AODISSEIA
Especial

Odisseia na CCXP: Insistindo na decepção com a Warner

Ou errar é humano, mas insistir no mesmo erro é uma grande burrice!

11 de dezembro de 2017 - 10:16 - Flávio Pizzol

Na CCXP 2016, a Warner ficou com o título de painel mais dispensável e decepcionante da temporada, logo todos que estavam presentes no auditório fatídico dia tinham boas razões para jogar fora todas as suas expectativas. No entanto, os nerds são pessoas esperançosas, e toda a emoção do sábado abriu espaço para tantas possibilidades épicas que poderia bvaler a pena acreditar. Mais uma vez, os seguranças passaram com o saquinho para lacrar o celular e, como se isso já fosse um prenúncio do desastre, a Warner decepcionou novamente.

O painel da empresa foi, de longe, muito superior àquele pecado do ano passado, mas esse avanço se deve mais às presenças de Tye Sheridan, Simon Pegg e Alicia Vikander do que aos esforços da Warner para realmente mexer com o público, recompensar quem sofreu nas filas. Todos os convidados estavam preparados para interagir com a galera, Pegg revelou-se um cara tão divertido quanto o esperado e Alicia ficou verdadeiramente emocionada com os aplausos vigorosos de sua primeira grande convenção. Isso, por si só, valeria o ingresso, caso a Warner não insistisse em criar a tal da expectativa desnecessária.

Tudo começou justamente com a dupla de Jogador Nº 1. Eles trouxeram curiosidades sobre os bastidores, comentaram sobre o diretor Steven Spielberg e o uso da computação gráfica na construção da Oasis, realidade virtual onde boa parte do longa deve se passar, e falaram sobre seus easter eggs favoritos. O ponto alto foi a exibição em primeira mão, incluindo um vídeo gravado pelo próprio Tye para o restante da equipe que estava no Texas, do novo – e incrível – trailer do filme que estreia em abril do ano que vem.

Dentro da exibição das principais apostas para 2018, Rampage surgiu em primeiro lugar com um vídeo de anúncio exclusivo e um trailer com três miseras cenas extras em relação ao vídeo que já tinha sido divulgado na internet. O universo de terror também ganhou um vídeo reunido todos os sucessos, cenas inéditas de A Freira e o anúncio do começo da produção de It: Capítulo 2. Por fim, Eddie Redmayne mandou um vídeo exclusivo que antecipou apenas o gif que substituía o elenco pelo título oficial de Animais Fantásticos 2. Nada que nós já não tivéssemos visto mais de uma vez…

Enquanto a esperança de alguma novidade real desaparecia aos poucos, Alicia Vikander subiu ao palco para falar sobre Tomb Raider: A Origem. O papo inteligentíssimo passou pela paixão antiga da atriz pelo game, a caracterização da personagem, a construção dos sets e as cenas de ação, mas alcançou seu auge quando a moça – emocionada desde a entrada no palco – tirou foto com alguns cosplayers da personagem. Ela ficou tão aérea que deixou o auditório sem uma despedida tão efusiva, deixando pra trás apenas os aplausos e um vídeo estendido de bastidores.

E essa despedida do mundo dos jogos foi o gancho para a entrada decepcionante da DC Comics, já que as promessas vazias do ano passado continuaram idênticas. Ao contrário do que aconteceu de 2015 para 2016, o vídeo exibido foi atualizado com os grandes sucessos dos últimos anos – vulgo Mulher-Maravilha – e uma série de anúncios futuros que não estão nada garantidos diante da possibilidade de reestruturação do universo cinematográfico diante do suposto fracasso de Liga da Justiça. Ninguém sabe se The Batman, Flashpoint ou Tropa dos Lanternas Verdes vão realmente ver a luz do dia em um calendário que excluiu até a possível continuação da Liga. Graças aos sucessos anteriores e ao estado avançado da produção, as únicas certezas que surgiram na tela são Mulher-Maravilha 2, Shazam e Aquaman.

Jason Momoa até surgiu com uma mensagem classificada como exclusiva, mas a falta de uma piada característica ou de uma simples saudação feita apenas para o Brasil revelou um produto genérico que poderia passar em qualquer convenção do mundo. Todos os estúdios investiram em pelo menos um vídeo onde os atores falavam diretamente conosco (incluindo a própria Warner), mas a DC conseguiu a proeza de ficar muito abaixo disso. E isso é muito pouco para um grande estúdio.

Em outras palavras, considerando a quantidade de painéis, indo da Maurício de Sousa Produções até os grandes estúdios de Hollywood, que trouxeram muito mais de uma novidade, fizeram transmissões ao vivo de sets de filmagem e surpreenderam a platéia com memórias inesquecíveis, a Warner ficou em dívida com a galera que dormiu na fila pra entrar no auditório. Faltou uma organização que identificasse o potencial de Jogador Nº 1 e deixasse o Gigante de Ferro voando em direção como encerramento de gala. Faltou esforço e investimento da Warner, tanto em brindes quanto em novidades de verdade. Faltou aprender que subir as expectativas com um celular lacrado não ajuda nem um pouco na sua apresentação, principalmente quando a ausência do smartphone só impediu a galera de tirar fotos dos convidados e guardar saquele momento pra sempre.