AODISSEIA
Especial

Inspirações e Referências de Stranger Things 2 [ATUALIZADO]

Uma pequena lista com muitos easter eggs e segredos escondidos.

29 de outubro de 2017 - 20:47 - Flávio Pizzol

 

A segunda temporada de Stranger Things finalmente chegou – com tudo – ao catálogo da Netflix. A série, criada pelos Irmãos Duffer e deliciosamente ambientada na década de 80, voltou com mais escopo e consistência narrativa sem perder a identidade da série (leia mais na nossa crítica aqui). Dentro desse contexto, a trama cresceu de forma menos dependente das suas referências, mas isso obviamente não significa que elas sumiram. Isso seria uma perda terrível para uma série que, como um Demogorgon da cultura pop, se alimenta clima oitentista e da nostalgia.

 

Diante disso e do sucesso desse post no ano passo, decidimos anotar tudinho e separar os principais easter eggs e segredos escondidos pelos nove episódios do novo ano, incluindo algumas explicações necessárias em cada tópico. Os únicos elementos que acabaram cortados foram aqueles que já apareceram na lista anterior por fazerem parte da primeira temporada, como o glorioso pôster de Tubarão que rouba a cena no quarto de Will Byers. Além disso, dado o seu conteúdo, aviso desde já que esse post vai ter muitos spoilers, obviamente… Vamos em frente?

 

  • Dragon’s Lair, Dig Dug e Centopede

 

O fliperama é uma peça importante dessa temporada, substituindo as partidas de Dungeons & Dragons na primeira reunião dos garotos no começo do primeiro episódio. Os três jogos acima são citadas nominalmente entre uma infinidade de máquinas que surgem em cena, sendo que dois deles tem mais importância do que parecem.

 

A apresentação de Dragon’s Lair (lançado em 1983) destaca o momento onde Dustin e Lucas brigam pela protagonista feminina do jogo, Princess Daphne. Como Dustin perde a sua partida, ela “está”, naquele momento, com o Lucas. Isso já é uma prévia do triângulo amoroso que vai surgir entre os dois quando Max surge em cena, adiantando inclusive quem seria seu par final desde princípio.

 

Dig Dug, além de surgir como apresentação virtual das habilidades da nova personagem, também esconde uma aproximação conceitual com a temporada, já que os monstros do jogo andam através de túneis. Sendo uma brincadeira do acaso ou não, os Demodogs usam o meio espaço para transitar pela cidade.

 

  • O Ataque dos Vermes Malditos

 

Assim como o jogo dos túneis, o filme de terror lançado em 1990 também foi utilizado como inspiração para a criação dos caminhos que ocupam o subsolo de Hawkins. Os personagens de Stranger Things, ao contrário do que acontece com boa parte das referências, não conhecem o filme ainda, porém as similaridades não podem ser ignoradas. Os Irmãos Duffer certamente conhecem o longa estrelado por Kevin Bacon e colocaram as semelhanças sem nenhum temor.

 

  • A Franquia Alien

 

Alien – O Oitavo Passageiro era uma referência estilística sutil da primeira temporada, mas a franquia do xenomorfo voltou com tudo pra essa temporada. Os supostos ovos que surgem no Mundo Invertido, o design dos Demodogs e até o próprio clima do submundo remetem constantemente aos filmes da franquia iniciada por Ridley Scott. Além disso, a presença de Paul Reiser e a personalidade do Dr. Owens lembram demais os trejeitos de Burke, seu personagem em Aliens – O Resgate. Segundo falas do próprio ator no especial Beyond Stranger Things, isso foi uma escolha consciente dos criadores.

 

Ah… um dos pôsteres usados durante a divulgação da segunda temporada brinca com o franquia de forma direta e facilita ainda mais a percepção dessa proximidade entre as histórias. Confira acima e tire sua próprias conclusões!

 

  • Dungeons & Dragons e H.P. Lovecraft

 

Entre outras preciosidades da cultura pop que surgem em referências ou inspirações menores, esses dois nomes possuem uma influência considerável na criação dos monstros que perseguem os protagonistas durante a temporada.

 

D&D, assim como no ano anterior, foi usado para explicar o conceito por trás do Devorador de Mentes, mas dessa vez recebeu o apoio de um dos maiores nomes da literatura de horror e ficção científica, o americano Howard Phillips Lovecraft. O design do monstro principal, sua origem e a atuação ligada à mente dos seres humanos lembra bastante as obras de um autor que é mundialmente reconhecido como o criador original do clássico Cthulhu.

 

  • Gremlins

 

Lançado no mesmo 1984 que ambienta a temporada, o longa dos monstrinhos peludos surge como uma inspiração na relação entre Dustin e Dart. A forma como o girino evoluiu e se torna um dos vilões do ano dois é uma referência bem clara a multiplicação dos Gremlins, assim como o último encontro entre os personagens no túnel tem algumas semelhanças com o longa citado.

 

  • Contatos Imediatos de Terceiro Grau

 

O clássico longa de ficção científica, dirigido por Steven Spielberg em 1977, poderia ficar de fora dessa lista por ser uma das referências mais claras da primeira temporada, mas merece um pequeno destaque pela homenagem em forma de repetição de um das cenas mais famosas do filme em questão. Será que o momento em que Will vê o Devorador de Mentes pela porta tem alguma semelhança com a imagem acima?

 

  • O Exorcista e O Enigma de Outro Mundo

 

A última parte da temporada mergulha um pouco mais no universo do terror sobrenatural, e os Irmãos Duffer não poderiam perder a oportunidade de referenciar grandes clássicos do gênero. Will e seus amigos não enfrentam um demônio em nenhum momento, mas as semelhanças com O Exorcista preenchem a tela quando a possessão da criança atinge seu último nível e sua família decide promover uma espécie de “exorcismo” com direito a membros amarrados, cama rangendo, corpo mexendo do nada e muitos gritos com vozes diferenciadas.

 

Enquanto isso, O Enigma de Outro Mundo, que já tinha aparecido na temporada anterior na televisão do professor, volta a ser referenciado justamente nas condições fisiológicas da criatura que possui o Will. Assim como a Coisa do filme de John Carpenter, ela gosta de frio e precisa ser enfrentada com fogo.

 

  • Conta Comigo e outras histórias de Stephen King

 

Esse clássico dos anos 80 também foi uma referência constante na primeira temporada, assim como Stephen King (o autor responsável pelo conto que originou o longa), e poderia facilmente ser deixado de fora dessa lista. No entanto, a importância do filme na evolução dos adolescentes da época é tão grande que os roteiristas decidiram fazer outra cena icônica nos trilhos do trem. Como já era de se esperar, a temática do diálogo gira em torno dos aprendizados que Dustin pode ter com Steve.

 

No entanto, as referências ao “Kingverse” não param por aí. As cicatrizes de Nancy e Jonathan após o pacto de sangue serem incrivelmente parecidas com as das crianças de It – A Coisa, e a ideia de Bob se mudar para o Maine (cidade onde se passam boa parte das histórias do autor) não são nem um pouco aleatórias.

 

  • O Exterminador do Futuro, Mad Max e ET – O Extraterrestre

 

Esses três filmes/franquias de ficção científica que fizeram enorme sucesso na década de 80 – o Mad Max original estreou em 1979, mas suas continuações de maior sucesso vieram depois – foram reunidos no mesmo tópico por serem encontrados em referências muito sutis durante a temporada. O longa estrelado por Arnold Schwarzenegger aparece em dois momentos dos primeiros episódios, sendo uma em forma de publicidade na televisão e a outra na placa que revela sua exibição no cinema local, enquanto Mad Max é o codinome usado pela nova aluna da escola no fliperama. Apesar da série não estabelecer muitas relações entre a personagem e o filme em si, ela é chamada de Road Warrior (subtítulo do segundo filme) pelo cara do fliperama e eventualmente dirige um carro em alta velocidade.

 

Já a obra de Steven Spielberg sobre o pequeno alienígena que quer voltar para casa é referenciado na figura de um boneco do personagem que ocupa a prateleira de Dustin, na escolha de Reese’s Piece como doce favorito do Will e naquela fantasia de fantasma que a Eleven usa na tentativa de ir para o Halloween. Vale lembrar que o filme era uma grande inspiração para a relação dos protagonistas com a garota superpoderosa no começo do primeiro ano de Stranger Things.

 

  • Jurassic Park

 

 

Falando no mestre Spielberg, precisamos falar sobre o icônico parque dos dinossauros. É claro que Stranger Things não tem dinossauros, porém ninguém pode negar que os demodogs agem de forma muito parecida com os velociraptors da história de Michael Crichton. Além disso, existem muitas chances da jornada de Bob para religar a energia do laboratório seja inspirada no longa em questão, já que o mesmo acontece no parque.

 

  • He-Man

 

Assim como o alienígena citado acima, o personagem que fazia parte da linha de brinquedos Master of the Universe, da Mattel, surge como um boneco “capturado” pela irmã de Lucas. Ele está apaixonado pela Barbie e não pode ficar longe de sua amada, não é?

 

OBS: Na falta de uma imagem de qualidade do boneco, utilizei desse jogo bizarro que fazia parte da mesma coleção.

 

  • Star Wars

 

Além da Millenium Falcon em miniatura – destaque da primeira temporada – que surge como representação das lembranças de Mike, a nossa franquia de ficção científica/fantasia favorita rouba a cena com os sons que Dustin produz inspirado na voz do Chewbacca, e na relação entre Eleven e sua irmã perdida. A forma como Kali treina a garota tem muitas semelhanças com as técnicas usadas tanto por Yoda, assim como o sufocamento do adversário pelo pescoço tem certa semelhança com os métodos usados por um certo Darth Vader.

 

  • Caça-Fantasmas

 

Como o primeiro longa da franquia tinha acabado de ser lançado em 1984, não é nem um pouco surpreendente ver os garotos fantasiados como os protagonistas do longa durante o Halloween. A partir desse momento, a série abusa das referências ao reproduzir os equipamentos e a trilha sonora icônica. Além disso, mais pra frente, vemos Lucas citar o “julgamento final” em um momento de dificuldade, repetindo uma frase icônica de Winston no filme.

 

  • Halloween: A Noite do Terror e as outras fantasias

 

Assim como os garotos se inspiram no filme dos cientistas que caçam fantasmas, Max decide se vestir (foto acima) como Michael Myers, o serial killer do longa em questão, para dar um belo susto em seus novos amigos. Mas o Dia das Bruxas é um evento cultural importante nos EUA e metade do mundo também se fantasia de alguma coisa. Temos Rocky, Jason (de Sexta-Feira 13), Michael Jackson, Madonna e Negócio Arriscado. Esse último longa foi a inspiração para a fantasia de Nancy e Steve.

 

  • X-Men

 

 

Depois de usar uma edição específica das histórias em quadrinhos dos mutantes (a primeira aparição da Fênix Negra) na primeira temporada, os Irmãos Duffer escancararam que os personagens da Marvel são inspirações claras para a série. O treinamento de Eleven, a forma como sua irmã vive escondida da sociedade e a levitação (olha a Fênix Negra aí mais uma vez) da protagonista no clímax estão espalhados pelo episódio como prova disso.

 

  • Os Goonies

 

Apesar de não ter sido lançado na época em que Stranger Things se passa, Os Goonies é uma inspiração muito importante quando se trata da relação entre os amigos. Nessa temporada, essa relação ganha um elemento a mais com a escalação de Sean Astin como Bob. No entanto, além do ator em si já ser uma referência à cultura pop, seu personagem cria um easter egg muito divertido quando, ao encarar os desenhos de Will, pergunta “O que tem no X? Um tesouro pirata”. Só para lembrar, é um tesouro pirata que pode ser encontrado através de um mapa com um X vermelho que move a aventura dos adolescentes no longa em questão.

 

  • A Garota de Rosa-Shocking

 

 

Outro clássico dos anos 80, esse longa roteirizado pelo mestre John Hughes é uma referência muito importante para a criação do baile que encerra a temporada. Dustin se transforma visualmente igual o protagonista masculino, enquanto a entrada de Eleven simula a chegada de Molly Ringwald ao evento.

 

  • Warriors – Os Selvagens da Noite

 

Construído de forma proposital como algo esteticamente diferente do todo, o sétimo episódio da temporada se aproveita de inúmeras ao longa The Warriors, lançado em 1979. É só observar a ambientação mais urbana, o clima sombrio das vielas escuras, o figurino das gangues de rua e tudo mais. Só faltou a Eleven Punk usar seus poderes para bater garrafinhas de forma ameaçadora…

 

  • A primeira temporada de Stranger Things

 

No contexto das franquias cinematográficas, uma continuação que se preze sempre acaba fazendo alguma referência divertida a produção anterior. Stranger Things se inspirou nesse princípio e usou o melhor que a metalinguagem pode oferecer para tirar sarro das críticas que citavam a falta de originalidade da primeira temporada, sendo que Max assume o papel de porta-voz da brincadeira no momento em que Lucas conta a verdadeira história dos acontecimentos do ano anterior. Certamente um dos momentos mais divertidos dos nove episódios!

 

  • Every Breath You Take

 

A trilha sonora é uma parte muito importante de Stranger Things desde a primeira temporada (observem como Rock You Like a Hurricane se encaixa perfeitamente como introdução de Billy, ou Runaway com a fuga de Eleven) e merece sem nenhuma dúvida um lugar nessa lista, no entanto esse tópico refere-se muito mais a uma curiosidade narrativa que pode passar despercebida do que uma referência em si. Grande sucesso da época, a música “Every Breathe You Take”, da banda The Police, toca em um momento decisivo do encerramento da temporada, mas a presença da canção pode ter uma importância muito maior do que ser a mera trilha sonora do Baile de Inverno.

 

Se você prestar bastante atenção na letra (sucesso entre os stalkers de plantão) e na transição para o Mundo Invertido onde o Devorador de Mentes continua vigiando a escola, Will ou Eleven, pode perceber que a música e a cena realmente possuem uma aproximação temática muito grande. Segundo uma das entrevistas concedida pelos criadores no especial Beyond Stranger Things, a escolha foi proposital e tem o objetivo de deixar claro que o antagonista continua observando cada passo, noite e respirar dos nossos protagonistas.