AODISSEIA
Colunas

Odisseia na CCXP: Painel do Ivo Holanda

12 de dezembro de 2015 - 10:57 - felipehoffmann
Ivo Holanda na CCXP

Ivo aprecia cada momento em que esteve no painel.

Em meio a tantos painéis e stands gigantescos das produtoras americanas, foi um painel de um jovem senhor brasileiro que mais chamou a atenção nessa Comic Con Experience. Ivo Holanda se mostrou uma pessoa simples, emocionada e que acima de tudo, usa o humor para alegrar a vida.

Escondido atrás dos ensurdecidos aplausos, entra um senhor com uma blusa comum, calça cumprida, tênis colorido e um boné ligeiramente virado ao lado. Érico Borgo apresenta Ivo Holanda a plateia e já é possível notar certas notas de lágrimas assim que se apresenta. Quando a câmera se aproxima conseguimos ver detalhes de uma vida regrada a pegadinhas e muita gratidão. Ele usa um anel de tamanho considerável no dedo anelar, com o logo do SBT, indicando ali, um casamento de vários anos entre um homem simples e o lugar onde apareceu para a TV.

Ivo trata suas pegadinhas como pioneiras, graças a visão de Sílvio Santos, homem no qual ele trata quase como um pai. Já emocionado, o artista vê sua obra sendo passada no telão, aos inúmeros gritos de “PRODUÇÃO! PRODUÇÃO”. Ele sabe que mudou a forma das pessoas verem televisão aos domingos. Humor é o melhor remédio, diz, com a experiência de quem apanhou demais em troca de sorrisos de desconhecidos que nunca irá ver.

Erico Borgo observa a sutil condução de Ivo às perguntas

Ivo Holanda responde a cada pergunta olhando nos olhos.

Nas perguntas abertas, Ivo Holanda se levanta calmamente, andando tranquilamente e vai até as pessoas. Olha no olho de cada uma e responde serenamente todas as questões e brincadeiras feitas. Porém não se atentava que a maior pegadinha de todas, estava prestes a presenciar.

Duas jovens se levantam e vão questionar a idoneidade de Ivo, e até sua falta de responsabilidade em colocar desconhecidos em situações, no mínimo, constrangedoras. Em meio a vaias do público as jovens se exaltam em voz e assimilam um ataque cardíaco de seu pai às famigeradas pegadinhas de Ivo Holanda. Ele, assustado, não sabe o que dizer e trava sua reação a meras piscadas rápidas e lacrimejadas.

Um clima péssimo se instaura no auditório, porém Érico Borgo ri de canto de boca. Ali foi possível notar que algo estava escondido em meio a insultos e ofensas.

Ao fim do painel, revela-se uma pegadinha armada para o próprio Ivo Holanda cair. Um vídeo de Celso Portiolli fecha sua apresentação e aquele senhor, que tanto fez ri, chora copiosamente, sem reação, como apenas os mais velhos sabem. Ali ele teve a certeza de que deixou seu legado à base do humor e que se o remédio é rir, que faça isso para a vida toda.