Livros e HQ’S: Batman – O Que Aconteceu ao Cavaleiro das Trevas?

Como seria a sua versão da morte do Batman?


batmanoqueaconteceucapaO mestre Neil Gaiman recebeu a complicada missão de ser o assassino de um dos personagens mais icônicos de todos os tempos, por isso já abre esse encadernado – publicado no Brasil pela Panini em 2013 – explicando todas as influências que o herói teve em sua vida pessoal e artística. A sua história foi encomendada como o objetivo de encerrar tanto a revista do Batman quanto a clássica Detective Comics antes de um dos inúmeros reboots feitos pela DC, então ele aproveitou a carta branca para matar o herói.

O negócio é que estamos falando de Neil Gaiman e nunca conseguiria matar o personagem de uma forma simples, portanto a HQ já começa no velório do Homem-Morcego em um bar comandado por Joe Chill (o assassino dos pais de Bruce em algumas versões), sendo que o próprio Batman está vendo tudo de uma espécie de plano astral ao lado de uma mulher misteriosa. A partir desse ponto, o roteiro ganha uma construção única e inesperada: cada um dos personagens icônicos vai na frente do público e conta sua própria versão da vida do herói e, automaticamente, do seu último encontro com ele.

Assim Robin, Asa Noturna, Alfred, Hera Venenosa, Coringa, Superman, Harvey Bullock e tantos outros coadjuvantes recebem a missão de mostrar quem é o Batman para que o verdadeiro aprenda um pouco mais sobre si mesmo. Uma história que, no fundo, é bem típica de qualquer quadrinho de super-herói, contando com as diferenças garantidas pelos próprios personagens (a história do Alfred é a minha favorita), as homenagens e um final com margem para muitas interpretações e discussões. É uma parada que pode ir de viagem no tempo até reencarnação, dependendo do ponto de vista de cada leitor. E isso, sem dúvida nenhuma, conta como um ponto muito positivo aqui.

A arte do Andy Kubert – e as cores de Alex Sinclair – mergulha de cabeça na premissa pra capturar toda a loucura do velório, suas divagações e seus momentos bizarros, entretanto a maior graça do texto e do roteiro fica por conta das homenagens que permeiam toda a história. Os desenhos conquistaram meu coração de vez na primeira vez em que Andy se apropriou de cenas famosas (tem a coluna quebrada, piada mortal e etc…) ou emulou propositalmente o traço de grandes nomes que trabalharam com o herói no passado, como Bob Kane, Jack Burnley, Jerry Robinson, Dick Sprang e Neal Adams. Afinal de contas é muito tempo de aventura noturna que precisam ser enterrados.

batman-whatever-happened-to-the-caped-crusader-046

São alguns elementos que complementam e dão um gostinho a mais para a história, que pode ser considerada necessária para os grandes fãs do Morcegão. E se isso não for o suficiente, vou te avisar que o encadernado ainda tem todos os pequenos contos que Gaiman já escreveu sobre o nosso herói, incluindo uma maravilha chamada Um Mundo em Preto e Branco, onde Batman e Coringa são atores de um seriado sobre o próprio Batman. É surtado, ágil e muito divertido, assim como a história principal.


 

OBS 1: Além das citadas, a publicação contém uma história da Hera Venenosa e uma muito divertida com um documentário sobre os vilões de Gotham, destacando o Coringa.


odisseia-06

Deixe uma resposta