Superman, a pré-estréia de Creed – Nascido para Lutar e o seu próprio painel. A primeira parte foi só uma conversa divertida sobre o design de uma das maiores produções de 2016, enquanto o filme e o próximo momento guardaram mais surpresas.

Creed foi muito elogiado por acertar em cheio na nostalgia e levar boa parte das 2000 pessoas presentes ao choro. Depois de enxugar as lágrimas, eles tiveram que gritar muito, porque a Warner trouxe um teaser exclusivo de todos os seus filmes de heróis até 2020, misturando cenas já gravadas com visual dos personagens e alguns pôsteres.

Após isso, Frank Miller voltou mais uma vez ao palco principal, acompanhado por Jim Lee e Dan Didio, para falar sobre The Dark Knight III. Ele admitiu que quase matou o Batman no primeiro The Dark Knight, que esperou até a hora certa para fazer essa continuação e fechou com uma resposta épica: ele é amigo de Stan Lee e desenha melhor do que ele.

E o dia foi fechado com aquele que muitos elegeram como o painel mais épico de todo o evento: Netflix e os The Ridiculous Six. Os convidados da vez eram Adam Sandler, Jorge Garcia, Taylor Lautner, o diretor Frank Coraci e um insano Terry Crews que roubou todos os holofotes quando tirou a camisa e cantou A Thousand Miles (a icônica música de As Branquelas) ao vivo. E pra melhorar o que aparentemente não tinha como ficar melhor, Adam Sandler ainda anunciou de surpresa que iam fazer a pré-estréia do filme ali.

Esse foi o painel que fiquei mais arrependido de não ter participado (ao lado da exibição antecipada de Creed), mas isso não fez o evento ser pior, porque eu vivi outras aventuras que serão relatadas no próximo texto. Sei que esses momentos ficaram na memória de quem viu ao vivo, mas é justamente essa possibilidade de escolha entre coisas muito fodas que torna o evento ainda melhor e mais épico.