AODISSEIA
Colunas

Odisseia na CCXP: Painel Marvel

10 de dezembro de 2015 - 14:00 - Flávio Pizzol

Como já disse aqui, o sábado começou bem com Disney e Pixar, mas ia ficar muito melhor. Afinal, não é qualquer evento de cultura pop (com exceção de San Diego, claro) que tem o poder de ter um painel oficial da Marvel apresentado por Anthony Russo, o diretor de Guerra Civil e dos próximos Vingadores, em carne, osso e nerdice.

O painel começou com o trailer que todos nós já vimos e revimos várias vezes, mas o diretor do filme não iria vir sem nenhuma carta na manga. A surpresa foi a exibição exclusiva do trailer de quase quatro minutos que só foi exibido na D23, mostrando muitas cenas novas, alguns porradeiros bem interessantes e um contorno mais épico para o que está por vir.

Depois disso, ao som de muitos gritos, Anthony Russo entrou sozinho no auditório, já que seu irmão estava passando mal e não conseguiu embarcar. O restante do painel foi cercado de perguntas feitas por Érico Borgo e pela platéia com respostas que insistiam em não revelar nada do filme.

Claro que ele deu algumas pistas ao falar que o Pantera Negra está lutando por seus próprios motivos e que a participação do Aranha é bem diferente de como acontece na HQ original. Além disso, ele revelou que o personagem, que foi arduamente negociado com a Sony, sempre foi parte da história. Eles contaram para a Marvel que tinham um plano B, mas ficaram torcendo muito pelo acerto positivo, porque não existia nenhuma versão da história sem o amigão da vizinhança.

Não foi um painel tão épico quanto os da Netflix, por exemplo, mas Anthony mostrou ser um nerd que ama aqueles personagens e, por isso, é muito capaz de fazer algo que os respeite. Tirando isso, só a exibição de um trailer mais do que foda já teria garantido a beleza desse painel.