AODISSEIA
Filmes

Crítica – Moana: Um Mar de Aventuras

Nem toda princesa precisa de um príncipe para ser feliz.

5 de Janeiro de 2017 - 13:12 - felipehoffmann


Assistir uma produção da Disney sempre é uma tarefa mágica. Temos a certeza de que o produto que estamos prestes a ver será de um cuidado estético impecável. Some ao apelo visual uma fórmula segura de narrativa e uma trilha sonora marcante. Moana: Um Mar de Aventuras passeia por todos esses aspectos mas distorce talvez o maior de todos os piegas. Nem toda princesa precisa de um príncipe para ser feliz.

Essa quebra de paradigma representa muito mais que o filme em si. Mostra ao interagente que o cinema enxerga a verdadeira e atual sociedade pra desenvolver suas histórias. A Disney se caracterizou por personagens apoiadas à figura de um príncipe como o salvador da pátria, porém viu hoje, em Moana, que nem sempre a figura masculina representa a melhor forma de redenção.

A determinação de Moana conduz sua jornada heroica. Sempre apoiada em cenários belíssimos, a protagonista,  herdeira de uma tribo da Polinésia, vê no mar o destino de sua existência e o caminho que precisa seguir para se descobrir. Sua condição de princesa não interfere na aventura que almeja e quando Maui, um semideus com um cajado mágico, é apresentado, nenhuma relação amorosa é testada. O amor que existe entre os dois na verdade, é desenvolvido pela amizade e confiança empregada de um ao outro no decorrer do longa.

A magia e os elementos místicos em Moana: Um Mar de Aventuras são tratados com tanta naturalidade que não é preciso questionar por que estão ali. As tatuagens no corpo de Maui criam vida e personalidade próprias, dialogando perfeitamente com a história, ao melhor estilo Hércules, sendo um alívio cômico familiar dentro de um personagem complexo como ele. Contudo, dentro desse universo mágico, está o grande problema dos diretores Ron Clements e John Muskers (A Pequena Sereia). É comum Moana interagir com o mar, porém em alguns momentos de necessidade ele simplesmente some, reaparecendo repentinamente depois, como solução rápida de roteiro.

Ainda assim, Moana sabe onde quer chegar e desenvolve sua história conduzindo uma trilha sonora maravilhosa, no naipe de “Let It Go“. Cada música marca um personagem importante e entra no momento certo, ambientando perfeitamente as cenas em questão.

Mesmo dentro de novos recursos, a Disney mantém seu padrão de qualidade, dosando inovação e tradicionalismo na medida certa, quebrando paradigmas e entregando mais uma bela animação. Moana: Um Mar de Aventuras é a história de uma princesa que não dá a mínima para seu príncipe encantado, seguindo apenas suas vontades, acima de qualquer recomendação costumeira. Moana é como deveríamos ser.