AODISSEIA
Músicas

Novo álbum do Linkin Park: One More Light

11 de maio de 2017 - 11:20 - Anny Delfino

O ”novo” Linkin Park, entrevista com integrantes e mais.


Acredito que a maioria das pessoas que gostam de rock, no período entre 2007 e 2009 escutaram Linkin Park. Aquele som pesado, vocal impecável e clipes de imagem escura, sofreu certas alterações. O novo álbum One More Light mostra uma nova sonoridade da banda e vários fãs do grupo norte-americano reagiram de forma negativa ao tema, sendo pop/alternativo indie a nova aposta da banda. O assunto ainda gera polêmica justamente por se tratar de uma mudança repentina do som que estávamos acostumados a ouvir. As músicas são calmas com batidas eletrônicas no fundo, mas nada estonteante. A voz continua impecável e uma das faixas conta com o vocal feminino de Kiiara (Cantora-compositora) trazendo mais um toque diferente no estilo da banda.

A cada faixa lançada o volume de críticas aumentava fazendo com que a banda se manifestasse por meio de uma entrevista que concederam na TV e no rádio.

O que esse álbum tem de diferente dos outros?

“Nós trouxemos muita gente nova e estamos produzindo por nós mesmos, pela primeira vez. Era quase assim das outras vezes, mas em algum ponto nos encontrávamos com algum produtor. Além disso, antes  escrevíamos as músicas e colocávamos os vocais depois, fazíamos o que a música pedisse, às vezes a música já estava escrita e nós nem sabíamos como iriamos tocar; Dessa vez foi totalmente ao contrario, houve mais planejamento no processo de criação.” Disse Mike.

Mike ainda defendeu dizendo que todo lançamento de álbum a banda passa por isso (críticas) e que os fãs sabem que o Linkin Park gosta de alternar sons. Mike ainda falou a respeito de Chester: “As pessoas vão se surpreender com a voz e o jeito de cantar dele dessa vez, como se surpreenderam quando ele fez o cover de ‘Rolling in the Depp” da Adele.

Chester reagiu diferente, falou sobre superação e disse não querer saber do passado.

“Nos perguntaram, “O que você acham das pessoas que dizem que vocês se venderam?” Eu não estou nem aí. Se você gosta da música, fantástico. Se você não gosta, essa é sua opinião também, fantástico. Se você afirma que estamos fazendo isso por uma razão monetária, tentando fazer sucesso a partir de alguma fórmula, então se mate.”

“Quando fizemos o Hybrid Theory, eu era o cara mais velho da banda, tinha uns vinte anos. Por isso me pergunto, “Por que ainda estamos falando sobre o Hybrid Theory? Já faz tanto tempo”. É um ótimo álbum, nós o amamos, mas vamos superar, sabe?” Disparou Chester.

O álbum foi criado de cabeça para baixo, a banda teve essa ideia diferente para escrever as músicas e estão totalmente abertos ao novo estilo de trabalho, desde artistas convidados até co-produtores e co-compositores. Existe ainda um ponto, a mudança no tato musical completa o trabalho do guitarrista (Bras Delson)

Eu amo o trabalho acústico na ”Sharp Edges”. Eu realmente gosto de todas as camadas de guitarras na “Invisible” também. Há também uma apresentação realmente única de guitarra em um jeito que eu acho que nós nunca fizemos, em uma música chamada ”Sorry For Now”. Essa foi uma das coisas que nós realmente ficamos muito animados , é extremamente diferente de qualquer coisa que nós já fizemos antes

Existem muitas transformações. A faixa ”Heavy” que gerou polêmica e chocou os fãs, por ser tratar de uma música pop, parece ter ficado no passado. Apesar dos integrantes defenderem dizendo que as músicas não tem gênero, é bem notável o som de pop. Não podemos deixar de reparar que as letras são absurdamente tocantes e bonitas. A música cresce, prepara um clima agradável e mostra que existe guitarras por lá. No mix é possível notar os sintetizadores e a batida eletrônica leve que traz o hip-hop , mas sem prejudicar o som. Vale ressaltar que todas as músicas são belas e na minha opinião, a banda continua surpreendendo.

Linkin Park está voltando e a data de estreia do álbum está prevista para o dia 19 de Maio de 2017.

 


Artista: Linkin Park
Lançamento: 19 de maio de 2017
Gravadora: Warner Bros. Records

O álbum contém 10 faixas:

1. Nobody Can Save Me
2. Good goodbye
3. Talking to myself
4. Battle symphony
5. Invisible
6. Heavy [explicit]
7. Sorry for now
8. Halfway right
9. One more light
10. Sharp edges