AODISSEIA
Especial

Odisseia na CCXP – Evanna, David e Ross

8 de dezembro de 2016 - 13:00 - Flávio Pizzol

Bate-papo com Evanna Lynch, David Wenham e Ross Marquand


Nem só de conteúdos exclusivos, artistas divulgando filmes e imitações de Carlos Villágran vive a CCXP. O evento também tem seus próprios convidados que passam no evento para autografar, tirar fotos com os fãs e participar de painéis sobre a carreira ou algum trabalho específico. Infelizmente, não conseguimos participar das conversas com David Ramsey, Mark Pellegrino e Natalie Dormer (diva), mas os outros três cumpriram seus papéis de forma divertida e enriquecedora para quem está tentando alcançar seus sonhos.

A atriz responsável por dar vida a Luna Lovegood na franquia Harry Potter falou muito sobre o seu amor pelos livros, a forma como eles funcionavam como o seu refúgio e a sensação de poder mudar o status de leitora para atriz nos últimos quatro longas. Apesar de entregar que sua escola fora das telonas é Grifinória, continua sendo muito engraçado perceber que Evanna Lynch é sua personagem incorporada na alegria, na timidez e no conhecimento sobre o mundo mágico. O último tópico chegou a virar um assunto sobre patronos, gatos e Animais Fantásticos com Aline Diniz – que estava mediando o painel.

A conversa com David Wenham, por outro lado, foi focada nas suas participações em diversas adaptações importantes para cultura pop e as curiosidades particulares de Senhor dos Anéis, 300 e Punho de Ferro (confira o painel da empresa aqui). Ele falou sobre a inclusão do romance entre Faramir e Eowyn nas versões estendidas da trilogia de Peter Jackson, o trabalho na tela verde com Zack Snyder e como Jeph Loeb (o chefão das adaptações televisivas da Marvel) conseguiu convencê-lo a interpretar o vilão da próxima parceria entre a empresa e a Netflix. Inclusive, ele deu alguns detalhes muito interessantes sobre a forma como seu personagem enxerga o mundo ao explicar que ele é famoso, inteligente e bilionário.

Por último, Ross Marquand subiu ao palco já no domingo para falar sobre The Walking Dead e, nesse caso específico, eu preciso admitir que não estava interessado por achar o personagem dele bem inútil. Ainda assim, ele contornou todas as desconfianças ao comentar sobre o clima familiar encontrado no set da série, a amizade entre Jeffrey Dean Morgan e Norman Reedus, as reviravoltas da segunda metade dessa temporada e os testes realizados antes de ser escolhido para interpretar Aaron. Além disso, o ator apresentou um talento desconhecido (por mim, pelo menos) ao imitar vários artistas, incluindo Anthony Hopkins, Robert DeNiro, Al Pacino, Brad Pitt e vários outros.

Ainda como curiosidade, vale notar que todos eles falaram sobre realizar seus sonhos, não desistir na primeira resposta negativa e a representatividade de seus personagens para os fãs homossexuais (no caso de Aaron) ou aqueles que se sentem reprimidos ou excluídos de todas as formas na visão de Evanna. Foram conversas divertidas, interessantes e marcadas por mensagens válidas para tantos jovens que frequentam o evento.