AODISSEIA
Especial

Odisseia na CCXP – Painel da Rede Globo

9 de dezembro de 2016 - 11:00 - Flávio Pizzol

Os principais lançamentos da Globo em 2017?


A Globo tem garantido seu espaço na CCXP desde a primeira edição com alguns painéis comemorativos. Esse ano manteve a tradição com a presença de um emocionado Renato Aragão como homenageado do evento, mas o principal canal da televisão aberta brasileira também ocupou o auditório Cinemark com convidados e conteúdos exclusivos ligados as próximas estreias da emissora.

Tudo começou com Marcelo Adnet (o host da tarde) improvisando uma de suas típicas rimas sobre nerdice, televisão e CCXP, fazendo muitas piadas e informando que Fernando Caruso (nerd de carteirinha) ia ficar na platéia para receber perguntas do público no único painel aberto daquela sala. Depois ele já convidou Tony Ramos, Mônica Iozzi e Alexandre Machado para falar sobre a comédia sobrenatural Vade Retro. Nós descobrimos que Mônica foi promovida com muita velocidade, que Tony não faz laboratório e que a série não foi inspirada em Supernatural para depois assistir um trailer bem parecido com outros produtos da casa.

O segundo bloco focou na série dramática e policial Carcereiros, representada pelo autor Fernando Bonassi e pelo diretor José Eduardo Belmonte, já que o elenco estava gravando naquele momento em um prisão recém-construída em Minas Gerais. Esse realismo da ficção se misturou com partes documentais em um trailer (com cara de The Night Of, por sinal) que passava uma mensagem interessante: será que os brasileiros se lembram desses funcionários que vivem presos sem terem cometido nenhum crime? Além desse peso dramático, o elenco composto por Rodrigo Lombardi, Toni Tornado, Caio Blat, Matheus Nachtergale e Ailton Graça chamou muita atenção. Pode surpreender!

Depois foi a vez de Zózimo, um noir que vai acompanhar um detetive particular no Rio de Janeiro da década de 50. A série nem começou a ser gravada, mas os convidados Mauro Wilson (roteirista), Ailton Graça (colecionador de quadrinhos) e Vladimir Brichta garantiram uma mistura entre comédia e drama, um clima diferente para um produto baseado em quadrinhos e algumas críticas atuais, considerando que todos os episódios vão girar em torno de uma traição em uma época onde o machismo comandava a sociedade (mais do que hoje…). A estréia está marcada para setembro.

Apesar de boas ideias, o programa que mais chamou minha atenção foi Filhos da Pátria, apresentada pelo seu criador Bruno Mazzeo. O trailer, estrelado por Alexandre Nero e Fernanda Torres, leva o espectador para 1822 (especificamente, um dia após a independência) para criar uma comédia histórica que faz piada com corrupção, Maricá, protestos, impeachment e outras coisitas mais. Tem cara de sitcom, mas é engraçado e atual de uma forma que eu não esperava.

Inclusive, parece muito com os rumos seguidos pelos últimos convidados do painel: Zorra e Tá no Ar. Marcius Melhem e Mauro Farias subiram ao palco para falar sobre a reinvenção do primeiro, a aceitação da ousadia do segundo dentro da Globo, a forma como o próprio Melhem coordena os roteiros de ambas as produções e criatividade. Tudo antes de mostrar dois vídeos inéditos das próximas temporadas, onde o Zorra continua com os esquetes sobre a vida urbana e Tá no Ar brinca com paródias que vão de Breaking Bad até O Iluminado.

Gostei da apresentação no geral e já estou ansioso pela maioria desses projetos, então é bem possível que todas ganhem textos por aqui. Claro que boa parte do público estava ali para ver o painel da Fox, mas Marcelo Adnet estava engraçado, Fernando Caruso nem se fala e os convidados pareciam felizes de estar ali. Resumindo, gostei mesmo e não tenho problema nenhum com a presença da Globo em um evento nerd. Que venha mais!